Aprendendo com a Arte Contemporânea e as tecnologias

POR:
professor

Objetivo(s) 

Ampliar as possibilidades expressivas e reflexivas no processo de construção da imagem contemporânea.

Conteúdo(s) 

Textos sobre Arte contemporânea

Textos sobre vida e obra de artistas contemporâneos brasileiros

Obras famosas desses artistas 

Ano(s) 

Tempo estimado 

6 aulas

Material necessário 

Um computador com scanner e software de edição de imagens, uma câmera digital (ou câmera de celular), uma impressora colorida, tesouras, estiletes, cola branca, cola colorida, canetas diversas, um retroprojetor, papel, transparências para impressão, canetas de retroprojetor, papeis coloridos diversos, revistas diversas, folhetos e flyers de distribuição gratuita, fotos antigas ou de família, obra de arte Movimento(1951)  de Waldemar Cordeiro.

Desenvolvimento 

1ª etapa 

 o desenvolvimento estético vem avançando a cada dia, sempre surge um novo programa e facilita a criação do artista. Podemos usar diversos materiais para criar, usando o computador  o ser humano pode realizar suas ideias e falar do que precisa, acrescentar ou tirar elementos de uma figura, de uma fotografia, ou mesmo de uma imagem de obras de arte.

Mas o computador não trabalha sozinho. Não exise  tecnologia que substitui  o projeto, o desenho, é aí onde entra o artista, esse sim irá desenvolver a arte e com a ferramenta maravilhosa que é o computador, conseguirá obter resultados excelente.

 

Na aula é de suma importância colocar para o educando diversas maneiras de expressar sua ideias interagindo com os outros  para que amplie suas capacidades comunicativas e descubra suas maneiras  para usufruir de toda essa tecnologia.

Será no dialogo entre as linguagens, que cada um irá se aprofundar no funcionamento das dinâmicas de composição da imagem a partir de suas próprias necessidades expressivas.

É muito importante colocar os alunos em constante estado de atenção e reflexão sobre as formas de utilização da imagem na sociedade contemporânea, tanto em relação àquelas produzidas com intenção artística, como todas as que os meios de comunicação se apóiam para passar suas mensagens.

As imagens que cada vez mais ganham lugar de destaque nas mídias de massa compõem um universo de elementos que passamos a referenciar para transmitir nossos desejos, projetos e medos. O que vemos é uma profunda padronização do aspecto formal no arranjo desses pedaços. Pessoas e lugares aparecem nas composições artísticas e comerciais, como se existisse apenas um caminho de comunicação. Apenas um padrão estético.

Corpos "photoshopados", resoluções infinitas em gigantescos outdoors, avanços técnicos na produção gráfica e, principalmente, a velocidade de propagação das imagens fazem com que se abram novas possibilidades de expressão e uma necessidade de estabelecer uma educação estética que englobe estes aspectos contemporâneos de elaboração de formas visuais.

É interessante levar essa discussão para a sala de aula, apresentando aos alunos propostas de atividades que utilizem mídias eletrônicas e/ou digitais.


Colagem, fotografia, edição digital, comunicação visual e poética pessoal

 
Desde o início do projeto, os alunos devem se sentir pesquisadores de um universo visual que irá envolver tanto aspectos da linguagem plástica como questões ligadas ao comportamento humano.

Na primeira aula, você deve apresentar à classe vários tipos de imagens que costumamos ver em nosso cotidiano, como pranchas com obras de artistas renomados, recortes de revista, panfletos distribuídos na rua, fotos de família etc. Se for possível, coloque todas essas imagens em um mesmo suporte, como uma cartolina preta, por exemplo.

Apresente aos alunos todas as imagens e, em seguida, inicie uma discussão com as seguintes perguntas:
- Qual a diferença entre as imagens?
- O que cada uma quer comunicar?
- Como foi feita cada uma delas?
- Por quem foram feitas?
- Para que serve uma imagem?

Os alunos devem expor suas opiniões livremente. É importante criar um clima de respeito entre eles. Qualquer hipótese levantada, por mais absurda que possa parecer, não pode ser descartada. Direcione o olhar dos estudantes para questões formais ligadas à composição e às técnicas utilizadas. Pergunte como cada um interpreta os diversos elementos presentes nas imagens e como dialogam uns com os outros.

Depois apresente a fonte de cada imagem e abra a discussão, levantando relações entre como percebemos e interpretamos os estímulos visuais a nossa volta.

Como tarefa para a próxima aula, peça para cada aluno trazer pelo menos três imagens de fontes diferentes, que possam ser utilizadas nos trabalhos em classe.

OBS: as fotos de família que não puderem ser recortadas podem ser copiadas ou escaneadas.

2ª etapa 


 

O objetivo desta etapa é tentar re-significar os elementos presentes em diferentes imagens, recortando cada pedaço das figuras trazidas pelos alunos (você também deve providenciar outras fontes para aqueles que precisarem de mais formas). A ideia é que cada aluno construa uma nova imagem relacionada à sua personalidade, aos seus desejos e medos. O estudante poderá fazer a colagem dos elementos em um novo suporte ou em um fundo com outra imagem. Nesta fase, apresente técnicas de recorte com tesoura e estilete para garantir uma boa utilização das imagens. Se possível, crie um banco de elementos visuais que podem ser separados em pequenas caixas ou pastas para servirem de referência e de recurso gráfico.

3ª etapa 

Aula digital: Levarei os alunos para a sala de internet, onde apresentarei os programas e software de edição.

 
 Os alunos irão digitalizar a montagem de sua imagem.

Eles deverão fotografá-las ou escaneá-las no computador.

Cada computador possui um assistente para este tipo de trabalho variam de acordo com suas configurações. Caberá  ao aluno explorar o software previamente a fim de se familiarizar com os procedimentos técnicos.

Normalmente, esses programas são bem simples e é possível descobrir muitas possibilidades explorando suas opções.

O mais relevante é indicar como procedimento básico a resolução em que será fotografada ou escaneada a imagem. No caso de foto, o arquivo deve ter no mínimo 3 megabytes e no scanner, 300dpi.

Salve os arquivos em uma pasta do computador. Em seguida, os alunos deverão abri-los em um software de edição de imagem (pode ser comprado, mas há versões gratuitas na internet). 

Os alunos poderão usufruir de algumas ferramentas, como: Imagem, efeito e camada.

Utilizará o software muito bem após algumas explicações do programa, tem muitos recursos.

Os alunos irão fazer e refazer suas obras até que finalize de acordo com a ideia principal, pois ao errar ele aprende a consertar e modificar a figura para que tenha o acabamento esperado.

4ª etapa 


Depois da etapa de exploração dos recursos básicos do software, cada aluno deverá definir uma imagem a ser impressa nesta aula serão imagens baseadas na obra movimento de Waldemar Cordeiro(1925-1973).

Se a escola tiver papéis com uma gramatura alta, as possibilidades de intervenção serão maiores. Este tipo de papel aguenta tinta e outros materiais a base de água. Mas é possível também utilizar papel sulfite.

Cada aluno irá imprimir uma ou mais cópias do seu arquivo e, a partir daí, poder realizar intervenções com canetas, papéis e outros materiais para elaborar a sua imagem inspirada na obra do artista contemporâneo Waldemar Cordeiro(1925-1973)

O  momento criativo é muito importante também para fruir os trabalhos em grupo, onde cada estudante deverá relatar ao grupo seus caminhos, suas dificuldades e descobertas. 


 

5ª etapa 


Nesta etapa do projeto, cada aluno deverá digitalizar sua imagem novamente na maior resolução que o equipamento da escola suportar. Serão feitos ajustes necessários para a finalização das imagens. 

 Imprima o arquivo final em um papel de transparência especial para impressão.

 


 

 

6ª etapa 


Na etapa final, tendo um olhar diferenciado, com outra perspectiva para cada composição.

Numa sala escurecida, use um retroprojetor para que cada aluno possa colocar sua transparência e visualizar sua imagem em outra dimensão.

Os alunos poderão sobrepor suas transparências, criando assim novas imagens que servirão de material para novas reflexões.

O professor pode tirar fotos destas explorações ou também colocar um papel preso na parede em que esta sendo projetada a imagem podendo serem  criados trabalhos em grandes dimensões, desenhando os limites projetados pelo retroprojetor.

O professor pode ter um arquivo de ícones e imagens em transparência para provocar intervenções e discussões sobre a construção e a composição da imagem contemporânea.

 

Avaliação 

A avaliação é muito importante, farei essa avaliação  individual, Irei observar cada aluno, registrando e intervindo com ações que ofereçam à classe recursos para a conscientização dos processos criativos. Ao terminar esa parte  do projeto, pedirei que os alunos façam uma roda de conversa, onde cada um deve, expor os seus trabalhos apresentando para a classe seus pontos principais de forma curta para que seja feita a apresentação de todos os trabalhos, esses trabalhos serão expostos para a comiunidades e uma autoavaliação de seu desenvolvimento na proposta.     1) Você alcançou sua ideia principal? 2) De que maneira a  ferramenta utizada ajudou na elaboração de sua ideia? 3) Você notou diferenças nas imagens antigas e nas imagens construidas com essa tecnologia? 4) Avalie a imagem  "movimento de Waldemar Cordeiro (1925-1973) modificada por você ruim        bom       excelente

Créditos: Marcelo Poletto Formação: Professor de Arte dos colégios Oswald de Andrade e Santa Cruz

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias