Colômbia: a fantástica terra das bibliotecas públicas

Programa nacional colombiano incentiva a leitura em todas as idades e ainda combate a violência

POR:
NOVA ESCOLA, Regina Scarpa

Acervo de ótima qualidade e muito bem conservado. Sala de computadores, brinquedoteca e um espaço para os eventos da comunidade. Assim são as instituições que integram o Plano Nacional de Leitura e Bibliotecas, na Colômbia. Além de emprestarem livros, os estabelecimentos são espaços de transformação social. A Biblioteca El Limonar, por exemplo, fica em Medelín, entre duas comunidades inimigas e com altos índices de violência. Moradores de um bairro não transitam pelo outro, por isso o prédio tem duas entradas e funciona como um território neutro. O convite para frequentá-lo é tão bem aceito que às 8 horas, quando a biblioteca abre, uma das salas já está repleta de adultos para uma roda de leitura.

Essa é apenas uma das cenas emocionantes que um grupo de educadores e gestores brasileiros presenciou nas visitas a três escolas e oito bibliotecas de Medelín e Bogotá. O intercâmbio, promovido pelo Instituto C&A, reuniu os finalistas de um concurso nacional voltado à promoção da leitura. O objetivo da viagem era conhecer os resultados do esforço realizado desde a década de 1980 naquele país. Desenvolvido por esferas governamentais e privadas, o trabalho gerou a consolidação de uma rede formada por bibliotecas dentro de comunidades e em escolas e outras áreas públicas. Em prédios imponentes, elas oferecem acesso aos livros e atividades de formação de leitores e de professores para atuação nessa área.

Os endereços são todos muito frequentados. Em uma tarde agitada na Biblioteca El Raizal, também em Medelín, um garoto de 8 anos perguntou onde eu morava. Disse para encontrar um atlas para que eu lhe mostrasse onde fica o Brasil. Em 5 minutos, ele voltou com o livro aberto na página correta. O menino é frequentador assíduo do local e se sente em casa. Para crianças como ele, todos os dias, há um livro recomendado, ligado ao tema do mês.

Outro resultado do programa nacional é que uma das profissões mais bem pagas da Colômbia é a de bibliotecário. Tudo é cuidadosamente planejado por eles para que a leitura seja significativa e ganhe cada vez mais adeptos. Assim, na Colômbia a biblioteca não é só lugar de silêncio. É, também, espaço de convivência e de aprendizado.

Reportagem: Regina Scarpa de Medellín e Bogotá

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias