Como identificar ambiguidades com questões de concurso e vestibular

Entenda a diferença entre duplo sentido intencional e por descuido, e treine seus conhecimentos

POR:
Arlete Bannwart Vieira
O que a frase "vendo pôr do sol" quer dizer? Que o pôr do sol está à venda ou que o falante dela está observando o pôr do sol?
Fora do contexto, as duas opções de interpretação da frase são aceitas. Isso é ambiguidade. Crédito: Lucas Magalhães e Paula Peres

Quando um vocábulo pode ser interpretado de duas maneiras, dizemos que ocorreu ambiguidade, fenômeno muito recorrente na comunicação. Muitas vezes pode ser um recurso expressivo; em outras, um defeito de construção do texto. Como recurso, é muito encontrada em textos publicitários e humorísticos.

Vejamos um exemplo usado em campanha governamental de conscientização sobre o uso do cinto de segurança:

“Para não quebrar a cara, use o cinto de segurança.”

A expressão em destaque, na frase, pode ter dupla interpretação: ou a pessoa que não usar o cinto pode dar-se mal (ser multada) ou machucar-se, caso ocorra algum imprevisto.

Existem dois tipos de ambiguidade:

A polissêmica, quando um mesmo vocábulo apresenta mais de um significado:

As ações lhe trouxeram grande fortuna. (As ações são atitudes ou aplicações financeiras?)

Procurava balas perto de sua casa. (As balas são projéteis ou guloseimas?)

Caso a dupla interpretação não seja intencional, para evitá-la, faz-se necessário reconstruir a frase a fim de que o vocábulo em questão alcance o entendimento desejado. Veja:

O dinheiro que aplicou em ações na Bolsa de Valores trouxe grande fortuna.

Procurava uma loja, perto de sua casa, que vendesse balas para sua aula de tiro ao alvo.

Há, também, a ambiguidade estrutural, que pode ocorrer pela má construção da frase, pelo mau uso dos pronomes possessivos e de pronomes relativos, entre outros problemas:

O professor enjoado saiu da sala rapidamente. (O professor estava sentindo-se mal ou era considerado enjoado?)

Encontrei Marcos e a namorada na rua. Informe-lhe que sua irmã estava chegando do exterior. (Irmã de quem: de Marcos ou da namorada?)
Como resolver: “Informei ao Marcos que a irmã dele…” ou “Informei à namorada que a irmã dela…”

Papai falou à secretária que mora neste bairro. (Papai mora neste bairro ou a secretária?)
Como resolver: “Papai, que mora neste bairro, falou com…” ou “A secretária que mora neste bairro ouviu de papai…”

O juiz declarou ter julgado o réu errado. (O juiz fez um julgamento inadequado ou não era aquele o réu que deveria ser julgado?)

Veja outras dicas sobre a Língua Portuguesa na página S.O.S. Português

Identifique a ambiguidade nas questões abaixo

1) (CEFET/PR) Assinale a única frase em que a ordem de colocação das palavras NÃO produz ambiguidade.

a) Rossi pede ao STF processo por calúnia contra Motta.
b) É só colocar as moedas, girar a manivela e ter a escova já com a pasta embalada nas mãos.
c) Casal procura filho sequestrado via Internet.
d) Câmara torna crime porte ilegal de armas.
e)Regressou a Brasília depois de uma cirurgia cardíaca com cerimonial de chefe de Estado.

2) (FGV/RJ) Dentre as seguintes frases, assinale aquela que não contém ambiguidade:

a) Peguei o ônibus correndo.
b) Esta palavra pode ter mais de um sentido.
c) O menino viu o incêndio do prédio.
d) Deputado fala da reunião no Canal 2.
e) Vi um desfile andando pela cidade.

3) (CEFET/PR) Leia o texto a seguir:
“Quando Milton Campos foi governador de Minas Gerais, teve como secretário o Sr. Pedro Aleixo. Contam os mineiros que, para qualquer providência, Sua Excelência anunciava: Preciso falar com o Pedro, primeiro. O Dr. Milton quase foi eleito vice-presidente da República. Se tivesse chegado à presidência, estaríamos, no mínimo, com a monarquia instaurada no Brasil, pois os brasileiros que pretendessem realizar qualquer empreendimento teriam que falar com Pedro, primeiro.”

O texto acima trabalha com a possibilidade da ambiguidade obtida devido à:

a) semelhança sonora entre numeral e adjetivo;
b) posposição do adjetivo;
c) leitura do advérbio como numeral;
d) leitura do numeral como advérbio;
e) utilização da vírgula antes do numeral

4) (ENEM) No ano passado, o governo promoveu uma campanha a fim de reduzir os índices de violência. Noticiando o fato, um jornal publicou a seguinte manchete:

"CAMPANHA CONTRA A VIOLÊNCIA DO GOVERNO DO ESTADO ENTRA EM NOVA FASE"

A manchete tem um duplo sentido, e isso dificulta o entendimento. Considerando o objetivo da notícia, esse problema poderia ter sido evitado com a seguinte redação:

a) Campanha contra o governo do Estado e a violência entram em nova fase.
b) A violência do governo do Estado entra em nova fase de Campanha.
c) Campanha contra o governo do Estado entra em nova fase de violência.
d) A violência da campanha do governo do Estado entra em nova fase
e) Campanha do governo do Estado contra a violência entra em nova fase

5) (ITA) Assinale a opção em que a ambiguidade ou o efeito cômico NÃO decorre da ordem dos termos.

a) O estudo analisou, por 16 anos, hábitos como caminhar e subir escadas de homens com idade média de 58 anos. (Equilíbrio. "Folha de S. Paulo", 19/10/2000)
b) Andando pela zona rural do litoral norte, facilmente se encontram casas de veraneio e moradores de alto padrão. ("Folha de S. Paulo", 26/01/2003)
c) Atendimento preferencial para: idosos, gestantes, deficientes, crianças de colo. (Placa sobre um dos caixas de um banco.)
d) Temos vaga para rapaz com refeição. (Placa em frente a uma casa em Campinas, SP.)
e) Detido acusado de furtos de processos. ("Folha de S. Paulo", 8/7/2000)

Respostas:
1) d / 2) b / 3) c / 4) e / 5) c

Tags

Guias

Tags

Guias