Tic-tac das sombras

Com este modelo de isopor, a turma de 5ª a 8ª série vai comprovar os movimentos da Terra e viajar pela galáxia nas aulas de Geografia

POR:
Thais Gurgel
Foto: Dulla/Produção Carol Mathias
Foto: Dulla/Produção Carol Mathias

A ciência é antiga e tem um nome bem pomposo (gnomônica), mas diz respeito a um objeto relativamente simples de fazer: o relógio de sol. O instrumento existe há pelo menos 5mil anos e foi, até o período do Renascimento, a principal maneira de o homem controlar a passagem do tempo. Mesmo com os modernos aparelhos digitais que existem hoje, o modelo de sol pode oferecer aos estudantes uma experiência diferente e instrutiva. Com ele, turmas de 5ª a 8ª série descobrirão que o céu e as sombras no chão dão dicas importantes sobre as horas, as estações do ano e os pontos cardeais.

O professor Milton Barros, da EE Simon Bolívar, em Diadema, na Grande São Paulo, é um entusiasta do instrumento e em suas aulas de Geografia já criou vários modelos diferentes. É dele este protótipo de isopor que você vai aprender a fazer, para trabalhar os conceitos e levar a garotada a viajar pela galáxia.

Lições sobre o planeta

A partir da 5ª série, a moçada tem contato mais aprofundado com mapas, conceitos de longitude e latitude e dinâmica planetária. O relógio de sol vai permitir que todos compreendam o movimento de rotação da Terra, ao perceber a sombra do ponteiro se movendo sobre o marcador no período em que há claridade. As crianças vão constatar que o mostrador tem apenas 180 graus, que definem as 12 horas do dia pois o planeta tem sempre somente metade da superfície iluminada. Vai ser interessante observar a trajetória do Sol no céu: ela varia conforme o período do ano (e também, vale ressaltar, conforme a latitude do local).

É interessante explicar que quanto mais distante o observador estiver da linha do Equador, mais curto será o percurso solar no céu e mais inclinada sua trajetória. Em localidades entre o Equador e os trópicos, essa inclinação é menos perceptível. Na região tropical, o Sol fica a pino ao meio-dia, pelo menos um dia por ano nos limites, ou seja, exatamente sobre os trópicos, como é o caso da cidade de São Paulo, esse dia é o chamado solstício de verão, quando começa a estação mais quente do ano. Ao sul do trópico de Capricórnio ou ao norte do trópico de Câncer, essa situação nunca ocorre. Já nos extremos sul ou norte do planeta (delimitados pelos círculos polares Ártico e Antártico), há pelo menos um dia inteiro sem que o Sol se ponha (no verão) e um dia inteiro sem que o Sol apareça (no inverno).

Para deixar essas informações mais evidentes, uma atividade interessante é pedir para a garotada acompanhar o nascer e o pôr-do-sol uma vez por mês. Olhando para a direção norte, cada aluno desenha em uma folha elementos fixos de seu campo de visão (prédios, árvores, montanhas), a posição no horizonte em que os dois fenômenos ocorrem e os horários. A cada nova anotação, o estudante perceberá que o Sol nasce e se põe em pontos diferentes ao longo do ano e que o período claro do dia dura mais no verão do que no inverno.

Todas essas mudanças, explica Milton Barros, acontecem porque o eixo de rotação terrestre é inclinado em relação ao plano de sua órbita em torno do Sol. Devido a essa característica, é verão num hemisfério (calor e claridade mais intensos e prolongados) e inverno no outro.

Como fazer 

1. A base
Depois de colorir o mostrador, cole-o na placa de isopor. Com o estilete, corte o semicírculo do isopor que restou depois da colagem. Use esse pedaço para fazer o apoio, cortando-o ao meio e colando-o na placa maior, como se pode ver na foto maior, na página ao lado.
2. O mostrador
Lixe o contorno do relógio e cole a régua graduada na parte interna do semicírculo com o número 6 (da manhã) a oeste e o 6 (da tarde) a leste. Faça uma fenda nas colunas do isopor para fixar o palito de churrasco e, no centro dele, um pequeno corte para colar o palito de dente.

Material necessário 

? Placa de isopor retangular de 3 centímetros de espessura com 11 por 20 centímetros

? Tira de cartolina de 22,5 por 3 centímetros

? 1 palito de churrasco

? 1 palito de dente

? Cola para isopor

? Estilete

? Lixa

? Cópia do mostrador do relógio de sol (é necessário ampliar o modelo abaixo em 170% na máquina copiadora)

? Cópia da régua graduada (é necessário ampliar o modelo abaixo em 170% na máquina copiadora)

Para "funcionar"
Coloque o modelo em local que bata sol e acerte as horas pelo seu relógio de pulso. Escolha uma hora cheia e vire o relógio de isopor até que a sombra do palito de dente se projete sobre o mesmo horário no marcador. Dessa forma ele já estará corretamente posicionado em relação aos pontos cardeais.

Quer saber mais?

Contatos
Sociedade de Astronomia e Astrofísica de Diadema
, Av. Antônio Silvio Cunha Bueno, 1322, Diadema, SP, 09970-160, tel. (11) 4043-6457, www.projetorelogiosolar.diadema.com.br

EE Simon Bolívar, R. Aiaça, 61, 09972-210, Diadema, SP, tel. (11) 4043-5841

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias