Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
Notícias
09 de Agosto de 2017 Imprimir
5 4 3 2 1

O ano da diversidade: os ganhadores do Prêmio Educador Nota 10 de 2017

Trabalhos sobre a identidade dos alunos se destacaram entre os 5.006 projetos enviados este ano

Por: Wellington Soares
Equipe de selecionadores e organizadores do prêmio ligam para informar os ganhadores do Prêmio Educador Nota 10 de 2017 (Renato Pizzuto/Divulgação)

Uma reflexão sobre a relação entre as histórias narradas na Bíblia e a História Antiga com alunos de uma prisão. Um trabalho sobre a relação geográfica entre corpo e espaço no interior do Paraná. Um projeto sobre migração para apaziguar a relação entre crianças imigrantes e brasileiras no Ensino Fundamental. Os vencedores do Prêmio Educador Nota 10 de 2017 foram anunciados nesta segunda (7) e, na relação dos projetos selecionados, há uma predominância dos que tratam de questões contemporâneas, como a diversidade e o protagonismo estudantil.

Entre os 5.006 trabalhos enviados por professores e gestores de todos os estados do Brasil, um comitê de especialistas foi responsável por eleger os dez de maior qualidade em todas as áreas e, pela primeira vez, em todos os segmentos da Educação Básica. Dos premiados, há representantes de quatro das regiões do país (apenas o Centro-Oeste ficou de fora).

Novidades do ano

Entre os 50 finalistas, os especialistas responsáveis pela avaliação dos trabalhos indicaram 17 projetos para concorrer aos dez prêmios de 16 mil reais (15 mil para o docente e mil para a escola em que atua). “Temos visto uma melhora significativa nos projetos que são inscritos ao longo dos anos”, afirma Luciana Hubner, responsável por coordenar o processo de seleção. NOVA ESCOLA, apoiadora oficial do prêmio, acompanhou as discussões sobre os projetos e a votação, pelos avaliadores, que elegeu os dez vencedores.

Uma novidade deste ano foi a inclusão de projetos de Ensino Médio. Professores do segmento puderam concorrer nas disciplinas de História, Geografia, Língua Portuguesa, Matemática, Química, Física e Biologia. Dois projetos foram premiados.

Noite de gala

Os dez ganhadores receberão seus troféus em 30 de outubro, em uma cerimônia que acontecerá na Sala São Paulo. Nesse dia, também será eleito entre eles o Educador do Ano, que receberá mais 15 mil reais e 5 mil reais para a escola em que desenvolveu o projeto.

Veja abaixo a lista de projetos premiados (para mais detalhes, confira na página oficial do prêmio):

Adriane Gallo Alcantara da Silva (gestora / diretora)
Projeto: A formação contínua dinamizando a escola
Escola: EMEIF Profª Coraly Julia Gonçalves Carneiro (Assis-SP)

Cristiane Pereira de Souza Francisco (Educação Física / Fundamental I)
Projeto: Bolinhas de Gude: Descobrindo outras formas de ensinar, aprendendo outros jeitos de aprender
Escola: Escola Estadual Antonio de Oliveira Bueno Filho (Araraquara-SP)

Denise Rodrigues de Oliveira (Educação Infantil / Creche)
Projeto: Promovendo a autonomia através do espaço
Escola: EMEI Floresta Encantada (Novo Hamburgo-RS)

Di Gianne de Oliveira Nunes (História / Ensino Médio)
Projeto: Regime Fechado, Visão Aberta
Escola: Escola Estadual Monsenhor Alfredo Dohr (Lagoa da Prata-MG)

Diogo Fernando dos Santos (Língua Portuguesa / Fundamental I)
Projeto: Quem escreve sou eu!
Escola: Escola Municipal Professora Odete Corrêa Madureira (Pindamonhangaba-SP)

Elisângela Dell-Armelina Suruí (Alfabetização / Fundamental I)
Projeto: Mamug Koe Ixo Tig
Escola: EIEEFM Sertanista Francisco Meireles (Cacoal-RO)

Flávia Roberta Alves Costa (Arte / Ensino Fundamental II)
Projeto: Inspirações Indígenas
Escola: Escola Municipal Divino Espírito Santo (Recife)

Gislaine Carla Waltrik (Geografia / Ensino Médio)
Projeto: Gênero e Sexualidade, o que a Geografia tem com isso?
Escola: Colégio Astolpho Macedo Souza (União da Vitória-PR)

Luana Viegas de Pinho Portilio (Ciências / Fundamental I)
Projeto: Conhecendo as Aves do Entorno
Escola: Escola Colibri (Embu das Artes-SP)

Rosely Marchetti Honório (História / Fundamental II)
Projeto: O migrante mora em minha casa
Escola: EMEF Infante Dom Henrique (São Paulo)

Tenha acesso a conteúdos e serviços exclusivos
Cadastre-se agora gratuitamente
Cadastrar