Como explicar aos alunos o cálculo da nota do Enem

Entenda como funciona a TRI, sistema utilizado pelo exame para avaliar os participantes

POR:
Larissa Darc

Quem realizar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) nos próximos finais de semana precisará aguardar até 19 de janeiro de 2018 para saber a sua nota. Nem todos os candidatos entendem o processo e acham que a demora se deve ao tempo para correção de todas as questões de todas as provas. Mas o ponto é que, ao contrário dos vestibulares tradicionais, o número de questões acertadas não é o único critério avaliado. Para o professor de Ensino Médio que estiver orientando seus alunos sobre o exame, é importante deixar isso bem claro, pois pode pautar o comportamento do candidato no momento da prova.

Para gerar a pontuação do candidato, o Enem utiliza o sistema TRI (Teoria de Resposta ao Item). Ele calcula o padrão de resposta do participante. "Esse é um modelo matemático que visa desvalorizar o chute e valorizar quem sabe o conteúdo”, explica Rafael Cunha, diretor pedagógico do Descomplica, site especializado em cursos e ferramentas online para estudantes que participarão do Enem ou de vestibulares. “Existe uma curva de respostas que mostra como os alunos costumam se sair nessa questão. Ela mede o grau de dificuldade e valoriza os alunos que demonstram dominar o conteúdo em detrimento aos que chutam", completa. Rafael conta que as questões são calibradas em testes com centenas de alunos. Quanto menos pessoas acertam, mais difícil é considerada a pergunta.

Entre as 45 perguntas, o Enem avalia as respostas que o candidato acertou, as que ele errou e o desempenho das outras pessoas na mesma questão. Henrique Braga, gestor de conteúdo do Anglo, rede de cursinho, conta que, na TRI, os acertos são relativos: “O Enem mede o grau de eficiência e coerência nas respostas. É mais provável que uma pessoa que acertou as questões mais fáceis tenha uma nota maior do que aqueles que acertaram apenas as mais difíceis”. Ou seja, o sistema compreende que, ao errar os conceitos mais simples e acertar os mais complexos, a pessoa está mais propensa a ter chutado.

Em seu site oficial, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informa que “na escala construída para o Enem, dentro de cada uma das áreas avaliadas, a nota 500 representa a média obtida pelos concluintes do Ensino Médio que realizaram a prova (excluídos os egressos e treineiros)”. Em linhas gerais, a prova segue um método de correção baseado na comparação. “Quanto mais distante de 500 for a nota do estudante, para cima, maior o desempenho obtido em relação à média dos participantes. Mesmo raciocínio vale para desempenho menor que 500, que aponta desempenho pior em relação ao obtido pela média.”

 

Tags

Guias