Ir para o conteúdo Pular para o menú principal
ANÚNCIO
Você sabia que é possível salvar matérias para ler mais tarde? Use o botão icone ler mais tarde Ler mais tarde
icone menu

Canadense é eleita melhor professora do mundo em 2017

Maggie MacDonnell conquistou o Global Teacher Prize, o Nobel da Educação. O brasileiro Wemerson Nogueira era um dos finalistas

por:
Ubiratan Leal
Ubiratan Leal
Maggie MacDonnell recebe prêmio de melhor professora do ano de 2017 (Foto: Global Teacher Prize)

O Global Teacher Prize 2017 é canadense. Maggie MacDonnell conquistou o prêmio considerado o Nobel da Educação. O anúncio foi feito neste domingo (19/3) em Dubai, Emirados Árabes, e colocou a docente de uma escola em uma comunidade inuit (povos nativos do Ártico) como a melhor do mundo em 2016. O brasileiro Wemerson Nogueira, professor de Ciências da EEEFM Antônio dos Santos Neves, do Espírito Santo, era um dos finalistas.

Maggie MacDonell se envolveu com a proteção de populações indígenas do Ártico canadense. Desde então, passou a lecionar numa escola de Salluit, uma vila de 1.450 habitantes, onde criou um programa em que utilizou o esporte e atividades físicas para diminuir o número de meninas que largavam a escola.

Em seu discurso, a canadense reforçou o papel dos educadores na sociedade, comandando um coro de "Professores são importantes!". Maggie também falou sobre as dificuldades vividas nas regiões mais frias do Canadá, com comunidades isoladas que nem sempre recebem a atenção dos grandes centros. "A comunidade em que eu vivo está em uma crise de suicídio. Dez suicídios em dois anos", disse, chorando. "É bonito prestar atenção nessa pequena comunidade indígena, encontrá-la no topo do Ártico. Obrigada a todos por dar atenção global a ela."

Entre os dez finalistas do Global Teacher Prize, estava o capixaba Wemerson Nogueira. O professor foi indicado pelo projeto "Filtrando as Águas do Rio Doce", em que levou sua turma de 8º ano ao Rio Doce após o rompimento de uma barragem de rejeitos que contaminou suas águas. Os alunos estudaram a tabela periódica a partir da coleta e análise de amostras do rio, além de realizarem entrevistas com moradores afetados e produzirem filtros para uso da comunidade ribeirinha. Este trabalho também valeu ao docente o título de Educador do Ano de 2016, no Prêmio Educador Nota 10.

Para conquistar o Global Teacher Prize, Maggie superou finalistas de Alemanha, Austrália, Brasil, China, Espanha, Inglaterra, Jamaica, Quênia e Paquistão(conheça-os aqui). Foi a segunda vez que um docente da América do Norte foi considerado o melhor do mundo. Em 2015, a vitória ficou com a americana Nancie Atwell. Maggie ganhará 1 milhão de dólares e também será convidada a participar de eventos internacionais sobre valorização dos professores. A condição para vencer a premiação é continuar atuando em sala de aula por, pelo menos, cinco anos.

ANÚNCIO
LEIA MAIS