Blog Tecnologia na Educação

Confira as melhores ferramentas e as novidades sobre o uso das TIC na sala de aula no blog

Como usar o WhatsApp na escola

POR:
NOVA ESCOLA

WhatsApp é usado em escola de Salvador para informar famílias sobre passeio. Foto: Reprodução

Nas minhas andanças como consultor em tecnologias educacionais, tenho notado que o WhatsApp tem sido cada vez mais adotado como uma versátil ferramenta de comunicação nas escolas – não tinha como ser diferente, afinal, só no Brasil, o aplicativo contabiliza mais de 100 milhões de usuários!

Pensando nisso, e com base nas propostas que já encontrei, reuni algumas das possibilidades de bom uso da ferramenta na escola:

Facilitar o compartilhamento entre a equipe: os grupos criados dentro do aplicativo (aprenda a fazer isso aqui) permitem que os professores troquem experiências sobre sua prática pedagógica e indicações de materiais didáticos, atividades, livros, entre outros.

- Aproximar os pais da rotina escolar dos filhos:

a ferramenta pode ser usada para enviar recados (escritos ou gravados), informações de eventos, agenda de atividades, comunicados, fotos, dicas de estudo e relatórios de desempenho escolar dos alunos.

- Disponibilizar conteúdos e atividades extras para os alunos: como um Ambiente Virtual de Aprendizagem, na perspectiva do mobile learning, o WhatsApp possibilita a disponibilização de conteúdos no formato de áudio e vídeo, como podcasts e vídeo-aulas, e a criação de fóruns de discussão e plantão de dúvidas.

A equipe de reportagem da Nova Escola foi atrás de casos reais de escolas e professores que conseguiram colocar em prática essas ideias.

Um dos exemplos é de Wagner Soeiro, é professor de Geografia na EM Darcy Ribeiro, em uma escola pública de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Ele criou um grupo para cada classe e usa o aplicativo para tirar dúvidas sobre a disciplina e compartilhar as tarefas de casa. Mensagens com gírias típicas das mensagens virtuais e repostas em áudio são permitidas. O importante é saber se o aluno aprendeu o conteúdo. Esporadicamente, ele ainda envia desafios para os grupos, estimulando que se aprofundem em determinados temas. “Com a facilidade de contato, aumentamos o número de alunos que entregam suas tarefas e trabalhos”, conta. Afinal, as desculpas de que não sabiam que tinham lição ou que esqueceram a data de entrega acabaram, já que com o aplicativo, é possível saber se uma pessoa recebeu a mensagem e se a leu.

Outra possibilidade foi encontrada pela equipe do Colégio Padre Ovídio, em Feira de Santana, na Bahia. Por lá, eles aproximaram o contato com os pais por meio do aplicativo. Quando a garotada tem alguma excursão para fazer, a equipe gestora cria um grupo e, assim, envia informes sobre a saída a campo, os objetivos do passeio e, no dia, fotos da turma. A ideia, segundo a coordenadora Paula Costa, era deixar as famílias mais seguras em relação às atividades externas e mostrar para elas as experiências vivenciadas pelos seus filhos. “Os pais elogiaram a iniciativa”, afirma (você pode ler mais sobre essa proposta, aqui).

Os relatos mostram que é possível desenvolver tais ações na prática e que elas resultam em benefícios para todas as partes. Mas não custa lembrar que o WhatsApp é apenas mais um recurso e não um fim em si mesmo. Apesar de todos as facilidades e possibilidades que o aplicativo oferece, não é sempre que uma conversa olho no olho pode ser substituída, não é mesmo?

Para encerrar, vale dizer que, independentemente da proposta, é sempre importante usar o recurso de forma criteriosa, ética, respeitosa e jamais compartilhar quaiquer conteúdos que violem a privacidade ou que sejam ofensivos. Agora, conte-nos se e como o aplicativo tem sido usado na sua escola e divida conosco suas sugestões!

Grande abraço,

Charles Niza

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias