Importância da Arqueologia na investigação histórica

POR:
novaescola

Objetivo(s) 

  • Compreender o que são documentos históricos e vestígios arqueológicos e identificar a sua importância para a construção de explicações históricas.
  • Compreender como os arqueólogos pesquisam.
  • Notar que o tempo se materializa em camadas no solo.

Conteúdo(s) 

  • A ciência da Arqueologia.
  • Construção do conhecimento histórico.

Ano(s) 

6º, 7º

Tempo estimado 

6 aulas

Material necessário 

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Quando os alunos entrarem na sala de aula, diga que aquele ambiente não foi arrumado de propósito (para isso, certifique-se de que a área já tenha sido usada). Proponha que procurem vestígios que informem sobre o que ocorreu ali. Explique que, assim como pesquisadores, eles investigarão o passado - na lata de lixo, no que está escrito no quadro, nas inscrições das carteiras, no mural, nos materiais espalhados e na posição das mesas. Organize a turma em duplas: um aluno deve usar luvas para vasculhar objetos e outro deve tomar notas. Em seguida, diga que respondam à pergunta: o que houve na sala?

2ª etapa 

No quadro, seja o escriba de um relato coletivo, procurando ligar os objetos às interpretações dos alunos. Questões que podem ser respondidas: de qual disciplina era a aula anterior a essa? Os estudantes parecem ter se concentrado? Saíram da sala com pressa? Proponha que respondam à questão: como foi possível escrever um relato histórico a respeito do que houve no passado sem que nós estivéssemos lá para ver?

3ª etapa 

Apresente fotografias de escavações sendo realizadas por arqueólogos. Explique que, de maneira semelhante ao que eles fizeram na sala, há profissionais que procuram vestígios das antigas sociedades. Discuta sobre como os arqueólogos podem saber o que ocorreu perguntando: que vestígios eles podem encontrar e que interpretações fazem? Como lição de casa, distribua cópias de uma fotografia de desenho rupestre e solicite que descrevam e interpretem a imagem.

4ª etapa 

Na sala de informática, visite com os jovens o site do Instituto Itaú Cultural sobre Arqueologia Brasileira e acesse o link "linha do tempo". Diga que analisem a imagem do sítio arqueológico e as camadas de solo. Esse é o momento de aprenderem que, quanto mais profundos os objetos estão, mais antigos são. Solicite que cada dupla entre em um dos links e recolha informações a serem compartilhadas com a classe (caso você não disponha de computadores, imprima as páginas do site).

Avaliação 

Para avaliar a aprendizagem dos alunos, distribua um texto sobre a serra da Capivara, um parque nacional e sítio arqueológico do sertão do Piauí. Peça que elaborem uma linha do tempo nos moldes da vista no site do Itaú Cultural. Note se consideram que os vestígios mais antigos devem estar na parte mais profunda, e os mais novos, na superior.

Flexibilização 

Antes de começar a atividade é importante contextualizar a atividade para o aluno com deficiência auditiva. O trabalho em duplas auxilia na compreensão. Se o aluno for capaz de fazer a leitura orofacial, indique um colega que fale pausadamente para que complete a dupla. O aluno surdo por manusear os objetos que compõem o cenário na sala enquanto o colega faz as anotações. Registros coloridos e bem organizados ajudam na aprendizagem do aluno com deficiência auditiva. Vale lembrar que todos os registros devem ser compartilhados entre a dupla. Explorar bem o trabalho com as fotografias arqueológicas também é um ponto importante para a aprendizagem do aluno surdo. Se necessário, amplie o tempo de realização das atividades para que o seu aluno possa desenvolvê-las mais detalhadamente no contraturno. Outra sugestão é buscar vídeos sobre o tema em Libras - encontrados em centros de referência - e exibi-los para toda a classe.

Deficiências 

Auditiva

Créditos: Daniel Vieira Helene Formação: Coordenador pedagógico do Centro de Estudar Acaia Sagarana e selecionador do Prêmio Victor Civita - Educador Nota 10.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias