A informação diz não ao Álcool

O conhecimento científico é um caminho seguro para conscientizar os estudantes e a comunidade sobre os perigos das bebidas alcoólicas

POR:
NOVA ESCOLA
Massao Gotto Filho

O alcoolismo é uma questão de saúde e na escola merece ser encarado sob esse ponte de vista. Quando o problema faz parte da realidade dos alunos como detectou a Professora do Ano, Elaine Kaizer , torna-se altamente recomendável uma abordagem transversal, conforme orientação dos Parâmetros Curriculares Nacionais. De acordo com os PCN, "...a flexibilidade é necessária na abordagem dos tópicos [relativos ao tema transversal Saúde]". Isso seria importante, de acordo com o documento, para que as experiências e necessidades dos alunos fossem levadas em conta e os conteúdos ganhassem significado e potencialidade de aplicação. 

Sem fazer julgamentos moralistas, Elaine desenvolveu atividades com objetivos de aprendizagem claros e ligados ao tema. Ao formar conceitos fundamentados em informações científicas, os alunos puderam concluir, eles mesmos, que o consumo do álcool prejudica o desenvolvimento intelectual, físico e psicológico.

Este plano de aula, baseado no projeto de Elaine, mostra caminhos para você abordar conteúdos procedimentais ou atitudinais, quando fizer diagnóstico semelhante.

Elaine decidiu explorar o tema em sala de aula quando percebeu que alguns alunos seus, de 7ª e 8ª séries, assistiam às aulas das segundas-feiras desatentos, dispersos e, em alguns casos, demonstrando mal-estar. "Em certas ocasiões chegaram a me pedir dispensa da aula. Resolvi investigar e descobri que eles estavam bebendo no final de semana", conta a professora.

Mesmo com escassez de recursos, Elaine usou a criatividade para levar informação aos alunos da Escola Estadual Orlando Quagliato, em Ourinhos (SP), cujas instalações funcionam dentro de uma fazenda de cana-de-açúcar onde nem telefone há.

Plano de aula

Objetivos
A meta mais ampla é fazer com que os jovens já consumidores de álcool parem de ingeri-lo e que os demais evitem o mesmo caminho. No decorrer das atividades espera-se que os alunos se tornem capazes de: compreender que o álcool é uma droga lícita e que o alcoolismo é uma doença; reconhecer os males ligados ao consumo excessivo, bem como conhecer os tratamentos indicados a dependentes; desfazer considerações moralistas; disseminar o tema na comunidade; realizar diagnósticos por meio de pesquisa; e analisar criticamente a produção cultural e publicitária detectando a indução ao consumo.

O problema se transforma em conteúdo

Os temas transversais estão amplamente relacionados ao contexto social. Por isso, é farta a informação estatística e constante a publicação de artigos e notícias que podem motivar e fundamentar o trabalho escolar. Ao diagnosticar um problema em sua turma, ou mesmo na comunidade, é recomendável partir de um contexto mais geral para depois focar objetivos específicos. Dessa forma, envolve-se o grupo, evitando qualquer sentimento de perseguição.

Pesquisa de campo

Uma forma de comprovar uma suspeita que se tenha no grupo, seja ele formado por alunos, familiares ou pela população da comunidade, é realizar uma pesquisa não identificada. Organize um questionário com a turma contendo questões abertas e de múltipla escolha. Importante: se os alunos participarem da tabulação dos dados haverá um comprometimento maior do grupo e o desenvolvimento de conceitos estatísticos preciosos. Um colega da área de Matemática pode trazer ao projeto a exploração sistemática desses conceitos.

Teoria e prática

Com a colaboração de um colega de História, recupere e ofereça à turma a historiografia da bebida alcoólica. Como ela surgiu? Como se desenvolveu ao longo do tempo? Que países a consomem mais? Casos de proibição, como a Lei Seca, nos Estados Unidos, surtiram que tipo de resultado?

Com essas informações em mãos, o grupo poderá discutir por que, afinal, o álcool é prejudicial à saúde. Nas aulas de Ciências, é possível detalhar os efeitos físicos e psicológicos do alcoolismo, relacionar as doenças decorrentes da dependência e quais são os tratamentos indicados. Essas informações estão disponíveis em páginas da internet e em livros. Outros poderosos recursos didáticos são modelos ou mapas do corpo humano em que se possa ver os órgãos internos afetados pelo consumo do álcool. Você pode mostrar de maneira mais realista os efeitos da bebida no organismo por meio de uma experiência simples.

Em um recipiente contendo álcool etílico, mergulha-se um ovo de galinha cru. Em poucos segundos o ovo começa a "cozinhar"! Exibir filmes ou documentários que abordem o tema do alcoolismo também é uma ótima forma de sensibilizar a turma e excelente ponto de partida para debates. Programe a exibição com antecedência, prepare roteiros de observação e de condução das discussões.

A mídia em foco

Droga lícita, a bebida alcoólica tem ampla divulgação publicitária. Restrições vêm sendo feitas, mas mesmo assim a indução atinge o público juvenil. Você pode pedir aos alunos que identifiquem, selecionem e recortem anúncios em revistas e jornais. Em seguida, que produzam cartazes com um tema definido por exemplo, a associação da bebida à ascensão social. O cartaz precisa ter título, uma breve introdução, uma seqüência de leitura e essencial a conclusão do grupo.

Difusão e avaliação

Socializar informação relativa ao tema é, ao mesmo tempo, uma forma de avaliar o conhecimento dos alunos e de compartilhá-lo com a comunidade. Uma peça de teatro ou uma canção de autoria dos estudantes são caminhos possíveis que complementam avaliações de cada atividade. A todo momento é importante estimular a produção dos alunos, seja por meio de textos individuais ou coletivos. Assim você terá como analisar a evolução de cada um. Em um caso delicado como esse, a sensibilidade e a observação das atitudes precisam estar ainda mais afiadas.

Quer saber mais?

Elaine Kaizer, R. Teófilo Cordeiro, 90, 18900-000, Santa Cruz do Rio Pardo, SP, tel. (14) 3372-6739

BIBLIOGRAFIA
O Alcoolismo, R. Laranjeira e I. Pinsky, 64 págs., Ed. Contexto, tel. (11) 3832-5838, 11,90 reais

Alcoolismo: O Que Você Precisa Saber, Donald M. Laso, 160 págs. Ed. Paulinas, tel. 0800-7010081, 12,30 reais

FILMOGRAFIA
28 Dias, Betty Thomas, ficção, Estados Unidos, 2000, 103 min 

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias