Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Notícias
20 de Setembro de 2017 Imprimir
5 4 3 2 1

5 motivos para usar games na aula de Matemática

Os jogos digitais permitem a criação de contextos que motivam alunos a trabalhar elementos como raciocínio e cooperação

Por: Débora Garofalo
Crédito: Getty Images

Sempre defendi com meus alunos que o ensino de Matemática ocorresse de forma lúdica, internalizando o conhecimento para construí-lo de forma significativa e envolvente. Nessa perspectiva, encontrei nos games digitais, um importante aliado para fomentar o trabalho docente em sala de aula. Os jogos permitem a criação de contextos de aprendizagem e trazem uma série de ganhos em relação a métodos tradicionais.

Separei abaixo os cinco principais benefícios da inclusão dessas ferramentas nas aulas de Matemática. Cada uma vem com uma dica de como pode ser aplicada. Confiram:

1 - Apropriação do currículo 

Os games permitem mobilizar o currículo ao trabalha-lo de forma prática e significativa,  estabelecendo conexões com outras áreas do conhecimento, potencializando e problematizando a capacidade de compreensão dos fatos e conceitos matemáticos. Um boa forma de realizar isso, é partir da construção dos jogos, ao vivenciar diversas situações reais de ensino.

Dica: O Scratch é um software livre gratuito, que utiliza uma linguagem de programação gráfica e permite um ambiente de desenvolvimento acolhedor e intuitivo para a criação de jogos digitais, fazendo com que os alunos se apropriem do currículo na prática. Com os meus alunos dos 8º anos, sentimos a necessidade de desvendar o jogo e identificar o que estava por de trás dele. Com o software Scratch, construímos games digitais motivados pelas dificuldades dos alunos com a Matemática. Eles se sentiram desafiados ao desvendar e descobrir conceitos de Matemática na prática, por meio de objetivos a serem cumpridos e regras para avançar nas etapas de construção do jogo.

2 - Eficácia na resolução de problemas

A interação proporcionada pelo ambiente virtual permite que o aluno desenvolva concentração e cooperação, exercite a capacidade de resolução de problemas e mobilize os conhecimentos para compreendê-los. A criação de um espaço de experimentação faz com que os alunos possam experimentar e vivenciar o erro.

Dica: O Jogo é um portal com diversos jogos matemáticos, que proporcionam aos alunos exercitar a resolução de problemas.

3 - Desenvolvimento do raciocínio lógico

Os games trabalham o raciocínio lógico, ao desenvolver pensamentos estratégicos e dedutivos. Quando o aluno pensa para avançar uma fase e ou resolver uma situação no jogo, está raciocinando, realizando mentalmente a organização de suas ideias para chegar à conclusão de um determinado ponto, concebendo a matemática como algo prazeroso, proporcionando equilíbrio entre o real e o imaginário,  ampliando os conhecimentos e desenvolvendo o pensamento lógico.

Dica: O Racha Cuca  é um portal de jogos de quebra-cabeça e diversos desafios matemáticos, inclusive de lógica.

Crédito: Débora Garofalo

4 - Motivação e interação Social

Os jogos auxiliam os alunos a se unir em torno de uma meta, exercendo e respeitando diferentes papéis dentro do grupo, mas dentro do desenvolvimento de raciocínio independente. Dessa forma, eles ficam motivados a passar por desafios e etapas em conjunto, promovendo interação social, colaboração e cooperação.

Dica: O Smart Kids é um portal com vários games digitais gratuitos que promovem a interação entre os alunos para resolver os problemas. Vou deixar três exemplos, mas vale explorar as possibilidades do site.
- Jogos das operações, para iniciar o jogo o aluno tem de escolher o personagem, que irá interagir com o jogo ao fazer contas com as quatro operações;
- Cantina da Dona Maria. Nesse jogo, o aluno tem interação com o dinheiro, dessa forma, o jogo estipula um valor que ele terá disponível para gastar, realizando compras na cantina. Nesse sentido, ele tem de aplicar conhecimentos prévios matemáticos e de forma lúdica, lidar com dinheiro ao realizar cálculos para realizar compras e com sobras de valores;
- Tabuada: Nesse jogo, os alunos irão exercitar os conhecimentos sobre a multiplicação. O jogo irá trazer contas, com a utilização da tabuada, onde mentalmente, os estudantes tem de realizá-las, exercitando o seu conhecimento para acertar a roleta.

5 - Facilitador do processo ensino aprendizagem

As atividades com games é um facilitador, ao ser atrativo, favorecendo dessa forma estratégias e mobilização de conhecimento, ao permitir de forma lúdica que o aluno reconstrua novos conhecimentos.

Dicas: NOVA ESCOLA reúne jogos virtuais, possíveis de serem baixados, sendo um facilitador da aprendizagem de matemática. Os meus alunos adoram o Feche a Caixa e também o jogo Daqui pra lá, de lá pra cá. A Khan Academy tem um site gratuito que pode ser baixado em IOS e Android e oferece ensino personalizado de Matemática e de algumas outras disciplinas, podendo ser utilizado também pelos educadores. O portal possui um sistema para acompanhar o progresso nas aulas.

Os jogos digitais são recursos educativos de grande potencial. Nele, o professor também exerce um papel primordial, como mediador e orientador das práticas educativas, sem tirar o momento da descoberta e a graça da brincadeira. Também é importante que o planejamento traga objetivos claros da aprendizagem e que os games sejam desafiadores e permitam o despertar do conhecimento.

Espero que tenham gostado do texto e das sugestões! E você, que jogos digitais exploram em sala de aula? Compartilhe conosco e conte também suas experiências, aqui nos comentários.

Um grande abraço

Tenha acesso a conteúdos e serviços exclusivos
Cadastre-se agora gratuitamente
Cadastrar