A Língua estrangeira e sua tradução

POR:
professor

Objetivo(s) 

Observar que uma língua é um conjunto de palavras que somente fazem sentido se estiverem inseridas num contexto, com um propósito comunicativo. Conhecer as ferramentas eletrônicas de tradução e discutir seus benefícios.

Conteúdo(s) 

Classificação gramatical - papel na frase e relevância para a construção de significado;
Expressões idiomáticas - relação com a época, idade e localidade dos falantes;
Referências literárias ou históricas - presentes nas escolhas dos escritores e essenciais na construção do significado dos textos.

Ano(s) 

Tempo estimado 

Duas aulas

Material necessário 

A reportagem da revista e os anexos. Podem ser usados cópias individuais para os aluno ou usar os textos em datashow, para serem usados coletivamente.

Este plano de aula está ligado à seguinte reportagem de VEJA:

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Distribua cópias sobre a reportagem "A língua do Google" (publicada em VEJA) ou apresente a mesma em datashow.

Peça que os alunos a leiam e depois promova um debate com as afirmações do artigo usando perguntas como: Quem usa o tradutor? Em que situações? Para quê? Que tipo de textos traduz?

"...O primeiro estágio da tradução universal - a de textos - já atingiu na internet um nível que linguistas e especialistas em inteligência artificial classificam como avançado. Isso quer dizer que, embora os erros de tradução da ferramenta sejam perceptíveis, os textos que ela apresenta permitem a compreensão do assunto de que eles tratam..."

Questione os alunos: Quem são esses especialistas? Quais são as conclusões? Como foram feitas as avaliações para chegar a essa conclusão? Lemos somente para ter uma compreensão do assunto? E quando falamos de literatura? Qual é o "assunto"? Será que é a história superficial que se conta? Isso dá mesmo possibilidade de comunicação entre falantes de diferentes idiomas?

"...De forma análoga, os computadores do Google trabalham com pares de textos em línguas diferentes e calculam a probabilidade de palavras de uma delas corresponderem a termos da outra..."

Pergunte: O que significa probabilidade? Uma comunicação é possível baseando-se em probabilidade? Peguemos o exemplo da palavra manga - qual é a mais provável? A fruta ou a parte da vestimenta? Pode-se compreender um texto substituindo uma pela outra?

2ª etapa 

Proponha que os alunos façam a análise de dois tipos de tradução - uma usando o tradutor eletrônico e outra usando os conhecimentos de um ser humano que fez a tradução. Inicialmente mostre o texto original - 1º parágrafo do Catcher in the Rye. Em seguida peça que leiam a tradução de três estudiosos do mesmo texto. Chame a atenção para o fato de serem três. Será que é tão simples assim traduzir? Por que então precisaram de três tradutores?

Discuta com a turma uma expressão do texto em português: lenga-lenga. O que é isso? Quais as palavras que poderiam substituir lenga-lenga? O que significa "lenga"? Qual é o correspondente em inglês para essa expressão em português? (crap). O que significa crap? Por que os tradutores usaram a expressão lenga-lenga? Lendo essas primeiras linhas, qual é o "estado de espírito" desse narrador? Qual é a idade dele? Apesar do narrador ainda não nos ter contado sua idade, podemos saber. Como?

Em seguida, apresente a frase: "...meus pais teriam um troço se eu contasse..." O que significa "troço"? Como um tradutor traduziria essa palavra? Em outros países falantes de português, será que seria possível entender a expressão: meus pais teriam um troço se eu contasse...?. Proponha a mesma atividade, utilizando uma expressão do texto em inglês: ... before I got pretty run-down... O que significa "run-down"? Qual é o sentido do adjetivo "pretty" nessa frase? Qual é o significado mais frequente do adjetivo "pretty" - que provavelmente seria a escolha dos tradutores eletrônicos?

Mostre aos estudantes que as palavras são cuidadosamente escolhidas para ativar conhecimentos na cabeça dos leitores. No entanto, leitores diferentes, provenientes de culturas diferentes, poderão entender ou não as expressões. Esse é o jogo do texto literário, do qual uma máquina jamais poderá participar, por mais informações que retenha uma vez que as utiliza com critérios de probabilidade/ frequência. E o tradutor, o ser humano, considerará tudo isso: em que época estou escrevendo? Quem são os leitores? Qual seria uma expressão semelhante no outro idioma que ativará os mesmos conhecimentos que o texto original ativa?

Proponha que os alunos façam um teste com os tradutores. Peça que peguem o texto em inglês do Catcher e coloquem no tradutor. Em seguida, os alunos devem comparar o resultado encontrado com as versões traduzidas pelos autores, apontando as falhas da tradução eletrônica.

3ª etapa 

Conscientize os alunos de que  os tradutores eletrônicos funcionam como um dicionário de acesso rápido, quando se quer a tradução de uma palavra isolada, mas que quando levamos em consideração o contexto os tradutores eletronicos não funcionam.

Avaliação 

Proponha uma reflexão escrita dos alunos contendo a visão deles sobre o assunto após essas aulas. O texto deve necessariamente referir-se à reportagem que gerou a discussão, concordando ou discordando dela. Os textos - após revisados - podem ser publicados em um mural interno da escola. Os critérios de avaliação são relacionados às ideias apresentadas e à forma. Os textos bem avaliados devem mostrar claramente a visão do aluno (ainda que diferente da do professor); argumentos que sustentem essa visão; citações do artigo da Veja e comentários explicando porque são válidos ou porque são inválidos.

Créditos: Sandra Baumel Durazzo Formação: diretora da Target Idiomas, consultora no ensino de línguas estrangeiras e selecionadora do Prêmio Victor Civita -Educador Nota 10

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias