Escrevendo memórias literárias

POR:
novaescola

Objetivo(s) 

- Favorecer o contato com as pessoas mais velhas e valorizar suas experiências;
- Resgatar as histórias familiares da oralidade por meio de entrevistas e transformá-las em textos de memórias literárias;
- Compreender o gênero memórias literárias com vistas à sua produção;
- Diferenciar esse gênero de outros como entrevista, biografia, relato histórico e diário;
- Aprender a planejar e revisar as produções textuais, atentando para ortografia, pontuação e organização das ideias;
- Estimular a autonomia e a escrita criativa dos alunos;
- Aprimorar a oralidade dos estudantes por meio da leitura expressiva dos textos produzidos.

Conteúdo(s) 

- Características do gênero memórias literárias;
- Conteúdos linguísticos: figuras de linguagem; linguagem verbal e não verbal; pronomes pessoais;  discurso direto e indireto;
- Gêneros relato histórico, biografia e diário;
- Leitura dramatizada;
- Ortografia;
- Pontuação;
- Fatores de textualidade (coesão, coerência e unidade textual).

Ano(s) 

Tempo estimado 

2 meses

Material necessário 

Livros de memórias como Memórias da Emília, de Monteiro Lobato, Esta Força Estranha, de Ana Maria Machado, Casa dos Braga: Memória de Infância, de Rubem Braga, e Transplante de Menina, de Tatiana Belinky.

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Apresentação do projeto e diagnóstico. Explique quais os objetivos, o que será aprendido e as etapas, em linhas gerais, dizendo também quais são os produtos finais esperados. Como primeiro passo, oriente os alunos a realizarem uma entrevista em sala com um colega. O tema é infância. Nessa primeira produção os alunos entram em contato com as dificuldades do gênero e você realiza um levantamento das necessidades da turma. 

2ª etapa 

Pesquisa para aproximar-se da história familiar. Proponha uma pesquisa sobre a árvore genealógica das famílias e a história dos sobrenomes dos alunos. Reserve um momento para que os estudantes compartilhem essas descobertas. 

3ª etapa 

Introdução e reconhecimento do gênero com base na leitura e comparação de contos de memória e outros gêneros próximos , como diários e relatos históricos. Para essa etapa, selecione textos do acervo da biblioteca escolar. Dê preferência a autores como Rubem Braga, Monteiro Lobato e Ana Maria Machado, e textos da coletânea oferecida pela Olimpíada de Língua Portuguesa. 

4ª etapa 

Preparação para elaboração da entrevista com avós. Selecione material específico (entrevistas impressas e vídeos) para que os alunos leiam e assistam a diferentes entrevistas e reconheçam as características essenciais do gênero. Depois, oriente a preparação de roteiros de perguntas e discuta em conjunto os procedimentos necessários para realizar uma boa entrevista. Estabeleça um prazo confortável para que os alunos captem a entrevista com os familiares ou pessoas mais velhas da comunidade. 

5ª etapa 

Retextualização: transformar a entrevista em um texto de memória literária. Diante das informações coletadas, os alunos precisam realizar uma edição do material para transformá-lo em um texto de memória, narrado em primeira pessoa. Essa etapa exige que eles lancem mão de uma série de estratégias importantes no processo de produção de textos, tais como eliminação, substituição e inserção de palavras, adequação da pontuação e organização das ideias dentro da narrativa. Vale a pena inserir dois momentos de revisão: um com seu auxílio, em intervenções registradas no texto e em bilhetes, e outra em dupla com um colega. Para isso, lance mão do roteiro de revisão. Com base nas necessidades especifícas do gênero, crie atividades para abordar aspectos linguísticos e textuais que sejam importantes para a construção do texto, tais como uso dos pronomes, o papel da descrição e reconhecimento da superestrutura do texto. Para exemplificar a característica literária das memórias, faça uma leitura conjunta do texto “Memória de livros”, de João Ubaldo Ribeiro, uma atividade sugerida pela Olimpíada de Língua Portuguesa. Em seguida, converse sobre a linguagem conotativa e as figuras de linguagem. Peça para que os alunos reparem que existem diferentes jeitos de se dizer a mesma coisa e estimule neles a necessidade de recriar as lembranças com as quais estão trabalhando dentro do universo literário, no qual ficção e realidade fundem-se.

6ª etapa 

Gravação da leitura dos textos. Faça aulas dedicadas à leitura em voz alta, também com participação dos colegas, e  oriente a criação de critérios para definir o que é uma boa leitura em voz alta. Se for possível, organize um encontro com um locutor de rádio que possa auxiliar na gravação dos textos em áudio para serem apresentados. Leve o convidado até a escola ou organize uma visita à rádio. Peça para que ele explique detalhadamente o processo de gravação e dê sugestões práticas acerca da locução dos textos e oriente a realização de exercícios vocais. Faça com que os alunos exercitem a leitura diversas vezes e escolham efeitos especiais – barulho da chuva, buzina de navio, etc. – para serem incorporados e enriquecerem as locuções. 

7ª etapa 

Encerramento e finalização do projeto. Posteriormente à gravação e edição dos áudios, envolva os alunos no planejamento de um evento de divulgação dos trabalhos. Juntamente com eles, organize os textos produzidos em uma coletânea impressa ou digital, para a apreciação de colegas, avós e outros familiares. Além disso, os áudios podem ser disponibilizados para que os presentes possam ouvi-los (por meio de fones de ouvido acoplados ao computador).  

Avaliação 

Acompanhe o progresso dos alunos por meio de uma avaliação formativa, processual e contínua. Isso quer dizer que os estudantes podem ser avaliados de maneira coletiva e individual ao longo de todas as aulas utilizadas para a execução das ações do projeto, não somente por meio dos conhecimentos adquiridos, mas também pelas habilidades demonstradas. Lance mão de instrumentos para avaliar as habilidades de leitura (questionários de leitura e interpretação de textos dos gêneros trabalhados), faça uma avaliação dos textos produzidos e suas diferentes versões e também avalie a leitura em voz alta utilizandos os critérios definidos em conjunto com a turma. Ao final do projeto, peça para que os alunos revejam seus registros e notem o quanto eles mesmos foram capazes de aprimorar seus textos e avançar na produção das memórias literárias. 

Créditos: Autor: Carlos Eduardo Canani Cargo: Educador Nota 10 de 2016. Créditos: Consultoria: Manuela Prado Cargo: professora de Língua Portuguesa do Colégio Santa Cruz e selecionadora do Prêmio Educador Nota 10.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias