Promessa é dívida

Candidatos a prefeito se comprometem a cuidar da Educação como a população manda

POR:
Arthur Guimarães
FUTURO EM PAUTA Gidu (à esq.) e Nascimento assinam embaixo dos pedidos da comunidade Foto: Edson Ruiz
FUTURO EM PAUTA
Gidu (à esq.) e Nascimento assinam embaixo dos pedidos da comunidade. Foto: Edson Ruiz

Dia 21 de agosto, quinta-feira, não foi feriado, mas as aulas estavam suspensas em Boa Vista do Tupim, a 330 quilômetros de Salvador. Todos os membros da comunidade escolar foram convidados para o Dia E - um fórum organizado em ano de eleição municipal para que a população analise a política educacional da gestão em curso e os candidatos à prefeitura se comprometam a trabalhar para atender às prioridades definidas por alunos, pais e educadores.

Pouco depois das 8 horas, mais de 400 pessoas já estavam reunidas na Câmara Municipal, prontas para a segunda edição do evento, supervisionado pelo Instituto Chapada de Educação e Pesquisa, entidade que trabalha para a melhoria do ensino na região. Na primeira fila da platéia, os donos do poder local. Cercado por partidários, o atual prefeito e candidato à reeleição, o tucano Hiran Campos Nascimento. Do outro lado, também com seus correligionários, o petista João Durval Trabuco, o Gidu. O clima era tenso: eles mal se entreolhavam, mas nada que abalasse a serenidade de Cybele Amado, idealizadora e organizadora do fórum, que é realizado na maioria dos 25 municípios parceiros do instituto. "Quando iniciamos nossas atividades nas escolas, em 1999, oferecíamos apenas formação para os educadores, mas percebemos que para colher os frutos é preciso também continuidade, o que só ocorre se há o compromisso político", explica ela.

Enquanto era exibido um vídeo com os feitos (entre outros, a aquisição de material didático) e as pendências (como a permanência de classes multisseriadas) da administração atual, predominava a timidez na platéia. Mas o dia estava apenas começando. Depois do Hino Nacional, a comunidade ganhou posse do microfone. Roselândia da Silva foi uma das primeiras a se pronunciar. Mãe de Bárbara, aluna da 2ª série da EM Bartolomeu Bueno da Silva, ela pediu mais estrutura física para a unidade. "Não tem carteira. Ela estuda no chão", disse. A claque do prefeito quis rebater a crítica. "Não é um debate político", cortou Cybele, devolvendo a palavra aos cidadãos, que já se deixavam contaminar pelas reivindicações dos vizinhos. Professores e estudantes seguiram denunciando precariedades (como escolas infestadas por morcegos e merenda composta de um copo de suco) e sugerindo melhorias. A cada pedido, era realizada uma votação: quem estivesse de acordo levantava a mão. As aprovações eram registradas numa espécie de pauta a ser assinada pelos candidatos.

Por volta das 18 horas, o Dia E chegava ao fim. Gidu e Nascimento subiram ao palco. Assinaram o documento sem nem sequer um aperto de mãos. "Aqui não é lugar de politicagem", lembrou bem Cybele. Daqui a quatro anos, um deles vai participar novamente do evento, prestando contas de seu mandato. Mais uma vez, a politicagem dará lugar ao que importa quando o assunto é Educação: garantir o direito de todos de aprender.

Quer saber mais?

CONTATO
Instituto Chapada de Educação e Pesquisa, Av. Nelson Alves, s/nº, 46930-000, Palmeiras, BA, tel. (75) 3344-1136

INTERNET
Educar para crescer

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias