Editoriais de jornais - marcas linguísticas de locutor e interlocutor

POR:
novaescola

Objetivo(s) 

Refletir sobre acontecimentos locais, nacionais e internacionais
Estabelecer relações entre gêneros jornalísticos dentro de um jornal
Reconhecer marcas linguísticas de locutor e interlocutor em editoriais de jornal
Praticar a escrita de editoriais com diferentes registros linguísticos

Conteúdo(s) 

Variantes linguísticas
Gêneros jornalisticos

Ano(s) 

6º, 7º, 8º, 9º

Tempo estimado 

15 aulas

Material necessário 

- Jornais recentes, sendo que ao menos um deles tenha as notícias organizadas em cadernos, como os de grande circulação.
- Originais e cópias de notícias de jornais que sejam polêmicas e com temáticas próximas dos alunos.
- Originais e cópias de editoriais que tragam temáticas ao mesmo tempo polêmicas e próximas dos alunos, retirados de jornais que tenham públicos-alvo diferentes. Se possível, que sejam sobre um mesmo assunto.

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Preparação
Com uma semana de antecedência, peça aos alunos que acompanhem os noticiários e, durante esse período, estimule-os a reportar, na sala, as notícias que estejam vendo.

Ao iniciar as atividades em sala, convide os alunos para falar sobre os acontecimentos locais, do Brasil e do mundo, que os jornais publicaram como notícias ou reportagens. A ideia não será apenas buscar informações, mas também discutir os assuntos desses textos. Em seguida, mostre à sala os cadernos do jornal, chamando a atenção para seus títulos. Pergunte aos alunos quais notícias recentes, a partir dos noticiários que viram, poderiam ser publicados em cada editoria do jornal. Organize essas informações na lousa e peça para anotarem.

2ª etapa 

Leia para os alunos uma das notícias que você trouxe. Então, com perguntas como: "o que acham?" ou "quem é a favor disso?", promova um pequeno debate e ajude-os a perceber os temas que podem ser discutidos a partir daquela notícia. Mostre também que, quando discutimos um tema, começamos a tomar posicionamentos e a tentar defender nossas opiniões. Em seguida, apresente as outras notícias que você trouxe e, a partir do título de cada uma, discuta em qual dos cadernos de um jornal elas poderiam ter sido publicadas. Comente também, rapidamente, a presença de elementos como subtítulo, nome do autor do texto, foto e legenda, entre outros. Lembre-se que todas essas notícias devem ser mostradas em seus suportes originais, ou seja, a própria folha do jornal. Isso é importante para os alunos tomarem contato com a diagramação original do veículo, o que pode suscitar reflexões como o maior ou menor destaque dado à notícia, a presença de propagandas e as relações entre esses e outros elementos no corpo da página. Por motivos práticos, no entanto, a página pode ser cortada para a confecção das cópias.

Divida, então, a sala em grupos de 3 ou 4 alunos e divida as notícias entre eles. Depois de ler o texto, os grupos deverão fazer uma lista de temas que possam ser discutidos a partir daquela notícia e, além disso, formular o posicionamento do grupo com relação a um dos temas. No final, cada grupo apresenta para a sala sua notícia, os temas e os posicionamentos.

3ª etapa 

Explique aos alunos que os jornais também costumam ter uma parte dedicada a textos de opinião e que, entre eles, há os editoriais, que apresentam a opinião da empresa responsável pelo jornal. Mostre, em veículos diferentes, onde eles são publicados. Depois, distribua aos alunos cópias de dois editoriais de jornais que tenham públicos-alvo de diferentes níveis de renda, e que, se possível, sejam sobre um mesmo assunto. Peça para os alunos lerem e, depois, faça uma leitura compartilhada dos textos para levantar, com a turma, elementos como: de que notícia os editoriais tratam, que posicionamentos assumem e como os defendem.

Em seguida, pergunte aos estudantes se eles perceberam diferenças na escrita de cada um dos editoriais. Faça junto com a turma um levantamento dos recursos de linguagem presentes em cada texto, como: nível de formalidade das expressões e do vocabulário; uso de palavras mais técnicas, próprias do assunto tratado ou de termos mais populares; presença ou não de registro próximo da oralidade; uso de frases longas ou curtas. Crie um quadro com itens como esses, onde também apareçam exemplos de usos de cada um dos textos.

No caso dos editoriais, uma sugestão é apresentar como exemplos um do jornal Folha de S. Paulo e o outro do jornal Agora São Paulo. O interessante é perceber que ambos pertencem à mesma empresa, o Grupo Folha, o que pode permitir a discussão de questões a respeito da imagem que tem de seus interlocutores em cada jornal e sobre se há relação entre o posicionamento defendido no editorial de cada publicação e o público ao qual cada jornal se destina. Uma sugestão é analisar a cobertura da morte de Michael Jackson

4ª etapa 

Ajude a turma a perceber, também, as semelhanças entre os dois textos, como a ausência do nome do autor e de uso de primeira pessoa. Discuta essas características para buscar hipóteses que as justifiquem. Registre na lousa e peça que os alunos também anotem as conclusões a que chegaram. Traga para a sala outros exemplos de editoriais que possam comprovar as características percebidas.

5ª etapa 

Coloque, agora, os alunos na posição de redatores de editoriais de um jornal popular. Traga para a sala um editorial de um veículo voltado para um público mais escolarizado e peça-lhes que reescrevam o texto em versão popular. A atividade inversa também é possível.

Avaliação 

Além de observar o envolvimento dos alunos em todo o processo, revise os textos com atenção e verifique se os alunos assimilaram a estrutura do gênero e as marcas linguísticas que caracterizam sua produção levando em conta cada público leitor.

Créditos: Rogério Martins Muraro Formação: Professor da rede municipal de São Paulo e mestrando da Faculdade de Educação da USP

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias