Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Brincadeira: a amarelinha do caco

POR:
novaescola

Objetivo(s) 

Desenvolver a consciência corporal, a capacidade de saltar num pé só, girar e equilibrar-se.
Estimular a combinação de regras.

Conteúdo(s) 

Consciência corporal

Ano(s)

1º ano

Ano(s) 

Pré-escola

Tempo estimado 

Livre

Material necessário 

Um caco de telha ou uma pedra pequena (aproximadamente de 5 cm x 5 cm) e um giz branco.

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Quem conhece o jogo de amarelinha? Proponha à turma uma brincadeira que se parece com ele até no nome: amarelinha do caco. Peça a um voluntário que faça com o giz um quadrado no chão. Não estipule uma metragem: permita que os pequenos encontrem o tamanho ideal. Feito o quadrado, ele precisa ser riscado e numerado de acordo com o esquema abaixo (veja as regrasabaixo).

2ª etapa 

Quando a turma já tiver dominado a tarefa de atravessar o tabuleiro chutando a pedrinha ou o caco pulando num pé só, estimule variações: primeiro, pular com o caco equilibrado na palma da mão; depois, com ele sobre os dedos formando um copinho; por fim, colocando-o atrás do joelho dobrado. Incentive que as crianças sugiram modificações.

Avaliação 

Atente para a capacidade de interação de cada criança e o desenvolvimento do equilíbrio e da capacidade de salto e giro nos vários níveis de dificuldade oferecidos. Use essas observações para propor variações do jogo ou novas brincadeiras.   Ilustração: Rubens Paiva Como é o jogo  1. Os pequenos definem no par-ou-ímpar quem começa. O primeiro jogador fica fora do desenho e deve atirar a pedrinha ou o caco no quadrado. 2. Pulando num pé, a criança precisa ir chutando o caco da casa 1 para a 2. Depois, para a 3, a 4 e a 5. O jogo acaba com ela voltando para a casa 1. 3. O "céu" é uma área válida quando jogador e caco estiverem na casa 4: a criança pula no céu e pode colocar os dois pés no chão para descansar um pouco. 4. Se chutar o caco para fora do desenho ou para uma casa errada, ou se deixá-lo cair em cima da linha, o jogador passa a vez para outro.

Créditos: Adriana Klisys Formação: Consultora da Caleidoscópio Brincadeira e Arte, em São Paulo Créditos: Ednéia Cristina Lopes Moreira Formação: Professora do Centro Comunitário Dom Bosco, em Minas Novas Créditos: Renata Meirelles Formação: Educadora e pesquisadora de brinquedos e brincadeiras, em São Paulo

Compartilhe este conteúdo: