Como ter tempo para corrigir 150 textos?

Organização

POR:
NOVA ESCOLA
Heloisa Ramos. Foto: Marina Piedade Neury responde

Neurilene Martins é doutora em Educação e professora do curso de Pedagogia do Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge) e responde a dúvidas sobre sala de aula

Clique aqui para mandar a sua dúvida

Pergunta enviada por Valério Silveira de Góis, Felipe Guerra, RN

A leitura cuidadosa das produções da turma é uma tarefa imprescindível e requer tempo, mas há algumas ações que podem ser tomadas para tornar o trabalho mais ágil e eficiente. A primeira é combinar produções individuais com colaborativas e coletivas, em vez de sempre propor que cada aluno produza um texto. Às vezes, o docente assume o lugar de um simples corretor, tendo de destacar, um a um, os erros relacionados aos aspectos formais e linguísticos da escrita: "Melhore a coesão", "Atenção aos erros de ortografia". Repetir esse ritual pouco auxilia na reconceitualização dos conhecimentos. Em vez disso, você pode analisar as produções, identificar e registrar avanços e dificuldades mais comuns, desempenhos semelhantes e questões individuais que merecem atenção. O mapeamento, além de induzir as intervenções a serem feitas nas aulas de revisão textual, permite preparar devolutivas escritas por níveis de aprendizagem. É preciso também ensinar os alunos a atuar como leitores críticos dos próprios textos e dos escritos pelos colegas. Para tanto, organize aulas de revisão coletiva (em que todos focam um único texto com a sua mediação), de revisão colaborativa (em que pequenos grupos trabalham juntos) e de revisão individual. Lembre-se ainda de que o trabalho é mais ágil quando você dispõe de critérios definidos no início, realiza um diagnóstico para prever conteúdos curriculares e tem um histórico da evolução da escrita a cada etapa. Com tudo isso, a leitura de novas produções não começará do zero.

Compartilhe este conteúdo: