Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Planos de Aula
02 de Setembro de 2017 Imprimir
5 4 3 2 1

Abalos da natureza

Por: novaescola

Objetivo(s) 

- Compreender os terremotos como parte da dinâmica natural da Terra.
- Estabelecer a relação entre os sismos e os danos que provocam.

Conteúdo(s) 

- Fenômeno natural: terremoto.

 

Ano(s) 

6º, 7º, 8º, 9º

Tempo estimado 

Cinco aulas.

Material necessário 

Globo terrestre, panela, água, mel e placas pequenas de isopor. Textos sobre terremotos, ilustração da transformação dos continentes, imagem com as placas tectônicas e esquema visual da estrutura interna do planeta (indicações em www.ne.org.br: digite na busca "abalos da natureza").

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Converse com os estudantes sobre os terremotos ocorridos no início do ano no Haiti e no Chile. Eles acompanharam as notícias? Como explicam as ocorrências? Atribuem-nas a ações humanas ou a uma maneira de a natureza revidar atitudes dos homens? Acham que os sismos são o prenúncio de algum fato maior? Peça que todos registrem suas ideias individualmente e, depois, organize um momento de socialização.

2ª etapa 

Apresente a imagem com as placas tectônicas, explicando que elas formam a crosta terrestre. Divida a classe em quartetos e disponibilize os textos recomendados. Oriente a retomada dos registros da etapa anterior para que seja elaborada uma nova versão que explique a relação entre as placas e o núcleo da Terra. Elas estão em constante movimento? Por quê? O que ocorre com isso?

3ª etapa 

Apresente o esquema da estrutura interna do planeta e proponha uma experiência para simulá-la. Só você deve conduzir o experimento. Misture água e mel na panela até que o líquido fique viscoso. Leve-o ao fogo e explique que a chama será o núcleo (que irradia calor), e o líquido, o manto. Coloque as placas de isopor no líquido. Enquanto ele esquenta, questione o que vai ocorrer com o isopor e o que ele representa. É importante os estudantes anteciparem o movimento que o calor vai provocar na água e no isopor e perceberem que esse último representa as placas. Por fim, pergunte: qual a relação da experiência com o planeta? Diferentemente da panela, ele não tem bordas. O que ocorre, então, quando as placas tectônicas se movimentam?

4ª etapa 

Explique a dinâmica da Terra, englobando a movimentação do magma e o trânsito das placas tectônicas. Com o auxílio da ilustração que mostra a transformação dos continentes, focalize o tempo de movimentação das placas, que data de milhões de anos. Discuta com a turma o que é possível concluir em relação à participação da humanidade nesses fenômenos. Para encerrar, retome a imagem com as placas tectônicas e mostre as áreas de choque de placas, onde ocorrem os terremotos e os maremotos.

Avaliação 

Peça que os estudantes localizem o Haiti e o Chile na ilustração das placas. O que é possível concluir sobre a ocorrência desses dois eventos? E a respeito dos problemas causados pelos abalos, como mortes, fome e destruição de prédios? É importante que a turma compreenda que os sismos fazem parte da dinâmica natural da Terra, que nessas áreas é normal eles ocorrerem e que a ideia de catástrofe está atrelada à existência de vida humana nos locais.

Flexibilização 

Explique ao seu aluno com deficiência visual como acontecem os terremotos. A movimentação das placas de isopor deve ajudá-lo a compreender os sismos. Um atlas em Braille e um globo terrestre adaptado - revestido com plástico em alto relevo, o que torna possível identificar através do tato paralelos e meridianos, assim como os contornos dos países, as grandes cadeias de montanhas e os oceanos - vai auxiliar o aluno cego a identificar os países onde os abalos ocorrem com maior frequência. A experiência com a panela quente pode ser feita em uma bacia, sem uso do calor para que o aluno possa tocar cada um dos elementos - mesmo que, para isso, você tenha que ajudar na movimentação das placas de isopor. Também procure valorizar as experiências orais e peça aos alunos que contem as histórias que conhecem sobre terremotos. Textos de apoio devem ser entregues em Braille à criança com deficiência e as imagens devem ser recortadas ou destacadas em relevo. O trabalho em grupos vai ajudar a criança cega nas etapas de leitura e registro. Ofereça um tempo maior para que o aluno que utiliza máquina Braille conclua os registros e recomende que ele repita a experiência no contraturno, junto do educador responsável pela sala de recursos, além de transcrever esquemas e textos apresentados previamente por você.

Deficiências 

Visual

Créditos: André Baldraia Formação: Doutorando em Geografia pela Universidade de São Paulo (USP) e professor universitário.

Tenha acesso a conteúdos e serviços exclusivos
Cadastre-se agora gratuitamente
Cadastrar