É correto chamar as crianças por apelidos, em vez de pelo nome?

Bullying

POR:
NOVA ESCOLA
Telma Vinha. Foto: Marina Piedade E agora, Telma?

Telma Vinha é professora de Psicologia Educacional na Unicamp e tira dúvidas sobre comportamento.

Clique aqui para mandar a sua dúvida

Pergunta enviada por Raimunda Aurisete Bezerra, Itapipoca, CE

É preciso observar se o aluno está confortável com a maneira como é chamado, Raimunda. Nem todo apelido deve ser evitado. Muitas vezes, a criança até prefere ser tratada daquela forma. Se não for esse o caso, aí, sim, cabe intervir. Alguns estudantes têm dificuldades de identificar os sentimentos do outro e, por isso, apelidos pejorativos são comuns. O professor não pode ser omisso. Não se trata apenas de proibir, censurar ou dar sermões. É necessário um planejamento voltado à melhoria das relações interpessoais, ao convívio com as diferenças e ao respeito à dignidade. A questão pode ser tratada de diversas maneiras: rodas de conversa, assembleias, projetos, teatro e discussão de dilemas, filmes e livros. Atente também à forma como você trata a meninada, evitando zombarias e nomes pejorativos ou jocosos.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias