Basquete o jogo

POR:
professor

Objetivo(s) 

- Aprender fundamentos práticos e teóricos do basquete.

Conteúdo(s) 

- História e regras da modalidade.

- Princípios técnicos e táticos do basquete.
 

 

Ano(s) 

7º, 8º, 9º

Tempo estimado 

oito aulas

Material necessário 

Os materiais utilizados durante as aulas serão: Data Show, Sala de Aula, Quadra Poliesportiva, Bolas diversas, materiais adaptados para atividades nas aulas práticas, durante as aulas o apelo para a motivação dos estudantes será trabalhada através de conversas, vídeos e atividades lúdicas. Esta ação visa melhorar o aproveitamento escolar e crescimento pessoal dos mesmos.

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Inicie avaliando os conhecimentos da turma. Quem assiste a partidas na TV ou em ginásio? Qual o objetivo do jogo? Quais regras são conhecidas? Que tipo de contato pode ser feito com o adversário? Como a bola é conduzida? 

2ª etapa 

Faça a leitura coletiva do texto e, enfatize que o esporte nasceu para desenvolver a agilidade e a resistência, esclareça dúvidas e analise com os alunos o posicionamento e as características dos jogadores. Levante questões: jogadores baixos podem atuar como pivôs? Ou mesmo como alas? E os altões, podem ser armadores? Destaque a rígida relação entre o domínio de fundamentos e a posição em quadra: armadores devem driblar, alas têm de arremessar de média e longa distâncias e pivôs precisam disputar rebotes e arremessar de curta distância. Peça que cada um monte uma lista e distribua os colegas, meninos e meninas, nas posições. Eles devem levar em conta a estatura, a velocidade, a agilidade e a habilidade dos colegas. 

3ª etapa 

Drible: divida a turma na quadra e dê bolas para uma parte dos estudantes. Os que estiverem com elas devem controlá-las, driblando em um espaço combinado, enquanto os demais tentarão roubá-las. Quem perder a posse ou sair do espaço delimitado cede a bola. Estipule um tempo máximo de posse e vá trocando a função. 

4ª etapa 

Jogo dos passes: divida a turma em duas equipes e entregue a elas uma bola, para que o passe seja uma alternativa mais eficiente. Reforce que a regra não permite andar com a bola na mão - o pé de apoio tem de ficar imóvel. O objetivo é que a bola seja passada entre os companheiros de equipe para tentar uma cesta, como num jogo. Após o arremesso ou em caso de perda da posse, as equipes trocam de lugar. 

5ª etapa 

Arremessos: perfile a turma na linha de lance livre e explique a mecânica dos arremessos.
1) Com uma das mãos - Partindo da posição fundamental, com o peso do corpo na perna da frente e a bola na altura do peito, o jogador flexiona as pernas simultaneamente à elevação da bola acima da cabeça com ambas as mãos, sendo que uma determina a direção e a outra a impulsão.
2) De bandeja - Arremesso feito em movimento em direção à cesta. 
3) Jump - O jogador dribla em direção à cesta e para numa posição de equilíbrio, flexiona as pernas, salta, elevando a bola acima e à frente da cabeça com ambas as mãos, e executa o arremesso no momento mais alto do pulo. Divida os estudantes em quatro grupos e coloque três deles para praticar os arremessos. O último vai disputar o rebote. Alterne as posições para que todos executem as diferentes tarefas.

Avaliação 

Na parte teórica o envolvimento do aluno com o conteúdo exposto, demonstrando interesse e esforço para o aprendizado, com a aquisição do material transmitido pelo professor corrobora com a apreensão do que é ensinado. A avaliação nas aulas práticas será Formativa, buscando avaliar o aluno em aspectos atitudinais, conceituais e procedimentais. Envolvimento do aluno, participação, colaboração nas atividades propostas, evolução própria, perseverança, respeito com os demais e uso de material adequado para prática esportiva serão pontos a serem avaliados.   OBSERVAÇÕES Aulas práticas poderão ser substituídas por teóricas, aulas com perguntas e respostas de diversos assuntos do universo da Educação Física além de jogos educativos que a escola dispõe visando o aprimoramento cognitivo e social, por motivos como: pouco número de alunos com material adequado para prática esportiva e condições climáticas que possam causar riscos a saúde dos estudantes (baixa umidade relativa do ar, calor ou frio extremo etc.) e outros casos excepcionais. Os estudantes só poderão participar com devido material para prática esportiva. Também é de suma importância que relatem problemas momentâneos na ordem da saúde ou de alguma enfermidade que possam se agravar ou trouxer riscos para sua integridade, como forma de segurança para a prática de atividade física nas aulas.

Créditos: Fabiana Pinheiro Formação: Bacharel em Esporte pela Universidade de São Paulo (USP).

Compartilhe este conteúdo: