Ação contra a lama do Rio Doce

Na postura de jovens pesquisadores, os alunos de Wemerson Nogueira analisaram as condições das águas, estudaram a tabela periódica de um jeito inovador e encontraram soluções práticas para melhorar a qualidade de vida dos ribeirinhos

POR:
Maggi Krause

Em um barco no meio do rio, vê-se um barco com o professor Wemerson e cinco alunos. Todos vestem jaleco e três das crianças, seguram um balde com água do rio.
Wemerson levou a turma até o rio para coletar e analisar a água. Crédito: Diana Abreu

Educador Nota 10: Wemerson da Silva Nogueira
EEEFM Antônio dos Santos Neves
Boa Esperança, ES
Ciências
8º ano

Projeto: Filtrando as lágrimas do Rio Doce
Número de alunos: 40
Duração: 4 meses

Resumo do projeto:
O estudo da tabela periódica, de difícil compreensão e nada atraente, necessitava de outra abordagem didática. Dessa forma, o professor escolheu partir do fato ambiental – a contaminação pela lama –, e da análise química da água para abordar os elementos da tabela de forma contextualizada. O outro objetivo era levar os alunos a terem uma visão diferente da pesquisa científica e a pensarem na comunidade ribeirinha de forma a intervir positivamente frente à situação presenciada.

Porque o trabalho foi premiado?
“Além de colocar os alunos frente a um problema ambiental e social, o projeto é contextualizado no tempo, já que eles estudam um evento em processo, e no espaço, por que ele atinge uma comunidade próxima. São muitos os motivos que conferem relevância ao trabalho. Destaco a sequência didática, o encaminhamento problematizador e a dupla contextualização de conteúdos de Ciências, pois eles associaram a tabela periódica com uma situação real, consequência de uma tragédia ambiental, uma questão muito atual. Foram importantes também a análise de parâmetros químicos da água no laboratório da escola e as atividades extra-classe que incluíram idas ao sítio impactado, entrevistas com a comunidade, coleta de material e visita ao laboratório da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). E, como se não bastasse, eles encontraram e implementaram uma solução para o principal problema da comunidade ribeirinha, transformando sua realidade.”
Mário Domingos, doutor em Ciências da Engenharia Ambiental, professor da Universidade de Santo Amaro (Unisa) e selecionador do Prêmio Educador Nota 10

Clique aqui e confira o plano de aula "Água poluída e um portfólio periódico", elaborado por Wemerson e Mário.

Assista à entrevista com o professor abaixo 

 

Veja o vídeo do projeto

Tags

Guias

Tags

Guias