Prêmio Victor Civita 2010: inscrição, regras e novidades

Para concorrer ao prêmio de 15 mil reais, não é preciso um projeto especial. Se a turma aprender, trabalhos com conteúdos comuns podem se destacar

POR:
NOVA ESCOLA
Foto: Ébner Gonçalves
RESULTADOS CLAROS Andréia valorizou um projeto tradicional sobre ângulos com excelentes registros da turma. 
Foto: Ébner Gonçalves

Se você pretende participar do Prêmio Victor Civita - Educador Nota 10 deste ano, não deixe os preparativos para a última hora: as inscrições começam apenas no mês de junho, mas o regulamento completo já está disponível (leia aqui). Neste ano, a premiação aumentou: os dez professores vencedores e o gestor campeão recebem, cada um, 15 mil reais, 50% a mais em relação a 2009. Outra novidade diz respeito aos alunos com deficiência. Agora, além de descrever como a proposta foi adaptada para eles, é preciso contar como ocorreu a articulação com o Atendimento Educacional Especializado (AEE). Informe como o professor do AEE auxiliou os trabalhos, que materiais foram necessários, quais atividades precisaram ser desenvolvidas no contraturno e como elas se articularam com o seu projeto.

Mas se você é parte do time que ainda está na dúvida por achar que não tem um projeto especial (segundo resultados de uma pesquisa encomendada pela Fundação Victor Civita, FVC, em 2009, é essa a justificativa de 31% dos professores que não se inscrevem), que tal rever seus conceitos? Para Regina Scarpa, coordenadora pedagógica da FVC e de NOVA ESCOLA, "especiais" são os projetos bem realizados e não necessariamente aqueles que têm uma proposta inovadora. "Atividades com plano de ação detalhados que comprovadamente impactaram a aprendizagem dos estudantes são mais valorizadas pelos selecionadores", explica. Inspirada por esse raciocínio, a professora nota 10 de 2009 Andréia Betina Legatzky Klitzke, de Joinville, a 186 quilômetros de Florianópolis, abordou um conteúdo tradicional de Matemática - ângulos. "Eu me inspirei num curso oferecido pela rede municipal. Fiquei com medo de que não fosse inovador e quase não me inscrevi. Mas acreditei que o registro das atividades e a avaliação mostravam que a turma havia aprendido. Fui uma das vencedoras", comemora. Se você quer seguir o exemplo de Andréia, conheça quatro pontos importantes para desenvolver projetos e sequências didáticas consistentes:

- Intencionalidade Explicar a necessidade do projeto - sempre tendo em conta a aprendizagem - e a importância dos conteúdos abordados é fundamental.

- Plano de ação Seu projeto deve apresentar todo o encaminhamento para que os alunos avancem em cada etapa. Detalhar como contornou contratempos também é importante.

- Avaliação Quais instrumentos você usou para avaliar a turma no início e no fim do projeto: produções escritas? Port-fólio? Situações-problema? Descrever os resultados é a maneira de mostrar o que a sua turma aprendeu e o que precisaria ser modificado caso o projeto fosse realizado novamente. Não se esqueça de contar como lidou com a heterogeneidade que existe em toda classe e o que fez para ajudar aqueles que apresentaram maior dificuldade para avançar.

- Registro Documente o máximo que puder: vale tirar fotos, fazer vídeos, guardar registros dos alunos etc. Mas atenção: nada pode ser enviado no momento da inscrição. O material é essencial à segunda fase, quando os selecionadores requisitam registros para conhecer melhor os projetos finalistas.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias