Como são feitos os bebês?

POR:
novaescola

Objetivo(s) 

- Iniciar a discussão sobre o tema da sexualidade humana, destacando seus aspectos biológicos, sociais e afetivos.

Conteúdo

Sexualidade humana

Ano(s) 

1º, 2º, 3º, 4º, 5º

Tempo estimado 

Cinco aulas.

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Cartolinas de cor clara, giz de cera, folhas de papel celofane, pedaços de barbante com 40 centímetros de comprimento cada um, copo, cola, tesoura sem ponta, relógio e material de pesquisa (livros, revistas e sites pré-selecionados por você).

Peça os alunos que, na próxima aula, tragam de casa fotografias da família em que os irmãos, os pais e outros parentes apareçam com diferentes idades (as crianças devem escrever o nome delas no verso de cada foto). Para consulta dos alunos em sala, você também deve selecionar com antecedência alguns livros que tratem de sexualidade e sejam bem ilustrados.

Converse com a turma sobre as mudanças que ocorreram com a gente à medida que a idade avança. Enquanto isso, escreva no quadro as alterações corporais que os alunos forem citando. Em seguida, divida-os em grupo de quatro ou cinco e peça que organizem as fotografias trazidas de casa em ordem cronológica. Feito isso, os integrantes de cada grupo devem discutir entre eles as mudanças observadas nas suas fotos e nas dos colegas. Estimule-os a pensar sobre as razões dessas mudanças e em como o corpo de cada um estará nos próximos anos. Cabe a você encaminhar a discussão para as alterações físicas provocadas pela puberdade. Listeas no quadro também e não tenha medo de usar termos desconhecidos pelos alunos. Essa é uma oportunidade para ampliação de vocabulário e apropriação de linguagem científica. Aproveite para explicar as diferenças entre características sexuais primárias (relacionadas ao aparelho reprodutor) e secundárias (ligadas à produção de hormônios a partir da puberdade). Distribua os livros que você préselecionou e deixe que as crianças consultem suas ilustrações, relacionandoas ao que foi discutido em sala até aqui.

2ª etapa 

Agora você vai discutir com os alunos as diferenças entre os sexos masculino e feminino, tanto do ponto de vista físico quanto do social. Peça que eles façam um exercício de "faz de conta", imaginando que ainda estão na barriga da mãe, prestes a nascer. Detalhe: os meninos precisam imaginar que vão nascer meninas e vice-versa. As crianças vão achar graça e fazer piadas. Passada a descontração inicial, informe que elas deverão anotar em uma folha o tipo de atividade que fariam se pertencessem ao sexo oposto. Recolha as folhas e organize em um quadro os comentários sob os seguintes títulos: "Coisas que meninos fazem" e "Coisas que meninas fazem". Estimulando-as a notar que certos itens, embora estejam em uma coluna, poderiam estar nas duas. A discussão pode tomar muitos caminhos. Cabe a você mediar a conversa de modo que os estudantes percebam que, além de diferenças biológicas, há também diferenças sociais ou culturais entre os sexos.

3ª etapa 

Pergunte: "Como são feitos os bebês?". Peça que os alunos discutam entre si e tentem formular hipóteses que expliquem como um bebê vai parar na barriga da mãe. O produto dessa discussão deve ser um desenho feito individualmente. Exponha a produção na sala, torne a formar grupos e incentive-os a debater as diferentes hipóteses construídas. Enquanto eles debatem, pergunte se sabem o que são espermatozóides e óvulos. Deixe-os consultar os livros ilustrados e preveja o tempo necessário para que todos cheguem às conclusões esperadas.

4ª etapa 

Peça que os alunos escrevam em pedaços de papel não identificados uma ou mais dúvidas que tenham sobre os temas abordados nas etapas anteriores. Cada aluno deve dobrar o papel com a pergunta e colocá-lo dentro de uma bexiga. Depois de enchido o balão, forme um círculo com a turma e estoure-o no centro da roda. Em seguida, recolha os papeizinhos. Compartilhe com os alunos as questões e selecione algumas para as crianças discutirem. Se achar conveniente, você pode requisitar nesta etapa a presença em sala de aula de um especialista ou de um professor mais experiente que você nas questões de sexualidade. Faça um convite, por exemplo, a um psicólogo ou um psicopedagogo. Explique às crianças que, devido ao grande número de perguntas, vocês poderão voltar às questões feitas por eles em outras oportunidades no decorrer do ano letivo.

Avaliação 

Peça aos alunos que elaborem uma redação sobre o tema "Como são feitos os bebês". Esse texto servirá como avaliação individual (lembrese de que não existe um texto a ser considerado correto), mas também permitirá que você tenha uma ideia do desenvolvimento alcançado pela turma em relação ao tema. Analise também a participacão das crianças nas atividades de classe e em grupo.

Flexibilização 

Para trabalhar com alunos com deficiência intelectual, na 1ª etapa, oriente-o quanto à postura que se espera dele, deixando claro que a situação não passa de uma brincadeira. Se houver resistência, atribua-lhe uma tarefa (ser o observador do grupo, por exemplo) e tente fazer com que ele participe mais nas etapas seguintes. Na terceira etapa, você pode criar uma dupla para o aluno com deficiência, colocando-o com um colega sociável e que tenha mais conhecimentos sobre o tema.

Deficiências 

Intelectual

Créditos: Patricia Borges Pita Formação: Bióloga, doutora e mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP).

Compartilhe este conteúdo: