Blog Tecnologia na Educação

Confira as melhores ferramentas e as novidades sobre o uso das TIC na sala de aula no blog

Aproveite as férias para fazer a manutenção dos equipamentos de informática da escola

POR:
NOVA ESCOLA

Foto: Shutterstock

A escola vazia é ideal para algumas ações de manutenção do espaço escolar que não podem ou são mais difíceis de acontecer com a rotina de aulas e a presença dos alunos. A sala de informática é um desses ambientes.

A limpeza e a manutenção programada também colaboram para que o patrimônio da escola seja conservado da melhor maneira possível. Por isso, cabe à equipe gestora organizar um cronograma para que esses serviços aconteçam periodicamente.

Preparei algumas dicas para ajudá-los a pensar tudo o que precisa ser feito e como organizar as tarefas para que quando as aulas voltarem tudo já esteja em ordem!

  • Gerencie a capacidade de armazenamento dos equipamentos de uso coletivo

Imagens, vídeos e áudios são arquivos que ocupam muito espaço e isso influencia no desempenho dos equipamentos de uso coletivo, como computadores e tablets. Uma opção é salvá-los em serviços de hospedagem na nuvem. Alguns deles, como Dropbox, OneDrive, GoogleDrive, Box e iCloud, tem versões gratuitas. Outra opção é fazer o armazenamento em suportes físicos como DVDs e HD externos. Aproveite também para deletar o histórico de navegação e os arquivos temporários de cada máquina, além de softwares que não serão mais usados.

  • Salve as produções dos alunos

As atividades realizadas pelos alunos são importantes registros do desenvolvimento deles. Retomá-las periodicamente é um excelente exercício reflexivo sobre o quanto avançaram no uso de recursos tecnológicos. Vale incluir a organização dessas produções no planejamento pedagógico do professor. O CD ou o DVD resultante desse processo pode ser incluído no acervo da biblioteca da escola.

  • Verifique a política de manutenção de equipamentos da Secretaria de Educação

Antes de tentar reparar alguma máquina que esteja apresentando defeito, busque informações junto às redes. Algumas delas mantêm contratos com empresas para a manutenção das máquinas, o que impede que elas sejam abertas por funcionários da escola, por exemplo, para a melhoria dos hardwares (as partes concretas como o gabinete, o teclado, o disco rígido e a memória). Os equipamentos recebidos por meio do Proinfo, do Ministério da Educação (MEC), também precisam seguir regras específicas, que podem ser encontradas aqui.

A troca dos cabos de rede, por sua vez, pode ser feita pela própria escola. Eles são comprados prontos, de acordo com a metragem necessária. A única recomendação é que o responsável pela mudança do cabeamento saiba fazer um processo conhecido como crimpagem, que exige um alicate específico para desencapar os fios e encaixá-los ao conector. Tutoriais em vídeos ajudam nessa tarefa. Veja um exemplo:

  • Faça a limpeza dos aparelhos

Os funcionários normalmente têm receio de manipular os equipamentos por receio de danificá-los, mas basta ficar longe de materiais corrosivos. A limpeza externa deles é simples. Para o mouse, por exemplo, basta um pano macio, água e detergente. Os mesmos produtos podem ser usados na limpeza dos cabos e do gabinete. Já o teclado vale dar uma sacudida, eliminando parte da sujeira acumulada entre as teclas. Um cotonete, uma escovinha macia ou um aspirador de pó podem complementar o trabalho. Antes de começar a limpar o monitor, desligue-o para enxergar as manchas. O pano seco, muitas vezes, basta. Se necessário, é possível umedecê-lo com água destilada, nunca com álcool. Vale lembrar que é preciso manter uma rotina de limpeza de todos esses componentes.

  • Organize uma oficina de informática com os funcionários da escola

As férias podem ser um ótimo momento para que a equipe de limpeza se aproprie da tecnologia da perspectiva de usuário. No encontro, vale eles contarem, por exemplo, sua relação com o universo digital e as curiosidades que têm sobre os equipamentos disponíveis na escola. Convide os alunos, pais ou outros funcionários para serem voluntários de uma oficina em que eles possam produzir ou fazer algo do interesse deles: uma carta, um e-mail, uma playlist, um vídeo, um programa de rádio ou uma pesquisa.

Gostou das ideias? Na sua escola tem alguma outra etapa que não foi incluída acima? Conte para a gente e compartilhe com os colegas as boas práticas de conservação do patrimônio.

Até o próximo mês,

Jane Reolo

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias