Ir para o conteúdo Pular para o menú principal
ANÚNCIO
Você sabia que é possível salvar matérias para ler mais tarde? Use o botão icone ler mais tarde Ler mais tarde
icone menu

A Base Nacional Comum é sua. Você está pronto para discuti-la?

OPINIÃO: É preciso participar dos espaços conquistados por vocês, educadores - e se preparar para o debate

por:
Leandro Beguoci
Leandro Beguoci
Crédito: Lara Alcadipani / Fundação Lemann

Sem o compromisso dos educadores, nenhuma política pública funciona na sala de aula. Essa é uma das poucas verdades incontestáveis em Educação (ao menos nos países democráticos). Ao mesmo tempo, a reclamação é grande. Com frequência, professores e gestores são atropelados por medidas formuladas em gabinetes por pessoas que, embora bem-intencionadas, não ouviram o bastante quem vive as dores e delícias da escola pública. Uma política com bom potencial - na teoria - acaba morrendo na praia - na prática.

GUIA DA BASE: Tudo o que você precisa saber sobre o documento que vai mudar a Educação no Brasil

Este é um dos motivos pelos quais nós, da NOVA ESCOLA, colocamos o protagonismo dos professores na nossa missão. Um dos nossos papéis é ouvir você, educador, e estar ao seu lado para que ocupe os lugares que são seus, que você conquistou. Quando fazemos reportagens, sempre perguntamos aos especialistas: “Vocês ouviram os professores? Os gestores escolares? Houve consulta pública?”. Com frequência, encontramos gente muito boa e competente, mas que não tinha colocado você na lista de pessoas a ouvir. Faz parte de uma certa tradição, que felizmente está mudando, de fazer políticas públicas apenas dentro dos gabinetes (e o porquê disso é tema para outro artigo...).

Mas cobrar espaço, claro, não é suficiente. Nós queremos que você também esteja preparado para ocupar estes espaços. Afinal, fóruns de participação são como praças das nossas cidades. Se não forem bem usadas, alguém pode ter a ideia de fechar, colocar grade, limitar o uso.... Por isso, nos últimos meses, NOVA ESCOLA vem aumentando a cobertura de políticas públicas, seja com notícias seja com guias e explicações. Quando você chega bem preparado para uma discussão, você ganha, seus alunos ganham, o país ganha.

A Base

Se você é nosso leitor, nossa leitora há algum tempo, percebeu que nós estamos cobrindo extensamente os debates sobre a Base – inclusive, perguntando a você, ao final de cada texto, se o artigo foi útil. Nós fazemos isso por dois motivos.

AUDIÊNCIAS:
Veja como participar das audiências para propor mudanças à Base
Referências a gênero dominam a primeira das audiências finais da Base

O primeiro é simples. A Base é uma das raras políticas públicas que sobreviveram à tempestade política que varreu o país nos últimos anos. Isso aconteceu porque ela teve um grau de concordância grande nos mais variados setores da política brasileira, da direita à esquerda, e porque se comprometeu em te ouvir, educador. O processo não foi perfeito, claro, mas existe um esforço sincero em levar seu conhecimento ao documento. O mínimo que nós podemos fazer é honrar esse método na nossa própria cobertura do assunto.

O segundo motivo é derivado da primeira frase deste texto: sem os educadores, nada acontece na prática. A Base deve ser homologada e virar política pública nos próximos meses. Se você não se sentir parte dela, se não participar dela, ela não vai ter o efeito positivo que motivou seu nascimento: garantir que todos os alunos tenham acesso aos mesmos conhecimentos, às mesmas competências, sejam eles ricos ou pobres. Por princípio, a Base tem compromisso com excelência e equidade. Mas isso só vai acontecer, na sala de aula, se você sentir que a Base também é sua. E isso passa por cuidar dela, participar dela, desde a sua concepção.

E na prática?

Infelizmente, a participação dos educadores ainda está aquém do que poderia nas audiências e consultas públicas  – seja em número de pessoas seja em contribuições efetivas para a sala de aula. Isso é frustrante porque, conversando com educadores todos os dias, nós, aqui da NOVA ESCOLA, sabemos o tamanho da contribuição que vocês podem dar nas disciplinas, no conceito de educação, no papel social da escola.

LÁ FORA: Ouvir professores, pais e até alunos foi fundamental para a Finlândia ter sucesso com sua nova base

Por isso, quero fazer um convite a você, educador. Se houver uma consulta pública sobre a Base na sua cidade, vá  – e se prepare com o mesmo carinho que dedica ao planejamento das suas melhores aulas. Aliás, estes são os próximos encontros:

Recife: 28/07/2017
Florianópolis: 11/08/2017
São Paulo: 25/08/2017
Brasília: 11/09/2017

Caso não possa participar presencialmente das audiências, também é possível enviar sua colaboração para o email cne.bncc@mec.gov.br. Não tenha medo, não tenha vergonha. Não olhe apenas para o problema – seja parte da solução que você quer para a Educação pública. E, quando a sua rede de ensino começar a transformar a Base em currículo, faça a mesma coisa. Participe, se prepare, traga a realidade da escola para os documentos. Em breve, vamos dar dicas de como preparar a sua fala e a sua contribuição.

A Educação, tal como a democracia, se constrói na prática. E a prática é tão boa quanto o esforço que colocamos nela. Vamos nessa? Vamos honrar os espaços que você conquistou?

As opiniões do autor deste artigo não refletem necessariamente o ponto de vista de NOVA ESCOLA

ANÚNCIO
LEIA MAIS