A 2ª Guerra Mundial e a Bipolarização como uma das consequência deste evento

POR:
professor

Objetivo(s) 

  • Discutir os efeitos da Segunda Guerra Mundial no Brasil e Mundo.
  • Abordar conceitos como xenofobia e nacionalismo, contextualizando as novas realidades socias no trato das minorias.
  • Apresentar a contradição das ideologias politicas e economicas distintas unidas por um inimigo comum " O Nazismo".
  • Abordar a bipolaridade Mundial no pós 2ª Guerra e introdução ao contexto da Guerra Fria

Conteúdo(s) 

 

  • Segunda Guerra Mundial
  • Xenofobia, discriminação
  • Nacionalismo
  • Bipolarização Mundial
  • A Guerra Fria

Ano(s) 

Tempo estimado 

12 aulas

Material necessário 

 

Livro didátido

Documentário sobre as bombas sobre Hiroshima e Naghasaki

 

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Introdução

A Segunda Guerra Mundial foi um dos eventos mais grandiosos e violentos do século 20, e talvez de toda a história. A utilização de armas de destruição em massa e a morte de milhões de pessoas entre civis e soldados deixou um triste e doloroso legado à humanidade, resultado de inúmeras batalhas ocorridas entre os anos de 1939 e 1945. Entretanto, a Segunda Guerra começou bem antes de 1939, e há quem diga que foi uma continuidade da Primeira Guerra. 

A crise econômica e social por que passava a Alemanha era agravada pelas altas indenizações que o país ficou obrigado a pagar pelo  Tratado de Versalhes, após a derrota na Primeira Guerra Mundial. Nesse cenário de dificuldades internas, o nazismo encontrou um campo fértil para se desenvolver. A figura de  Adolf Hitler surge aos poucos como um líder, capaz de recuperar a autoestima do povo e ebulir o "revanchismo alemão". Assim como na Itália, com o fascismo de Mussolini, o receio da chegada da esquerda ao poder também foi um motivo que favoreceu o fortalecimento dos nazistas na Alemanha. Em vista disso, é assinado em 1937 um Pacto Anticomunista entre Itália, Alemanha e Japão, consolidando o chamado Eixo. Com a justificativa de um pangermanismo, pelo suposto direito que a Alemanha teria em reunir os alemães que viviam em outros países, Hitler deu início a sua expansão militar.

As demais potências europeias, como a Inglaterra e França, permitiram o avanço alemão sobre a Tchecoslováquia, assinando um acordo na Conferência de Munique em 1938. Apenas em 3 de setembro de 1939, após os alemães terem assinado um tratado de não agressão com a União soviética e invadir a Polônia, França e a Alemanha declararam Guerra à Alemanha.

De todos os fatos da Segunda Guerra Mundial, talvez um dos mais intrigantes e discutidos seja o do forte sentimento de arianismo, racismo e xenofobia propagado pelos nazistas. Os Campos de Concentração, o genocídio e o assassinato de judeus, ciganos, homossexuais ou de pessoas contrárias ao nazismo foram resultados dessa ideologia perversa.

O que explicar para a turma

Entre os anos de 1937 e 1945 o Brasil viveu sobre o Estado Novo, governo ditatorial de Getúlio Vargas. Com o fechamento do Congresso Nacional em novembro de 1937, uma nova Constituição foi outorgada pelo então presidente. Destaque para os alunos que, dentre as medidas adotadas por Vargas, estão a extinção dos partidos políticos, a suspensão das eleições, a proibição de greves e o fim do federalismo, simbolizado pela queima das bandeiras estaduais. Ressalte o papel da polícia política que perseguiu e torturou os opositores do governo Vargas nesse período.

Durante a década de 1930, ficaram marcadas também a atuação de grupos político-ideológicos como da Ação Integralista Brasileira, de inspiração fascista, e a Aliança Nacional Libertadora, com seus representantes da esquerda. Comente com a turma que, com base nos conflitos e nas ações desses grupos políticos Vargas articulou o golpe de 1937, com a suposta descoberta do "plano Cohen", através de um documento forjado que revelava as intenções de insurreição para implantar o comunismo no Brasil.

A Constituição aprovada por Vargas, de caráter autoritário, inspirados na Constituição da Polônia e no Fascismo italiano, indicaria uma aproximação de seu governo com os países do Eixo (Alemanha, Itália e Japão). Entretanto, ressalte aos alunos que Vargas adotou uma postura neutra diante dos conflitos da Segunda Guerra Guerra Mundial.

Mas, uma série de acordos e inclusive a pressão Norte americana fez com que o Brasil passasse a apoiar as potencias aliadas, rompendo oficialmente com o Eixo em 1942. Um dos principais benefícios desse acordo foi o financiamento do governo dos Estados Unidos para a construção da Companhia Siderúrgica Nacional - CSN. É importante destacar que Vargas chegou a buscar esses recursos com a Alemanha para esse empreendimento e que os investimentos da Alemanha no Brasil no final da década de 1930 chegavam bem próximos dos valores investidos pelos Estados Unidos.

 

 

Avaliação 

Verificar se os alunos articularam, a partir dos acontecimentos históricos que levaram à Segunda Guerra, os conceitos de xenofobia e nacionalismo. Identificar se na produção textual, há percepção dos desdobramentos da 2ª Guerra nos campos diplomáticos, políticos, econômicos e militares, no sentido da bipolarização mundial e seus efeitos na Guerra Fria.  

Créditos: Leandro Pereira Matos Formação: Mestre em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora - Professor de História na Escola Municipal Antônio Carlos Fagundes

Compartilhe este conteúdo: