Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

O amigo secreto

O conto de Regina Chamlian mostra a importância da confraternização para as crianças

POR:
Regina Chamlian
Ilustração: Alexandre Dubiela
Ilustração: Alexandre Dubiela

A turma reuniu-se na sala enfeitada. Martinha carregava um pacote enorme, cheio de laços. Suzana e Antônio conversavam animados. Mariana pediu para Juju começar a brincadeira. Cada um devia explicar antes por que escolhera o presente para seu amigo secreto.

Quando Juju terminou de falar, um tênis, que mais parecia uma nave espacial, foi parar nas mãos de Felipe. Este contou por que comprou o CD importado para o Luís. Que explicou por que escolheu a bermuda de surfista para o Bruno.

— Bruno! — a turma gritou. — Agora é você!

Bruno pôs-se a falar:

— Bom, pessoal, é o seguinte: na primeira semana de dezembro, já tarde da noite, lá em casa, ouvimos um grito de filme de terror.

Todo mundo saltou da cama: "O que foi? O que foi?"

Minha mãe apontou, soluçando: "A ge-la-de-dei-ra! Ela que-que-brou!"

"O técnico avisou que, se ela enguiçasse de novo, já era", disse meu pai.

"Não faço questão de geladeira", minha irmã falou. "O que não dá é ficar sem computador."

Aí, minha mãe disse: "Se a gente fosse esquimó, jogava a caça sobre a neve, cobria com gravetos pros lobos não roubarem e pronto. Mas, em pleno verão brasileiro, geladeira é prioridade. Precisamos comprar uma nova imediatamente".

"E daí?", minha irmã perguntou.

"E daí que o mesmo dinheiro não sai da mesma carteira duas vezes", disse meu pai.

"Então o computador dançou?!", eu perguntei.

Meu pai respondeu: "O computador e outras coisinhas. Nossa geladeira é dúplex, custa mais".

"E o presente do amigo secreto", minha irmã lembrou mais que depressa.

"Bolem um presente criativo e que não custe nada", falou meu pai.

— Foi aí que eu tive a idéia — continuou Bruno, abrindo a mochila e tirando de lá um pequeno pacote.

— Espero que meu amigo secreto goste. Ele é o Rafa.

— Aí, Rafa! Vai lá! — gritou a turma.

Rafa começou a abrir o pacote. O silêncio era total.

— Não acredito que você guardou esta foto, cara! Que idade a gente tinha?

— Mostra! Mostra!

E a foto emoldurada de Bruno e de Rafa, quando tinham 6 anos de idade, foi passando de mão em mão. O maior sucesso.

— Puxa, Bruno. Só faltou uma coisa — disse Rafa.

— O quê?

— Um abraço, cara. Gosto de você! Bom fim de ano!

Conto de Regina Chamlian, ilustrado por Alexandre Dubiela

 

Especial ERA UMA VEZ...

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias