Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Planos de Aula
02 de Setembro de 2017 Imprimir
5 4 3 2 1

Comparação entre paisagens

Por: novaescola

Objetivo(s) 

- Desenvolver habilidades de leitura da paisagem.
- Ampliar o conhecimento espacial em relação ao seu lugar.

Conteúdo(s) 

- Construção da leitura e da expressão sobre o lugar e sua dinâmica.
- O gênero descritivo e a paisagem.

Ano(s) 

6º, 7º, 8º, 9º

Tempo estimado 

Seis aulas.

Material necessário 

Caderno de campo, papel vegetal, máquina fotográfica, plantas e mapas do local e/ou internet para consulta de mapas e lápis preto.

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Forme grupos e distribua fotos antigas do seu município (campo ou cidade). Peça que os alunos identifiquem o lugar retratado e justifiquem sua resposta. Faça uma roda para que os grupos apresentem suas ideias, falem sobre as marcas do passado na paisagem atual e as possibilidades de ler por meio delas ações de sua dinâmica. Solicite a todos que construam um croqui (esboço) do lugar com pontos de referência e nomes (topônimos). Oriente-os a escrever legendas.

2ª etapa 

Avalie os dados e prepare um roteiro para a visita ao entorno da escola. Selecione fotos, textos e mapas do lugar para montar o caderno de campo, deixando espaços para anotações, desenhos e colagem das fotos feitas na visita. Chame a atenção para a dinâmica da paisagem em diferentes situações (num dia frio, ensolarado etc.). Faça uma oficina preparatória antes da saída a campo para discutir as formas de registro, como as fotografias.

3ª etapa 

No campo, peça que caminhem e observem o lugar. Solicite que representem a observação desenhando a lápis. Sugira que fechem os olhos e atentem para os odores, as sensações táteis e os sons do lugar, que serão descritas e diga que escolham um campo de observação para perceber detalhes, como a topografia, a vegetação e a fauna e, por fim, para fotografar o local escolhido em diferentes planos. O ideal é que façam pelo menos uma entrevista, conforme as oportunidades e os interesses que surgirem. Instrua-os a completar o caderno de campo.

4ª etapa 

Divida a turma em duplas. Peça que cada aluno escolha uma das fotos tiradas e explique que ele vai descrevê-la para que seu colega possa desenhá-la. Solicite que sigam os seguintes passos: sobrepor à foto um papel transparente e delimitar seus planos de profundidade; rever as anotações feitas sobre o lugar da foto; refletir sobre a escolha do local e da imagem; e escrever uma carta ao colega explicando suas escolhas. O texto deve descrever a foto com explicações sobre posição dos objetos, formas, cores, localização dos elementos em relação ao leitor (à sua direita, esquerda, acima, abaixo), aos seus planos (primeiro, médio e fundo) e campos (inteiro, parcial, detalhado). Proponha uma discussão sobre os textos.

5ª etapa 

Peça que cada estudante pesquise uma foto de paisagem que seja diferente do lugar do entorno estudado e a compare com as demais imagens produzidas por eles. Forme grupos e instrua-os a montar um quadro comparativo sobre as diferenças que encontraram entre os outros locais e o da escola. Faça uma roda para que eles apresentem seus quadros. Em seguida, ajude-os a decidir como e qual seria um lugar contrastante com o entorno da escola.

6ª etapa 

Proponha uma nova ida a campo, com coleta de dados de acordo com os critérios de contrastes e ligações afetivas levantados pelos alunos, o que permite estabelecer comparações com a primeira visita de campo.

Avaliação 

Solicite a construção de uma composição comparativa entre os lugares usando diferentes linguagens e formas de expressão: textos, imagens, mapas, croquis e avalie o resultado, atentando para a apropriação de conceitos geográficos.

Flexibilização 

Procure descrever as imagens trabalhadas na primeira etapa e proponha que o aluno, antecipadamente, entreviste um morador antigo do lugar, que possa falar sobre as mudanças na paisagem. Oriente o grupo a marcar pontos importantes do croqui usando cola de relevo ou barbantes para fazer os contornos, assim como alfinetes para demarcar os pontos de referência. O aluno deve produzir e ter acesso às legendas, aos registros e ao roteiro em braile. Com ajuda do AEE, ele pode trabalhar a fotografia em pinhole (veja como construir uma câmara escura com latas), já que distingue claro de escuro. Na 3ª etapa, ao invés de desenhar, proponha que ele faça uma produção escrita com as percepções que teve do local. Na etapa seguinte, em sala, faça com que o aluno com deficiência visual desenhe com materiais de relevo, com base nas descrições feitas pelo colega vidente. Amplie o tempo desta etapa, se necessário. A 5ª etapa também pode ser feita, desde o começo, em duplas ou em pequenos grupos, para que o aluno conte com o apoio dos colegas. Ele pode ser o responsável pelos registros e por descrever outras características do lugar diferente - como cheiro, 'texturas' e temperatura, por exemplo.

Deficiências 

Visual

Créditos: Iara Castellani Formação: Psicopedagoga com especialização no ensino de Geografia.

Tenha acesso a conteúdos e serviços exclusivos
Cadastre-se agora gratuitamente
Cadastrar