Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Práticas inspiradoras para promover a inclusão

Casos que envolveram todos os alunos, de alunos com deficiência auditiva à física

POR:
Larissa Teixeira
Crédito: Getty Images

Mais do que ter um espaço físico adaptado ou garantir a participação dos estudantes com deficiência nas atividades cotidianas, a inclusão é fundamental para que todos aprendam a respeitar as diferenças. 

Alfabetização na prática: qual é o melhor método? Alfabetização na prática: qual é o melhor método?
Uma Educação verdadeiramente inclusiva não isola o aluno com deficiência, mas garante que todos tenham os mesmos direitos. Quando alunos, professores e funcionários entendem a importância de acolher o outro, conseguem levar esse olhar empático para fora dos muros da escola.

Para mostrar como a criação de atividades inclusivas pode ajudar a transformar a realidade das crianças, NOVA ESCOLA selecionou cinco práticas inspiradoras de inclusão em diferentes disciplinas. Veja abaixo:

Por uma literatura inclusiva

Com a chegada de um aluno cego na EEB São José, em Herval D’Oeste (SC), a professora Tânia Maria Rosa decidiu criar um projeto para envolver toda a turma na aprendizagem da escrita braille. Durantes as atividades, os alunos manusearam a obra e aprenderam alguns fundamentos do sistema de escrita e leitura com o próprio estudante, que lhes explicou como as combinações de pontos formavam as letras.

Quer saber mais sobre alfabetização? Acesse aqui!

Dança contemporânea para cadeirantes

Este projeto realizado na EMEF Mauro Braga, em Vitória, possibilitou aos alunos reconstruir a autoestima e conhecer o próprio corpo por meio da dança contemporânea. Além disso, a atividade deu espaço para que um aluno cadeirante, com paralisia cerebral, protagonizasse um espetáculo de dança.

Rugby para todos

No CEU EMEF Água Azul, em São Paulo, a ideia de flexibilizar a forma de jogar rugby possibilitou que os alunos com deficiência participassem ativamente dos jogos. Para isso, toda a turma foi desafiada a criar novas regras para o tag rugby, uma variante de iniciação ao esporte em que não há contato e pode ser praticada por todos.

Crianças ouvintes aprendem libras

Para sensibilizar os pequenos sobre a importância da inclusão, uma escola de Educação Infantil de uma universidade federal em São Paulo envolveu 20 crianças ouvintes em um projeto sobre o ensino de Libras. Além de conhecer uma nova forma de se comunicar, a turma aprendeu a valorizar a diversidade e combater o preconceito.

Brincar e fazer brinquedos

Na EM Pedro Suruagy, na periferia de Maceió, os alunos do 1º ano do Fundamental participaram de uma experiência de construção de brinquedos e criação de jogos inclusivos. Durante as atividades, eles puderam trabalhar o equilíbrio, a agilidade, a criatividade e a coordenação motora, além de vivenciar situações de companheirismo, solidariedade e respeito às diferenças.