Os alunos gritam, fazem fofocas e se ofendem. Como lidar com isso?

Incivilidade

POR:
NOVA ESCOLA
Telma Vinha. Foto: Marina Piedade E agora, Telma?

Telma Vinha é professora de Psicologia Educacional na Unicamp e tira dúvidas sobre comportamento.

Clique aqui para mandar a sua dúvida

Pergunta enviada por Andréa Martins, Vila Velha, ES

Pequenas agressões cotidianas, como ofensas, desordens e indelicadezas, são mais comuns nas escolas do que os delitos graves. São as incivilidades, que incomodam mais pela frequência e intensidade com que ocorrem do que por sua gravidade. Em certos casos, elas retardam e até impedem o aprendizado, contribuindo para o fracasso escolar. Também podem tornar tenso o clima em classe, o que favorece o aumento dos maus-tratos entre os alunos. Por isso, elas requerem intervenções que busquem tanto a boa convivência no grupo quanto a manutenção do contrato social de aprendizagem. Os professores devem discutir e estabelecer um consenso sobre que comportamentos consideram inadequados e como atuar de forma coerente, coordenada e coesa diante deles. É útil elaborar um quadro com as situações e as possíveis intervenções. Vale ressaltar que a relação que o docente tem com os estudantes pode favorecer ou atenuar o problema. Os alunos respondem melhor a posturas compreensivas e cooperativas do que autoritárias. Ofereça desafios e envolva todos na seleção, no planejamento e no desenvolvimento de conteúdos. Incentive-os a escutar uns aos outros e expressar suas opiniões, reconhecendo a validade das ideias deles. Mostre sua desaprovação às ofensas e aos abusos entre os alunos, mesmo se disfarçados de brincadeira. Discuta nas assembleias sobre como eles querem ser tratados e chegue a acordos que devem ser postos em prática, envolvendo-os no debate dos problemas de convívio da sala.

Compartilhe este conteúdo: