Cartola: música popular na escola

POR:
novaescola

Objetivo(s) 

- Refletir sobre a qualidade da música que é consumida hoje pela maioria da população.
- Pesquisar nomes consagrados da Música Popular Brasileira, tais como Cartola (1908-1980), Noel Rosa (1910-1937), Pixinguinha (1897-1973), Chico Buarque, dentre outros.
- Ampliar o repertório musical com obras de Cartola.
- Tocar as músicas de Cartola em um instrumento.
- Praticar música em grupo.

Conteúdo(s) 

- Música Popular Brasileira: samba.
- Apreciação Musical.
- Leitura de cifra e tablatura.
- Prática musical individual e em grupo.

 

Alunos do professor Alessandro Branco aprendem as músicas de Cartola em instrumentos musicais. Foto: Marco Monteiro

Ano(s) 

6º, 7º, 8º, 9º

Tempo estimado 

Seis meses a um ano (dependendo do estágio em que os alunos se encontram nos instrumentos musicais)

Material necessário 

- Aparelho de som, data-show para exibição de imagens e trechos dos documentários.
- Violão, Cavaquinho, instrumentos de percussão tais como: pandeiro, timba, chocalho e tamborim.
- Estantes para partituras.
- Letras das músicas “As Rosas Não Falam”, “Corra e Olha o Céu” e “O Sol Nascerá” de Cartola. As músicas “Corra e Olha o Céu” e “O Sol Nascerá” encontram-se no disco Cartola (1974), lançado em CD pela EMI Brasil e “As Rosas Não Falam” foi lançada no segundo disco do Cartola, em 1976, pela gravadora Discos Marcos Pereira.

Para as etapas de pesquisa e de apreciação musical:
- Cópias da reportagem “Do fundo de Cartola”, de Marcelo Bortoloti (Veja edição 2256 de 15 de fevereiro de 2012) para todos os alunos.
- O filme “Cartola – música para os olhos”, documentário dirigido por Lírio Ferreira e Hilton Lacerda, em 2007, que conta a trajetória do compositor, e está disponível em DVD, lançado pela Europa Filmes.
- O livro “Cartola”, de Mônica Ramalho, faz parte da série Mestres da Música no Brasil, e é dirigido ao público infanto-juvenil (Editora Moderna, 2004).
- O livro “Cartola – Crianças famosas”, de Angelo Bonito e Edinha Diniz (Editora Callis, 2004).
- O livro “Almanaque do Samba”, de André Diniz, é fonte importante para se conhecer as referências bibliográficas, iconográficas e musicais da formação da música brasileira, entre os séculos 19 e 20 (Editora Jorge Zahar, 2006).
- O programa Ensaio MPB Especial de 1973, “Cartola e Dona Zica”, produzido pela TV Cultura, com direção de Fernando Faro. Disponível aqui.

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Antes de começar o trabalho com os alunos pesquise as principais características do gênero musical samba: suas origens que remontam à África; as origens estilísticas: maxixe, lundu, batucada, jongo, modinha e choro; os instrumentos típicos desse gênero: violão, cavaquinho, pandeiro, surdo, tamborim, e, em alguns casos, instrumentos de sopro; a importância desse gênero para a cultura popular brasileira, principalmente em alguns estados brasileiros como o da Bahia, que é considerado o berço do samba, assim como o Rio de Janeiro, onde o samba chegou na segunda metade do século 19 se desenvolvendo e ganhando popularidade no resto do país. O samba de São Paulo também deve ser pesquisado pela sua grande relevância no cenário nacional.

Depois de pesquisar sobre o samba e suas principais características, assista às entrevistas e documentários sobre a vida e a obra de Cartola; ouça as músicas e dê atenção especial às letras, que serão objeto de análise dos alunos durante o trabalho.

É importante estar familiarizado com os sistemas de tablatura e de cifras, para a etapa de prática instrumental. A tablatura é um sistema numérico de leitura, que pode ser de dois tipos: com ou sem gráfico. A sugestão é que seja usado o sistema sem gráfico, que é de mais fácil assimilação pelos alunos. O sistema de cifras, mais conhecido, consiste no uso de letras e símbolos para indicar os acordes e é amplamente utilizado para se aprender violão.

Análise de uma música de Cartola e apreciação musical
Comece perguntando aos alunos que tipo de música eles costumam ouvir. Com base nas respostas, questione a turma se conhecem o samba e explique que vocês irão analisar a letra de uma música de um dos principais compositores brasileiros do gênero, o Cartola. Duas boas sugestões de letras para esta etapa são as das músicas “As Rosas Não Falam” e “O Mundo é um Moinho”.

Em seguida, distribua a letra da música para os alunos e proponha a leitura coletiva. Depois da reflexão sobre o conteúdo poético da letra de um dos sambas de Cartola, apresente aos alunos alguns discos do artista para que eles possam familiarizar-se com as melodias, com as letras, e com o ritmo contagiante. Pergunte quais músicas agradam mais, e escolha junto da turma um repertório de duas a quatro músicas, para serem trabalhadas durante o projeto. O objetivo é preparar o aluno para a etapa em que ele irá aprender a tocar as músicas no seu instrumento de estudo e também fazer com que ele conheça o repertório de Cartola.

2ª etapa 

Contextualização histórica
Para que os alunos conheçam mais sobre a vida e a trajetória musical de Cartola trabalhe trechos dos livros Cartola – Mestres da música no Brasil (Monica Ramalho, Ed. Moderna); e Cartola – Crianças Famosas (Angelo Bonito e Edinha Diniz, Ed. Callis). A turma pode assistir, também, a entrevistas, a filmes e a trechos de documentários sobre Cartola. Conte à turma mais sobre a vida do compositor e seu reconhecimento tardio. A reportagem de

Veja também pode ser útil nesta etapa do projeto. Distribua cópias aos alunos e proponha a leitura compartilhada dos textos, seguida de uma discussão orientada por você.

Outra sugestão é construir com a turma um roteiro de perguntas sobre o sambista e propor aos alunos que entrevistem familiares e funcionários da escola a respeito do que todos conhecem sobre o compositor. O envolvimento de toda a escola é muito importante para o sucesso do projeto.

3ª etapa 

Prática musical
Agora que os alunos já analisaram a letra, já ouviram as músicas e já conhecem mais sobre a vida e a obra de Cartola, é hora de aprender a tocar as músicas do sambista em um instrumento musical.

Privilegie o fazer musical na prática (não estamos querendo formar músicos profissionais com este projeto, mas apreciadores e conhecedores da música) e comece distribuindo os instrumentos pela sala. Deixe que os alunos os experimentem livremente durante uma aula. Explique a todos que o objetivo é que cada um escolha seu instrumento de estudo para as próximas aulas.

Para enriquecer o trabalho e dar a todos as noções elementares dos ritmos que caracterizam o samba, proponha que todos executem quatro sequências rítmicas preparadas por você nos instrumentos de percussão. Escreva a notação musical e apresente a todos os alunos. Com isso, os alunos vão aprender um dos conceitos fundamentais da música, que é o de ritmo.

Para os instrumentos de cordas (cavaquinho e violão), busque em sites como o CifraClub (http://www.cifraclub.com.br/cartola/) ou transcreva as melodias das músicas de Cartola que foram escolhidas durante a etapa de apreciação musical para os formatos de tablatura e de cifras – que são as notações musicais mais utilizadas para esses instrumentos. Posicione os alunos – cada um com o instrumento que escolheu na aula anterior – no espaço reservado para as aulas de música da sua escola, de preferência um espaço amplo (pode ser o pátio da escola, por exemplo), observando certa distância entre os alunos para que um não atrapalhe o outro. Depois, distribua as partes (tablatura e cifras) das músicas escolhidas para cada um. Caso não tenha instrumentos para todos os alunos, agrupe-os e proponha que estudem coletivamente.

Como o sistema de tablatura não indica o ritmo da melodia, apenas a localização das notas, é necessário tocar as músicas para que os alunos assimilem “de ouvido” o ritmo da melodia que está sendo estudada. À medida que os alunos de cordas vão estudando suas partes, transite entre eles e vá tirando as dúvidas e tocando junto com aqueles que já conseguem tocar algum trecho da música.

Reserve um espaço na sala de aula para os alunos que escolheram instrumentos de percussão (pandeiro, timba, chocalho, tamborim etc.), para que eles possam estudar, também individualmente, o seu instrumento; ensine o ritmo do samba para cada aluno no seu instrumento de estudo e também vá monitorando, tirando as dúvidas e tocando junto.

Assim que perceber que alguns alunos, tanto dos instrumentos de cordas quanto dos instrumentos de percussão, já conseguem tocar pelo menos uma música, dê início aos ensaios coletivos, onde serão feitos os ajustes finais dos arranjos das músicas, como o acerto da dinâmica, as introduções e finalizações de cada uma das músicas etc. Você será o “maestro”, que vai conduzir todos os alunos e tocar junto deles sempre que necessário, para que aprimorem o conhecimento sobre as melodias e a leitura dos sistemas de escrita musical.

Avaliação 

Por meio das conversas com a turma e das atividades de prática musical, observe se os alunos conseguiram compreender os principais conceitos trabalhados durante o projeto, como a presença de conteúdo poético nas letras das músicas de Cartola; a biografia do sambista e a importância de sua obra para a cultura popular brasileira; a leitura de cifras e tablatura; a importância da apreciação musical e da pesquisa musical, como forma de fugir da massificação cultural. Analise, também, o desempenho de cada aluno em seu instrumento de estudo e busque orientar a turma para que todos aprimorem sua técnica instrumental cada vez mais. Produto final Apresentação musical de duas a quatro músicas de Cartola para toda a comunidade escolar.

Créditos: Alessandro de Oliveira Branco Formação: Professor de Música na Escola Municipal de Tempo Integral José Carlos Pimenta, em Goiânia, e vencedor do Prêmio Victor Civita Educador Nota 10 em 2012.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias