Entra e sai no MEC: Adolfo Sachsida é nomeado e exonerado em 24 horas

Indicação do pesquisador do Ipea recebeu críticas pelo apoio dele ao Escola Sem Partido

POR:
Laís Semis

Retrato de Adolfo Sachsida
Crédito: Reprodução/YouTube Adolfo Sachsida


Pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Adolfo Sachsida foi nomeado para exercer o cargo de assessor especial do ministro da Educação, Mendonça Filho, na segunda-feira (11 de julho). A contratação foi criticada por educadores e estudiosos da área. O motivo? Sachsida apoia publicamente o projeto Escola Sem Partido (ESP), um movimento conservador muito criticado por professores e gestores de várias correntes ideológicas. Saiba mais sobre o ESP nesta reportagem de NOVA ESCOLA.

A nomeação foi surpreendente porque, na semana passada, Mendonça Filho se opôs aos projetos de lei inspirados no ESP. Mas durou pouco. Em 24 horas, a nomeação foi cancelada no diário oficial de terça-feira, 12 de julho.

O Ministério da Educação (MEC) afirmou que Sachsida teria a missão de elaborar cenários e avaliar impactos econômicos no financiamento de políticas públicas da área. Mas, após uma avaliação conjunta entre o órgão e o economista, concluiu-se que a colaboração era desnecessária.

"A Subsecretaria de Orçamento e Planejamento passará a atender a essa necessidade de avaliação de cenários econômicos. Diante disso, a referida nomeação tornou-se sem efeito", divulgou a Assessoria de Comunicação do MEC. Sobre a polêmica da relação com o ESP, o ministro reiterou, também por meio da assessoria, que não discute a Educação sob o ponto de vista político, ideológico ou partidário, mas como algo estritamente técnico.

Na semana passada, Mendonça Filho declarou: "Não acho que vamos resolver essa questão [de doutrinação nas escolas] criminalizando o professor. Sinceramente, não acho que seja o caminho".

Tags

Guias