Encontro histórico entre especialistas

A psicolinguista Emilia Ferreiro e a pedagoga Telma Weisz inauguram os Grandes Diálogos

POR:
NOVA ESCOLA
A educadora Emilia Ferreiro, entre Regina Scarpa, coordenadora pedagógica da FVC, e Telma Weisz. Foto: Patricia Stavis
A educadora Emilia Ferreiro, entre Regina Scarpa, coordenadora pedagógica da FVC, e Telma Weisz

Milhares de alfabetizadores reconhecem e admiram as contribuições da psicolinguista argentina Emilia Ferreiro, autora de pesquisas que revolucionaram a forma como se entende a aquisição da escrita pelas crianças. Por isso, assim que ela aceitou o convite de NOVA ESCOLA para participar de uma conversa sobre os temas que investiga, várias frentes da Fundação Victor Civita (FVC) se mobilizaram para fazer suas palavras chegarem ao maior número de pessoas possível. Em tempos de redes sociais, não bastam páginas de revista. A conversa com Telma Weisz, supervisora pedagógica do Programa Ler e Escrever da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo e que Emilia orientou no doutorado, teve transmissão online, assistida por quase 5 mil pessoas.

No primeiro evento semestral Grandes Diálogos, Emilia contou sobre uma pesquisa realizada no México, onde mora. Segundo ela, 50% dos professores acham que o próprio filho terá uma graduação. Quando perguntados sobre seus alunos, esse número cai para 15%. "O professor precisa dar um voto de confiança ao estudante e, sobretudo, deve acreditar em seu próprio trabalho", pediu a educadora (leia a entrevista).

O desejo de ver crianças capazes de alcançar seus objetivos deveria motivar a parceria entre família e escola. O assunto mereceu a matéria de capa deste mês, pois esbarra numa dificuldade recorrente: como os professores podem aprimorar a comunicação com pais e responsáveis, de maneira que eles conheçam melhor as intenções e dinâmicas da sala de aula? As relações são delicadas, mas os problemas do dia a dia têm soluções que dependem somente de cuidado, dedicação e, acima de tudo, confiança.

Maggi Krause
Diretora de Redação


Legado generoso para a Educação

Civita enxuga as lágrimas de Tatiana Machado Dorneles, Educadora do Ano de 2005. O empresário tratava os professores com reverência e carinho. Ricardo Benichio Civita enxuga as lágrimas de Tatiana Machado Dorneles, Educadora do Ano de 2005. O empresário tratava os professores com reverência e carinho Recebendo o Prêmio Ayrton Senna na categoria Educação, concedido a NOVA ESCOLA em 2010, por ampliar o debate sobre a Educação de qualidade no país. Carina Zaratin Recebendo o Prêmio Ayrton Senna na categoria Educação, concedido a NOVA ESCOLA em 2010, por ampliar o debate sobre a Educação de qualidade no país Entre os filhos Victor e Giancarlo <i>(à dir.)</i>, ao lado de Angela Dannemann, diretora executiva da FVC, na cerimônia do Prêmio de 2011, na Sala São Paulo. Marina Piedade Entre os filhos Victor e Giancarlo (à dir.), ao lado de Angela Dannemann, diretora executiva da FVC, na cerimônia do Prêmio de 2011, na Sala São Paulo

No último domingo de maio, nos despedimos de Roberto Civita (1936-2013), presidente da Fundação Victor Civita (FVC) e do conselho de administração da Abril S.A. Além de ser um dos responsáveis por tornar sua empresa a maior editora do país, Civita dedicou mais de meio século de trajetória profissional à paixão de editar revistas e nunca se afastou do compromisso com o leitor. Em 1990, substituiu seu pai, Victor, na presidência da fundação mantida por sua família, pela Abril e por parceiros. Visionário, seguiu com o compromisso de investir na melhoria da Educação e trabalhar por ela muito antes de o tema ganhar a importância atual.

Sob seu comando, a FVC expandiu sua atuação e passou a apoiar os educadores com diversas iniciativas nos eixos de qualificação, valorização e investigação. NOVA ESCOLA e GESTÃO ESCOLAR são hoje as duas maiores revistas de Educação do Brasil. O site conta com mais de 1 milhão de visitantes únicos por mês. O Prêmio Victor Civita Educador Nota 10 consolidou-se como o mais tradicional no país e a área de Estudos e Pesquisas já patrocinou 15 investigações sobre questões fundamentais para o avanço da qualidade da Educação.

Civita acompanhava de perto todas essas iniciativas e o reconhecimento da vital importância do trabalho do professor era uma constante em suas palavras. Como destacou na primeira edição do Prêmio Victor Civita Educador Nota 10, em 1998: "Essa é uma contribuição ao fundamental processo de identificar e valorizar professores que são exemplo, e cujo trabalho merece e precisa ser conhecido, ampliado e reproduzido".

Para Angela Dannemann, diretora executiva da FVC, Roberto Civita foi um ser humano inspirador de muitos outros. "Ele imprimiu seus valores de democracia e liberdade de expressão em tudo o que fez, em todas as ocasiões, pautado pela cordialidade e pelo respeito ao outro. Vamos seguir aplicando seu exemplo na busca pela qualidade do ensino público, que ele sempre promoveu, como fez seu pai antes dele", declarou.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias