Análise de imagens oficiais: as marcas do governo brasileiro

POR:
novaescola

Objetivo(s) 

  • Analisar como a política é construída com base em representações iconográficas.
  • Refletir sobre as diferentes construções da identidade nacional em momentos distintos da história brasileira. 

Conteúdo(s) 

  • História política recente do Brasil; 
  • Símbolos nacionais tradicionais (a partir do século 19);
  • Elementos da Era Collor (1990 -1992) até o período do governo em vigência.

Ano(s) 

Tempo estimado 

6 aulas

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Apresente aos alunos as imagens abaixo:
 

 

 

 

 


 

Coloque as seguintes perguntas para a classe: O que são estas imagens? O que elas possuem em comum? Quem as elaborou? Em que contexto elas aparecem? Vocês conhecem outras semelhantes?

Esta etapa tem como objetivo refletir sobre como os diferentes governos adotaram a política de criar símbolos e lemas oficiais paralelos aos símbolos tradicionais do Estado. Dependendo da cidade em que você está, pode ser interessante também olhar para símbolos criados pela prefeitura e como eles são modificados em placas e monumentos quando há troca de governo.

Em grupos, peça que os alunos coloquem as imagens do governo brasileiro em ordem cronológica e identifiquem quais os presidentes à frente de cada proposta. Solicite, também, que eles listem quais temas e símbolos presentes nas imagens eles conseguem identificar.

Reserve algum tempo para que as equipes compartilhem suas conclusões. Caso ninguém comente, destaque que algumas imagens são fáceis de organizar cronologicamente por apresentarem identidades visuais mais simples e menos detalhadas. Entretanto, a maior parte delas possui os mesmos temas e cores, sempre mantendo referências à bandeira nacional.

Mostre a sequência correta (abaixo). Discuta os eventuais equívocos cometidos pelos grupos e desvende os motivos de terem feito uma organização diferente. Converse, também, sobre o que dizem os slogans que acompanham essas logo. 

 

Em computadores conectados à internet, solicite que os alunos pesquisem sobre a relação entre os slogans e as políticas realizadas pelos governos. Apesar da logo de Fernando Collor não conter slogan, é possível solicitar aos alunos que pesquisem as principais políticas realizadas no período e as ideias que guiavam seu governo. Peça que façam um cartaz com os principais pontos encontrados e depois exponham para a classe toda.

2ª etapa 

O estudo da simbologia dos diferentes governos é importante para analisar como, em diferentes períodos da história, os governantes promoveram a legitimação do novo regime em relação aos anteriores.  A construção dos símbolos da pátria ajudou a criar a identidade brasileira, usando cores, símbolos, palavras e ideias que permeiam o imaginário popular sobre o Brasil. É importante contextualizar que a criação de símbolos nacionais se deu no século 19, durante o Governo Imperial, visando reforçar as ideias do então novo governo, que deixava de ser uma colônia do Reino de Portugal e tornava-se a sede do Império Português. Assim, a bandeira imperial, o brasão imperial, a bandeira nacional e o Hino Nacional podem ser destacados como exemplos na aula.

Vale questionar também com os alunos a presença destes símbolos na escola. Desde cedo, a população é exposta a eles para efeito da construção da identidade nacional.


Assim, os próximos passos terão como foco a discussão de momentos centrais para  a elaboração da identidade visual do Brasil. Exiba a imagem abaixo e pergunte: O que ela representa? Que cores estão presentes? Quando ela foi utilizada?

Após as considerações dos alunos, aprofunde as considerações informando a classe sobre o que constitui o brasão imperial. O símbolo, criado pelo pintor francês Jean Baptiste Debret (1768- 1848) a pedido de Dom Pedro I (1798- 1834), primeiro Imperador do Brasil, foi usado como brasão do Reino do Brasil entre setembro e dezembro de 1822. No centro, se encontra a cruz da Ordem de Cristo (vermelha de hastes simétricas) sob a esfera vazada amarela, utilizada desde o século 17 no estandarte pessoal dos príncipes do Brasil. Esses elementos lusitanos denotam o vínculo histórico entre Brasil e Portugal. Contornando a cruz, o listel azul traz estrelas representando as províncias brasileiras existentes na época. Ao fundo desses itens, encontra-se um escudo do tipo inglês (em verde). O ramo lateral direito, de café e frutificado, e o esquerdo, de fumo e florido, representam as culturas que estavam se destacando na produção agrícola do país. A coroa real mostra a intenção de manter a condição do Brasil como reino, mesmo que independente.

As cores presentes no brasão são as mesmas dos símbolos nacionais atuais: o verde (referência ao brasão da dinastia da qual pertencia D. Pedro I, casa de Bragança, à qual pertencia D. Pedro I) e o amarelo (referência ao brasão da família de D. Leopoldona, da casa de Habsburgo). Abaixo, os respectivos brasões:

Na sequência, apresente esta outra imagem abaixo e faça as mesmas perguntas indicadas anteriormente: O que ela representa? Que cores estão presentes? Quando ela foi utilizada? 

Esta é a bandeira imperial, também criada em setembro de 1822. Além dos símbolos destacados no brasão, questione que outros integram a bandeira imperial. O verde do retângulo fazia referência à bandeira de Dom Pedro II com a cor dos Bragança, enquanto a cor do losango fazia referência ao brasão de Maria Leopoldina.

Apresente a atual bandeira do Brasil e questione sobre os elementos que foram mantidos. Que outros elementos podem ser destacados?

A bandeira atual foi adotada em 19 de novembro de 1889, quando Marechal Manoel Deodoro da Fonseca (1827-1892) era Chefe do Governo Provisorio do Brasil, e foi criada pelo filósofo e matemático brasileiro Raimundo Teixeira Mendes (1855-1927), com a colaboração do filósofo Miguel Lemos (1854-1917), do astrônomo Manuel Pereira Reis (1837-1922) e do pintor Décio Villares (1851-1931). O círculo azul substitui o brasão de armas do Império e traz 27 estrelas brancas. A posição delas reflete o céu visto no dia 15 de novembro de 1889, dia da Proclamação da República Brasileira, no Rio de Janeiro, então sede do governo, e representam as unidades federativas. A faixa branca que traz o "Ordem e Progresso" foi inspirada pelo lema do positivismo "O amor como princípio e a ordem como base; o progresso como meta", do filósofo francês Auguste Comte (1798-1857). Em 1992, uma lei estabeleceu que sempre que houver qualquer mudança nos estados do Brasil, a bandeira deverá ser atualizada. Assim, estrelas podem ser extintas ou acrescentadas.

Mais informações sobre a bandeira podem ser encontradas no site www.bandeiranacional.com.br

Exiba novamente as marcas de Fernando Collor de Mello, Itamar Franco (1930-2011), Fernando Henrique Cardoso, Luís Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Michel Temer. Que elementos foram mantidos? Que logos representam a  continuidade da tradição iconográfica que remonta ao Império Brasileiro? Que logos trazem cores ressignificadas e que podem ter perdido seus sentidos originais? Instigue os alunos a analisar as políticas dos governos e as possíveis relações com os logos. O que dizem os slogans sobre as imagens de cada governo? O quanto essas imagens têm a ver com o projeto de nação que esses projetos pretendem construir? Aqui é possível destacar, por exemplo:

- “Brasil novo”: apesar da logo do governo Collor (1991-1992) não conter um slogan, o presidente tentou estabelecer a ideia de um “Brasil novo”, prometendo afastar a corrupção das diversas esferas, inclusive a política.

- “Brasil, a união de todos”: o slogan usado por Itamar Franco (1992-1994), que assumiu o governo após o impeachment de Collor, era uma manifestação que homenageava o povo. Pela primeira vez, o país tirava do poder um presidente acusado de corrupção.

- “Trabalhando por todo o Brasil”: o lema do governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) se relacionava com o plano “Avança, Brasil”, de geração de empregos e estabilidade da moeda.

- “Brasil: um país de todos”: o slogan acompanhou o presidente Lula (2003-2011) durante seus dois mandatos e tinha como foco destacar a inclusão social. Os programas sociais foram carro-chefe da gestão dele. Na logo também é possível notar que as cores fogem do padrão da bandeira. A diferença de cores, faz referência à mestiçagem da população.

- “País rico é país sem pobreza”: enfatiza a necessidade da erradicação da pobreza. O lema foi tema do primeiro mandato de Dilma Rousseff (2011-2014). O logo dá continuidade à tipografia de Lula, mas retorna às cores verde e amarela referentes aos símbolos nacionais destacados no plano.

- “Brasil, Pátria Educadora”: foi o lema do segundo mandato de Dilma (2015-2016) e indica que a prioridade seria a Educação. Além disso, Dilma afirmou que o slogan faz referência a buscar “em todas as ações do governo, um sentido formador, uma prática cidadã, um compromisso de ética e um sentimento republicano”.

- “Ordem e progresso”: o governo interino Temer utiliza o mesmo lema da bandeira nacional. A logo delimita as cores verde e amarela apenas na faixa do logo (na bandeira, a faixa é branca e as letras pretas) e a cor azul é predominante. A identidade visual gerou polêmica em sua primeira versão em que apresentava apenas 22 estrelas, cinco a menos que a da atual bandeira brasileira. O número de estrelas era o mesmo usado durante o período da Quarta República (1946-1964) e da Ditadura Militar (1964–1985). O logo foi refeito trazendo 27 estrelas.

Vale registrar que, apesar de estar presente na política brasileira desde o século 19, o marketing político ficou mais forte e consciente a partir da Era Collor.

 

3ª etapa 

Para aprofundar a discussão com os alunos e prepará-los para quarta etapa, proponha a leitura dos textos "Cultura Popular, um conceito e várias histórias" (capítulo do ivro “Ensino de história: conceitos, temáticas e metodologia”) e “A Invenção das Tradições”, de Eric Hobsbawm. Depois, converse com a turma sobre os principais aspectos encontrados na leitura que tenham relação com os símbolos e tradições.

 

4ª etapa 

Divida os alunos em grupos e peça que cada equipe crie um símbolo e um slogan para um governo fictício. Além de elaborar o desenho e a frase, eles devem escrever uma breve apresentação deste governo, suas principais políticas e suas relações com os símbolos do país. Deixe que cada grupo apresente suas criações e reserve tempo para que os demais façam perguntas.

Avaliação 

Observe a participação de cada aluno nas atividades e discussões propostas. Na última etapa, avalie a capacidade de argumentação dos grupos e a consistência entre a linha de atuação de cada governo e os símbolos e palavras usados na imagem e no slogan.

Créditos: José Guilherme Zago Cargo: formador de professores de História Créditos: Juliano Sobrinho Cargo: professor da Universidade 9 de Julho (Uninove)

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias