Ir para o conteúdo Pular para o menú principal
ANÚNCIO
Você sabia que é possível salvar matérias para ler mais tarde? Use o botão icone ler mais tarde Ler mais tarde
icone menu

Como usar a videoaula para inovar em sala

Com um celular e um tripé barato foi possível se aproximar do mundo dos alunos, melhorando a motivação e compreensão

por:
DG
Débora Garofalo
Shutterstock

As tecnologias fazem parte do nosso cotidiano. Como educadores, temos de aproveitar as possibilidades que elas trazem para tornar as aulas atrativas, promovendo concentração, interesse e motivação. É uma ferramenta fundamental para irmos a fundo nos problemas de ensino e encontrar novas maneiras de conceber a aprendizagem.

Para isso, é preciso desenvolver habilidades que estejam alinhadas com as reais necessidades e expectativas dos estudantes. Trazer esses desafios para sala de aula é uma possibilidade para encontrar diferentes maneiras de buscar referências e desenvolver nos alunos, aptidão para aprender e desenvolver autonomia.

Infelizmente, sabemos das dificuldades enfrentadas ao trabalhar com as tecnologias nas escolas, onde se faz necessário melhorar a infraestrutura e os acessos à conectividade dentro das unidades. Enquanto estamos longe do ideal, é necessário refletirmos e experimentarmos alternativas para agregá-las a educação.

E como criar aulas atrativas, mesmo diante da falta de estrutura e recursos das unidades escolares? Quais os benefícios para os professores e alunos? Quais ferramentas podem ser utilizadas para dinamizar o ensino?

Para muitos alunos, o professor deve incentivar e utilizar recursos tecnológicos nas aulas. Recentemente participei de um bate papo O que vira o jogo nas escolas públicas (vídeo abaixo), com a presença do estudante do Ensino Médio, André Menezes, e uns dos pontos comentados por ele foi justamente esse: “O ensino está muito atrasado, acho que devemos mudar isso. O dialogo é muito importante para você conseguir dar uma aula interessante”.

Assim, é igualmente interessante para o aluno que o professor consiga trabalhar de forma inovadora, propondo atividades engajadoras, onde o papel do aluno seja o mais ativo possível. Dar voz ao aluno é fundamental dentro do processo de ensino e aprendizagem, e acredito que transformação da educação ocorre dentro da sala de aula.

Aulas atrativas e interativas são importantes para ambos os lados. O professor consegue despertar a aprendizagem, foco e atenção da maioria dos alunos, e sente confiança, motivação e obtém resultados com o processo de aprendizagem. O aluno, também ganha, com maior envolvimento, interação, compreensão e aproveitamento.

Videoaula um caminho possível para a Inovação

Na conversa com os jovens, muitos relataram o interesse por vídeos, produção e edição, devido a clipes de músicas e a youtubers. Neste momento, pensei no grande potencial de explorar novos estilos de aprendizagem e de aproximar esse interesse dos alunos e trouxe uma videoaula produzida por mim.

Com os estudantes do 6º ano, em parceria com a professora de Artes Vivian Caroline Lopes, estamos trabalhando animação em stop motion. Essa técnica exige apenas fotos e um computador, podendo utilizar modelos reais e diversos materiais como madeira e massinha de modelar. A ideia foi explorar a dificuldade que eles sentiram ao trabalhar com o software de vídeo, agregando o que era significativo a eles (edição e produção de vídeos, relatados na conversa), motivando-os e os incentivando-os a produzir vídeo através do Windows Movie Maker.

No momento em que apresentei a videoaula houve um silêncio entre os alunos. Eles ficaram estáticos, depois admirados, dizendo que compreenderam melhor. Presenciei a empolgação das minhas turmas ao perceber que eu havia me aproximando do mundo deles.

A videoaula é uma ferramenta que pode ser trabalhada com as mais diferentes áreas do conhecimento e do currículo, sendo um recurso positivo para a sala de aula e fora dela. Os meus alunos têm uma grande dificuldade em realizar tarefas em casa devido a vários fatores, mas a maioria deles realizou e ou finalizou a atividade em casa. O vídeo ficou disponível em canais da escola, como blog e grupo fechado no Facebook. Também é possível disponibilizá-lo no Youtube, basta criar uma conta no Gmail e criar um canal.

Abaixo, listo algumas sugestões, para a produção da videoaula:

- Use os seus próprios recursos. No caso, utilizei o meu celular e um tripé próprio de baixo custo. Planejei os pontos importantes que precisavam estar contemplado no vídeo para o entendimento dos alunos.

- Seja claro e objetivo e não realize videoaulas longas, isso pode fazer com o que os alunos percam o interesse em assistir.

- Entenda as necessidades da turma, como idade, quantidade de alunos e caracterização social. Esses elementos influenciam as necessidades deles. Considerar esses pontos gera eficácia nas propostas e aproveitamentos dos discentes.

- Promova interação, proporcione debates, discussões e aulas com experimentação que proponham diálogo e agucem a curiosidade, aumentando a concentração e promovendo a aprendizagem.

A tecnologia é capaz de transformar o currículo, torná-lo mais envolvente e lhe atribuir novo sentido à sala de aula. O meu maior aprendizado foi saber que podemos inovar com ações simples e que, dessa forma, estamos promovendo a aprendizagem de forma mais interativa.

E vocês, professores? Quais boas práticas vocês desenvolvem? Já utilizaram uma videoaula produzida por vocês em sala de aula? Compartilhem conosco nos comentários, terei o prazer de interagir e conversar com vocês.

ANÚNCIO
LEIA MAIS