Compartilhe:

Jornalismo

O que é e como identificar uma metáfora?

Teste seus conhecimentos sobre essa figura de linguagem que é mais usada do que você imagina

PorArlete Bannwart Vieira

31/08/2017

Um pequeno sapo verde está prestes a ser beijado na palma da mão de uma pessoa
Quando alguém diz que seu pretendente virou um sapo, está empregando o sentido conotativo da palavra. Crédito: Pixabay

A todo momento atribuem-se novos sentidos às palavras que conhecemos. Quando são usadas no sentido que se encontra no dicionário, diz-se que seu sentido é denotativo ou literal. Se usada essa mesma palavra em sentido figurado, estamos diante de um sentido conotativo.

A esse recurso de expressão que consiste no emprego da linguagem de maneira diferente da usual, denominamos figura de linguagem. Veja os exemplos:

Durante a tempestade, o teto da casa foi arrancado pelo vento. (A palavra “teto”, neste caso, tem o sentido que está no dicionário = telhado)

Após a passagem do furacão, a maioria da população não tinha um teto para se abrigar. (Já nesse segundo contexto, a palavra “teto” se refere a uma casa inteira. Logo, ela está empregada em sentido figurado ou conotativo)

Entre as figuras mais usadas está a metáfora. Para entender melhor seu emprego, vamos pensar em uma situação do cotidiano:

O filho chega em casa, depois de um dia de andanças por uma famosa rua de comércio popular de São Paulo, e diz à mãe:

Impossível caminhar na 25 de Março. É um formigueiro sem tamanho!

Quando se fala ou se escreve, usam-se, constantemente, as comparações. Elas podem ser literais, subentendidas, mentais ou abreviadas.

Mentalmente, o filho comparou a rua a um formigueiro: é uma multidão que vai e vem sem parar. Portanto, usou a palavra “formigueiro” no sentido figurado ou conotativo. A essa comparação mental e abreviada chamamos de metáfora.

Por que mental e abreviada? Porque fazemos a comparação sem o uso das expressões “como” ou “tal como”, típicos de uma comparação real. Veja a diferença:

Durante os finais de semana, a rua 25 de Março é como um formigueiro. (comparação)

Durante os finais de semana, a rua 25 de Março é um formigueiro. (metáfora, pois, mentalmente, comparamos  a rua a um formigueiro, mas não explicitamos usando a palavra “como”)

O pavão é como um arco-íris de plumas. (comparação)

“O pavão é um arco-íris de plumas” - Rubem Braga (metáfora)

Em resumo, a metáfora nada mais é do que a substituição, na expressão escrita ou oral, de um termo por outro baseada numa relação de analogia (que significa semelhança de sentido entre dois termos).

Vamos testar se você entendeu o que apresentamos acima. Em que frases se encontram exemplos de metáfora?

  1. Sejamos simples e calmos/Como regatos e as árvores. (Fernando Pessoa)
  2. Oh! Que saudades que tenho/Da aurora da minha vida. (Casimiro de Abreu)
  3. O poema é como um gole d’água bebido no escuro. (Mário Quintana)
  4. “[...] aqueles homens são cães sem  plumas.”  (João Cabral de Melo Neto)
  5. Nas férias de dezembro, vamos fazer uma viagem ao coração do Brasil.
  6. Estas altas árvores/ são umas harpas verdes com cordas de chuva/ que tange o vento. (Cecília Meireles)

Respostas:

  1. Comparação: “...como regatos...”
  2. Metáfora: O autor compara “aurora” ao início da vida dele.
  3. Comparação: O poema é como....
  4. Metáfora: O autor faz um comparação mental entre homens e cães.
  5. Metáfora: O autor estabelece uma relação de sentido entre coração (centro da vida) e centro do país.
  6. Metáfora: Ocorre uma comparação mental entre as árvores e o instrumento musical. As duas produzem sons.

Veja outras dicas sobre a Língua Portuguesa na página S.O.S. Português

Questões de vestibulares

1) IFPE-2016

Havia um muro alto entre nossas casas.
1 Difícil de mandar recado para ela.
Não havia e-mail.
2 O pai era uma onça.
A gente amarrava o bilhete numa pedra presa por
um cordão
E pinchava a pedra no quintal da casa dela.
Se a namorada respondesse pela mesma pedra
Era uma glória!
Mas por vezes o bilhete enganchava nos galhos da goiabeira
E então era agonia.
No tempo do onça era assim.

Manoel de Barros - Poesia completa. São Paulo: Leya, 2010.

O pai era uma onça. (ref. 2)Nesse verso, a palavra onça está empregada em um sentido que se define como:

a) enfático
b) antitético
c) metafórico
d) metonímico
e) irônico

Resposta comentada: Letra C. Mentalmente o autor comparou o pai a uma onça, ou seja, muito bravo. Perceba que o poeta não utilizou o termo “como”. Se o tivesse feito, seria uma comparação real e não uma metáfora. Já na última linha do poema, a expressão “No tempo do onça” significa alguma coisa muito antiga, mas também faz referência à onça que era o pai.

2) (UFAC) Leia esta carta, publicada na seção Cartas da revista Istoé (31.10.2007, p.15), para responder à questão abaixo:

“Há muito tempo que as fronteiras brasileiras estão vulneráveis. Preservar nossas riquezas é importante, pois representa o sustento do amanhã. Também não podemos esquecer o grande e diverso patrimônio cultural escondido em nossas florestas, seja cultura vinda dos índios ou dos homens ribeirinhos. Chegou a hora de fecharmos as portas para qualquer ameaça vizinha.” 

A expressão “fecharmos as portas ”está sendo usada em sentido:

a) literal, pois descreve uma posição deliberada.
b) metafórico, pois estabelece uma comparação.
c) conotativo, pois o que está subentendido é um cômodo da casa.
d) conotativo, pois as portas podem ser abertas ou fechadas.
e) metafórico, pois o que está subentendido é um cômodo da casa.

Resposta comentada: Letra B. O autor do texto, mentalmente, comparou as fronteiras do país às portas de uma casa, mas sem usar os elementos típicos de uma comparação (como ou tal como).

continuar lendo