Como o Carnaval é celebrado ao redor do mundo

POR:
Nairim Bernardo

Escola de samba, blocos, bonecos gigantes, trios elétricos. A quantidade de formas de se pular o Carnaval mostra como o Brasil se apropriou dessa festa de origem religiosa. O que era para ser o início dos 40 dias de preparação para a Páscoa se tornou um momento fundamental da cultura brasileira. Mas a celebração está longe de ser nacional.

Vários outros países de origem cristã também têm festa de Carnaval. Cada um à sua maneira. São personagens, fantasias, tradições e pratos típicos que em alguns casos se aproximam e em outros se diferenciam bastante do que entendemos por carnavalesco.

Na sua aula, além de trabalhar elementos tradicionais da nossa cultura (veja algumas sugestões aqui), apresente os elementos que compõem a festa em outros países:

Casal com fantasias luxuosas em Veneza Itália:Em Veneza, centenas de pessoas se reúnem na Praça São Marcos usando trajes luxuosos que remetem ao século 18. A origem do uso de máscaras vem do século 16, quando nobres ocultavam sua identidade para poder comemorar a festa com o povo. Crédito: Abxbay Mulher fantasiada voando O “Voo do Anjo” marca a abertura das comemorações do Carnaval em Veneza. Todos os anos, uma jovem é escolhida para descer, apoiada por cordas e cintos de segurança, do alto da torre de São Marcos até à praça de mesmo nome. Crédito: Godromil

Comemoração do Carnaval em Nova Orleans Estados Unidos: cidade criada e colonizada inicialmente por franceses, Nova Orleans acabou absorvendo muitos elementos da cultura católica. Um deles é o de celebrar o Carnaval, conhecido como Mardi Gras (“Terça-feira Gorda” em francês), um dos festivais de rua mais famosos dos Estados Unidos. Foliões se fantasiam e seguem cortejos de bandas ou paradas com carros alegóricos. Outra tradição é comer o King Cake (“Bolo rei”), feito com canela e recheado com geleia ou cream cheese. Quem achar o bebê de plástico, que simboliza o Menino Jesus, escondido no bolo terá sorte o ano todo. Sobre um palco, cantores e músicos com roupas coloridas Uruguai: o Carnaval é um dos grandes eventos do calendário de Montevidéu, capital do Uruguai. Todo ano, dezenas de murgas (grupos de 13 a 17 pessoas que realizam apresentações que misturam teatro e música) lançam composições novas para competir entre si. A celebração assimilou elementos do Carnaval de Veneza e da Comedia dell'arte, como o Momo, o Pierrot e a Colombina. Buquê de flores sendo arremessado de um carro alegórico para o público França: não é só em Olinda que há bonecos gigantes. Em Nice, personagens enormes feitos de papel machê também fazem muito sucesso. A cidade ainda é palco da Batalha das Flores: desfile em que flores utilizadas como enfeite de carros alegóricos são arremessadas ao público. Crédito: Zil fantasia tradicional da dança Diablada Bolívia: a capital do Carnaval na Bolívia é Oruro, cidade a quase 4 mil metros de altitude. A festa é marcada pela Diablada, uma dança que recebeu título de patrimônio cultural do país, reunindo elementos da cultura andina e da religião católica para representar o duelo entre o bem e o mal. mestre sala e porta-bandeira Japão: país de maioria budista e xintoísta, o Carnaval não faz parte das festividades tradicionais do Japão. No entanto, a aproximação cultural com o Brasil fez com que nossos desfiles de escolas de samba fosse importado pelos japoneses, com desfiles nas ruas com carros alegóricos, ala das baianas, passistas, fantasias importadas do Brasil e até sambas cantados em português. Boneco sendo queimado enquanto multidão observa Alemanha e Suíça: a temporada do Carnaval na Suíça e na Alemanha começa bem cedo. Em 11 de novembro, às 11h11, nasce o boneco do folião Hoppeditz, um personagem que, segundo a lenda, surge de um pote de mostarda. Na Quarta-feira de Cinzas, o boneco é queimado e enterrado. Crédito: Kürschner carnaval no canad&aacute Canadá: no Brasil, o Carnaval invariavelmente é festejado no calor do verão. Mas, no Hemisfério Norte, pode ser uma festa bastante gelada. Um exemplo é o da Cidade de Quebec, conhecida por ter o maior Carnaval de inverno do mundo. Durante três semanas, a capital da região de língua francesa do Canadá é palco de shows, festivais esportivos e gastronômicos, competição de escultura de gelo e paradas noturnas. Crédito: Matias Garabedian pessoas fantasiadas de Kurent Eslovênia: as comemorações na Eslovênia misturam costumes ocidentais e o paganismo eslavo. O personagem mais famoso da festa é o Kurent, que segundo a tradição é um demônio que leva o inverno embora e traz a primavera. Centenas de pessoas se fantasiam do personagem e desfilam pelas cidades. Crédito: Ekke

Tags

Guias