Exposição fotográfica sobre o trabalho no campo

POR:
novaescola

Objetivo(s) 

  • Pesquisar e conhecer artistas de outras épocas e da atualidade que retrataram o trabalho e o trabalhador rural. 
  • Compreender a importância do trabalhador rural e relacioná-lo com imagens que o retratam, em diferentes épocas, feitas por diferentes artistas. 
  • Compreender a arte de fotografar como uma forma de registro e impacto social. 
  • Registrar imagens do trabalho e trabalhador rural com qualidade e sensibilidade, por meio da fotografia. 

Conteúdo(s)

  • Fotografia
  • História da arte

Ano(s) 

8º, 9º

Tempo estimado 

10 aulas

Material necessário 

  • Livros Mestres do Brasil: José Ferraz de Almeida Junior (Nereide Schilaro Santa Rosa, Ed. Moderna), Mestres do Brasil: Candido Portinari (Nereide Schilaro Santa Rosa, Ed. Moderna), Terra (Sebastião Salgado, Companhia das Letras) e Mestres do Brasil: Jean Baptiste Debret (Douglas Tufano, Ed. Moderna)
  • Computadores com acesso à internet
  • Datashow
  • Câmeras fotográficas digitais

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Converse com os alunos sobre o mundo do trabalhador rural. O que eles pensam a respeito? Como julgam ser o cotidiano de quem trabalha em contato com a natureza? Conhecem alguém com essa ocupação? Qual a influência do trabalho agrícola no cotidiano da sociedade atual e para o desenvolvimento da cidade? Proponha à turma estudar como a arte, no decorrer da história, aborda esse tema e fazer fotos para organizar uma exposição fotográfica sobre o trabalho e o trabalhador do campo.

2ª etapa 
Peça que os alunos, divididos em grupos, realizem uma pesquisa sobre a vida e as obras de alguns artistas que retrataram o trabalhador rural em diferentes épocas: os pintores Jean-Baptiste Debret (1768-1848), José Ferraz de Almeida Júnior (1850-1899), Cândido Portinari (1903-1962) e o fotógrafo Sebastião Salgado. Pré-selecione materiais e oriente a turma a pesquisar em sites e na biblioteca da escola a fim de montar uma apresentação para os colegas sobre um dos artistas e as obras feitas por ele relacionadas ao trabalho rural. Cada grupo deve escolher um nome e selecionar obras para serem discutidas e analisadas coletivamente.

3ª etapa 

Durante a elaboração das apresentações, acompanhe os estudantes, ensinando-os a apreciar as obras, relacioná-las ao contexto de vida do autor e ao entorno. No caso do artista francês Debret, deixe clara a importância de, na apresentação, expor que ele chega ao Brasil em 1816, com a Missão Artística Francesa, para colaborar com a corte portuguesa. Em Terras brasileiras, Debret encontra inspiração para retratar o cotidiano das pessoas que aqui viviam e deixa uma vasta mostra de imagens que retratam o trabalho realizado pelos escravos, mostrando as dificuldades da vida rural. Na obra Vendedores de Capim e de Leite, por exemplo, é possível observar escravos, no início do século 19, que eram utilizados por seus donos para a venda de produtos produzidos no campo. Em todos os planos eles podem ser vistos saindo para mais um dia de vendas, carregando os produtos a serem vendidos.

Outro exemplo de apreciação e análise pode ser realizado com Almeida Junior. No final do século 19, ele é o primeiro artista brasileiro a mostrar o homem simples do campo, retratando a cultura caipira em uma tentativa de rompimento com os temas europeus, tão utilizados na época. Em seu trabalho, Almeida Junior exalta os costumes e a relação do homem com a terra, levando o observador a pensar sobre o nosso povo e conhecer nossas raízes caboclas. Na obra Caipira Picando Fumo, é possível observar um homem como a figura central, sentado próximo à porta de uma construção de pau a pique, com um olhar pensativo, gestos simples e desgaste nos pés e nas mãos. A face dele descansa sob o forte sol, para um ligeiro descanso da jornada de trabalho. Para explorar Portinari, uma sugestão é focar na obra Café. O artista sempre foi preocupado com a vida do trabalhador rural, talvez devido à influência sofrida durante seus primeiros anos de vida, vividos em uma fazenda na cidade de Brodósqui, no interior paulista. Na obra em questão, Portinari mostra os trabalhadores rurais na colheita do produto, convidando o observador a refletir sobre o difícil trabalho no campo, relacionando a força das mãos e pés do trabalhador com o plantar e o colher, misturando a terra aos corpos numa relação íntima de trabalho e respeito na conquista da terra. Lembre a turma de que o estudo deve ser um momento de apreciação e reconhecimento da importância do trabalho rural em diferentes momentos da história do Brasil. Deixe o Datashow à disposição para que eles elaborem o que mostrarão aos colegas.

4ª etapa 

Organize os grupos para realizarem as apresentações sobre cada artista e, ao final de cada exposição, proponha que a turma faça perguntas aos colegas e comente as obras analisadas por eles.

5ª etapa 

Retome a ideia de organizar uma exposição de fotos realizadas pelos estudantes sobre o trabalho e o trabalhador rural. Apresente aos alunos, com apoio de textos e imagens, uma aula expositiva sobre a história da fotografia e a fotografia no Brasil. Realize uma pesquisa prévia na internet para preparar a aula.

Site recomendado: Enciclopédia de Artes Visuais Itaú Cultural.
Solicite que, na aula seguinte, os alunos que possuírem câmeras digitais, levem o equipamento à escola.

6ª etapa 

Organize um momento para que os estudantes explorem os recursos disponíveis das câmeras e oriente o grupo a utilizá-las da melhor maneira possível a fim de obter boas fotos. Chame atenção para questões fundamentais, como a seleção da resolução das imagens: esse fator precisa ser adequado ao tamanho e à cor das fotos que se quer fazer.

Apresente também algumas imagens pré-selecionadas por você e discuta as opções dos autores em relação ao foco, enquadramento e à luz. É importante esclarecer à turma que nem toda foto desfocada, por exemplo, é uma foto ruim. Ela pode revelar uma maneira diferente de olhar para determinada coisa. Aborde também a questão da fotografia em preto e branco, suas peculiaridades e o que é preciso considerar para lançar mão dela. Nesse momento do projeto, se for possível, é válido convidar um fotógrafo profissional para conversar com os jovens sobre a técnica.

7ª etapa 

Prepare a turma para a realização de um laboratório de fotografia. Busque um lugar, de preferência próximo à escola que tenha a ver, de alguma maneira, com o trabalho e com o trabalhador rural, para que todos experimentem fotografar. O mercado de frutas, verduras e legumes da cidade, por exemplo, pode ser uma boa opção, tal como uma horta comunitária. Durante a saída, acompanhe os alunos e ajude-os a relacionar a teoria vista em sala com a prática. Observe as opções escolhidas por eles, questione a intenção de cada foto, faça comentários a respeito do enquadramento e de outros elementos técnicos. Estimule os jovens a fazer testes com o zoom e outros recursos.

8ª etapa 

De volta à escola, peça que os estudantes criem uma pasta com o nome no computador e disponibilizem as fotografias para que você possa analisá-las. Avalie o material de cada aluno e selecione algumas imagens para serem discutidas coletivamente. Tenha o cuidado de eleger fotos com características diversas, para que o debate seja rico. Durante a conversa, aborde elementos técnicos (foco, enquadramento, luz e afins) e também comente questões relacionadas à intencionalidade de quem fez a foto e as impressões provocadas por quem aprecia a imagem.

9ª etapa 

Peça que os alunos se dividam em duplas ou trios e pesquisem lugares que possam ir para fazer fotos para a exposição. Considere também a opção do trabalho individual. Lembre-os de que o importante é fotografar a relação do homem com o campo por meio do trabalho. Plantações, hortas particulares, jardins, estufas e criadouros são algumas das opções. Combine com a classe quantas fotos cada aluno, dupla ou trio, deverá apresentar de volta à escola.

10ª etapa 

Ajude cada aluno, dupla ou trio a selecionar uma ou duas imagens para a exposição. Feito isso, reúna a classe para discutir a opção de cada colega. Peça que os jovens colaborem, comentando suas impressões, e lembre-os da importância de escolher um título para cada imagem.

11ª etapa 

Providencie a ampliação das imagens selecionadas. Uma sugestão é escolher a opção "preto e branco", no tamanho de 20 x 30 centímetros, para melhor visualização do público. Para organizar a exposição, cuide para que todas as imagens tenham título e sejam acompanhadas do nome completo do autor. Peça que os alunos busquem lugares interessantes do bairro para realizar a exposição. Para além dos muros da escola, algum supermercado, por exemplo, pode ser uma opção interessante, pois geralmente é um espaço de grande circulação de pessoas.

12ª etapa 

Oriente a moçada a produzir um texto de apresentação da exposição, para comunicar o público a finalidade do trabalho e orientar a apreciação das fotos.

Produto final 
Exposição fotográfica sobre o trabalho e o trabalhador do campo.

Créditos: Vera Terrabuio Lucato Formação: Professora da EMEFEI Oscar Novakoski, em Dois Córregos, SP

Compartilhe este conteúdo: