MÚSICA INFANTIL

POR:
professor

Objetivo(s) 

- Pesquisar sobre a música lendo a história para eles entenderem com pausas e intervalos para fixar a compreensão.
- Estimular a curiosidade pelo mundo da musica, fazendo perguntas sobre a música e os instrumentos musicais
- Conhecer e manuseiar os instrumentos disponíveis

Conteúdo(s) 

- A História da Música
- Conhecendo os instrumentos musicais
- Desenhando os instrumentos musicais

 

Ano(s) 

Pré-escola

Tempo estimado 

6 a 8 aulas

Material necessário 

- Alguns instrumentos disponíveis, tais como flauta..
- Imagens, fotos, ou recortes de difenrente tipos de instrumentos musicais
- Livros, revistas ou outros materiais de pesquisa

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Voces já ouviram falar sobre instrumentos musicais? Perguntar para eles quais os instrumentos que eles conhecem? Deixar eles falem. Perguntar a eles quais onde eles viram; em revistas, na internet, na televisão, na casa de amiguinhos? 

A sugestão é que você leve para a sala um a dois instrumentos e faça uma roda de conversa com os pequenos. Deixe que manuseiem o ou os instrumentos e peça que falem sobre o mesmo; pergunte se alguém já viu um semelhante antes e se sabe o que significa as partes dele. Pergunte para que serve os instrumentos mosrtado em sala. Devo deixar eles desenvolverem o raciocínio.

O objetivo desta conversa inicial é conhecer o que as crianças já sabem e permitir que os conhecimentos já existentes circulem entre o grupo. Isso permite que eu, como professor, veja os ajustes  necessários para o planejamento das etapas seguintes conforme as necessidades da turma.

Lembre-se de considerar o que as crianças falarem sem fazer qualquer tipo de julgamento. Ouça com atenção e chame atenção para comentários interessantes feitos por algumas crianças. Devo registrar essa roda inicial, pois poderá ser interessante retomar as falas dos pequenos e fazer comparações no final da sequência. Essa comparação pode ser uma boa forma de avaliar a construção de conhecimentos feitas durante o estudo.

Registrar as atividades pode acontecer de diversas formas: textos coletivos, desenhos a partir de observações, gravações em áudio das rodas de conversas, filmagens, murais ilustrados etc. Independente da linguagem, o importante é que a sistematização seja feita em todas as etapas da sequência e não só no final. Os registros servem para avaliar o meu trabalho, como professor, assim como as conquistas da turma. Além disso, ajudam na recuperação das etapas do processo vivido e no reconhecimento das hipóteses que as crianças fizeram e deixaram de lado porque aprenderam outras coisas.

2ª etapa 

Escolher um dos instrumentos ou o único instrumento escolhido para estudo e agora terei que desenvolver atividades bem minunciosas com relação ao mesmo para conduzir eles ao raciocínio correto de nomes das partes dos instrumentos

Com o instrumento em mãos eles devem interagir comigo apredendo como é a idéia de tocar, qual é o posicionamento certo, o formato e modelo do instrumento para que eles passem a conehcer figuras geométricas,tais como circulo, reta e arcos. Devo criar um clima de análise, onde eles devem definir quantos furos tem a flauta, ou mesmos quantas cordas tem o violão, por que os furos na parte superior. Sempre devo perguntar se eles estão entendendo e que eles expressem o que entendeu. Para cada pergunta feita a eles é improtante que eu anote para que eu tenha o controle do rendimento deles e eu não perco o andamento da aula anterior.

Eles precisam ver um video sorbe os instrumentos vistos ou o instrumento, dependendo do numero de instrumento que eu devo levar, penso em um instrumento simples de fácil locomoção e fácil entendimento. Aossiciar os desenhos em foto ou figura com o instrumento real em sala. Deixar que eles perguntem o que eles quiserem dentro do conhecimento do próprio instrumento. 

Discutir com eles as partes subdivididas do instrumento e para que ele serve e como é que o ar entra e sai por ele emitindo o som. Eles devem participar da respiração pausada, procedimentos primários que os músicos fazem para se aquecer e eles sentirem como é que os musicos trabalham a respiração, bem como se eu levar o violão eles terão que conhecer as partes do violão e saber os nomes delas e efetuar a sonorização. Trabalhar os sons na audição por nota, fazendo com que eles identifiquem o som com a nota dada.  

 

 

3ª etapa 

Selecione previamente algumas imagens e distribua para as crianças. Pedirei que separem de um lado as imagens dos instrumentos de sopro dos instrumentos de cordas para que eles saibam a diferença entre os instrumentos que sopram e dos instrumentos que tangem.  

É importante que haja uma boa quantidade de imagens (aproximadamente doze para cada grupo de quatro crianças) e que sejam as mesmas para todos os grupos. A sugestão é promover tanto um debate nos pequenos grupos quanto uma conversa coletiva na sala toda.

Anotar por nome o desempenho de cada um deles por nome e associar a fisionomia para que seja visto o rendimento individual da turma. 

A maioria das crianças pode mencionar o xixi como única forma de eliminação da água. Você pode chamar a atenção para outras formas, como o suor e a lágrima. Para isso, peça que olhem novamente para a imagem das crianças suadas. Informe-as também de que o corpo de todo ser humano precisa de água e relacione a necessidade de tomar água com a reposição da água perdida pelo organismo. Falar sobre a sede também pode ser interessante porque as crianças podem relatar que já sentiram necessidade de água. Questione em quais momentos eles sentem mais sede. Ao praticar atividades físicas? Ao correr muito? Em dias mais quentes? Quando comem comidas muito salgadas?

 

4ª etapa 

Nesta etapa eu mostrarei as mesmas gravuras selecionadas, uma a uma e pergunto a cada um aluno qual é o nome dela.

Diga às crianças que mostrará algumas imagens e que o desafio será descobrir se a água que aparece é sempre igual. Caso eles digam que não, peça que justifiquem a resposta. Novamente, a ideia é instaurar um momento de discussão coletiva em que as crianças expõem suas hipóteses, escutam os colegas e mudam ou não de opinião. Muito provavelmente as crianças conseguem falar que algumas águas são salgadas e outras doces.

Não esqueça de registrar em um cartaz as hipóteses e descobertas das crianças. Esse será um rico material para ajudar os pequenos a perceberem o que foi construído ao longo das discussões.

Cada figura deverá ser trabalhada conduzindo as crianças a fase de desenvolver tarefas relacionadas com o desenho, fazendo com que elas desenhe em um papel a figura e em seguida eles devem pintar. Eles aprenderão a recortar, usaremos tesouras recomendáveis, apropriada para papel, e eles farão uma montagem com demasi gravuras que eles irão desenhar, isso de acordo com numero de desenhos.

 

Avaliação 

Observe se as crianças ampliaram seus conhecimentos em relação as perguntas que levantei no início da aula em sequência, ver na minha avaliação se demonstraram interesse pelos assuntos abordados, se foram capazes de gradativamente formular perguntas e manifestar suas ideias e de buscar respostas por meio das fontes disponíveis (imagens, conversas com os colegas etc). Retome as anotações feitas sobre as  hipóteses, ideias e pensamentos das crianças. Pergunte se eles ainda pensam as mesmas coisas do começo ou  se mudaram de opinião. É importante ressaltar que a evolução de cada criança é diferente, por isso considere o ponto de partida de cada um individualmente. Tenha em mente também que é fundamental avaliar não somente o momento final do trabalho, mas todas as etapas. Um painel de desenvolvimento individual será o meio pelo qual eu terei o mapeamento de cada criança dentro do que foi apresentado.  No início da aula será feito um trabalho de checagem das emoções, através da musicoterapia, para desta forma medirmos os níveis de emoções entre eles. Esta atividade é feita no início das aulas e eles devem deitar no chão, sobre um tatami, para não deitar no chão frio e desconfortável e eles possam refletir em si mesmos bsucando o potencial qeu eks tem ao ser feita uma dissertação com palavras positivas e que gerem auto-estima. 

Créditos: Fernanda Glaessel Ramalho Formação: Formadora de Professores da Rede Municipal de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias