Cores contam histórias

Para o verão, tons quentes. Para o inverno, frios. Em traços de giz de cera,as emoções provocadas por um poema sobre as estações vão para o papel

POR:
Priscila Pastre Rossi
 

 

Ouvir boas histórias leva os alunos a imaginar ambientes, atmosferas. Patrícia Denecke, professora da 2ª série na Escola João Guimarães Rosa, em Ribeirão Preto, a 314 quilômetros de São Paulo, costuma ler vários textos e poemas para inspirá-los. Neste ano, ela convidou a turma a produzir versos sobre as quatro estações do ano - conteúdo já estudado em classe. Os alunos usaram giz de cera do tipo tijolinho para criar cenários que remetiam ao enredo. A cada aula, produziam trabalhos sobre uma estação. O tema foi eficiente, segundo ela, ao despertar na turma a percepção de que as cores transmitem sensações e de como as linhas podem dar a idéia de movimento, por exemplo, de folhas caindo (veja no pôster reproduções de desenhos feitos desde a Pré-História).

O projeto, feito há cinco anos com diferentes temas, leva as crianças a colocar suas impressões no papel, a dar significado às cores e a sentir que o desenho tem vida própria. "Ele pode surgir de linhas e traços, mas também de cores e formas", ressalta Maristel Almeida Gomes, orientadora de Patrícia na atividade. Quando há o envolvimento de outras disciplinas (nesse caso, Ciências e Língua Portuguesa), é importante o professor de Arte enfatizar os conteúdos de sua área para o projeto não ficar apenas como apêndice de outras matérias.  

Sequência de atividades 

1. VIVÊNCIA DA HISTÓRIA 

Que tal estimular a criação artística com literatura? Contos ou poesias de escritores famosos, textos informativos e até os produzidos pelos próprios alunos são boas fontes.
Na escola João Guimarães Rosa, a professora criou com eles versos sobre as estações do ano. Depois da leitura em voz alta, Patrícia estimulou as crianças a usar o corpo: enquanto ouviam os versos sobre o outono, por exemplo, elas faziam movimentos com as mãos para ilustrar as folhas que caíam. O desafio seguinte: pensar como esses movimentos poderiam ser transformados em desenhos.

2. COLORIDAS SENSAÇÕES 

As cores trazem sensações e a escolha delas deve estar relacionada ao que se quer comunicar. "À tarde, muito sol e calor, / À noite, uma chuvinha para refrescar...", dizia um trecho referente ao verão. Com perguntas como "qual cor é mais fria? Qual parece irradiar calor?", Patrícia fez os pequenos ligarem as cores a sensações e sentimentos. A professora deixou então os gizes de cera à disposição para que eles escolhessem os que transmitiam suas idéias.

3. TONS E MOVIMENTO 

Para produzir o desenho, alguns alunos relacionaram as cores quentes laranja e amarelo ao verão. Outros usaram mais o vermelho e o marrom, tons que se repetiram no trabalho sobre o outono. Cores frias, do azul ao lilás, se destacaram nas produções que tinham como tema o inverno. Muita cor e movimentos circulares representaram as flores na primavera. Os desenhos de todas as etapas formaram livrinhos para presentear os pais e os amigos. 

Primavera, inverno, outono e verão: tons diversos para mostrar as quatro estações
Primavera, inverno, outono e verão: tons diversos para mostrar as quatro estações

Outra proposta

OS GESTOS E AS LINHAS 

Proponha a exploração da relação entre gesto e desenho. Sentimentos e atitudes podem ser evocados por meio de palavras. Disponha diversos materiais para as crianças, que vão inventar gestos para doce, amargo, duro, mole, suave, ríspido. Como serão as linhas que materializam simpatia, carinho, tensão? Evocar o tempo e espaço pode ser instigante: alto, apertado, amplo, rápido... Estranho para os pequenos que figuram? Aí está o desafio da proposta! Todas as tentativas têm de ser legitimadas. Analise com a garotada: resultados semelhantes às vezes são originados por intenções diferentes ou, ao contrário, a mesma intenção leva a grafismos distintos. 
 
Consultoria: Marisa Szpigel, formadora de professores na área de arte e coordenadora pedagógica do Instituto Moreira Salles, em São Paulo

Quer saber mais?

CONTATO
Escola João Guimarães Rosa, R. Virgínia de Francesco Santili, 81, 14021-170, Ribeirão Preto, SP, 
tel. (16) 3916-4157 

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias