Estudar para incluir

Atendimento especializado

POR:
Mariana Queen, Elisa Meirelles, NOVA ESCOLA
Roselene Peretti Castilho. Foto: arquivo pessoal
Roselene Peretti Castilho, professora da EMEF Dona Miloca, em Rancharia, SP

Desde 2007, mais de 24 mil salas de recursos multifuncionais foram instaladas em escolas públicas de todo o país. Apesar do progresso, ainda há poucos docentes especializados em inclusão. Roselene Peretti Castilho faz parte desse pequeno grupo. Ela atua há nove anos em sala de recursos e tem habilitação para trabalhar com crianças com deficiências visual e intelectual. No início deste ano, Roselene foi indicada pela diretora da escola em que leciona para realizar um curso a distância voltado ao Atendimento Educacional Especializado (AEE), ministrado pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp), campus de Marília. "Eu tinha dificuldade para trabalhar com deficientes físicos e auditivos. Como a especialização é ampla, vai complementar meu trabalho", diz ela. A iniciativa faz parte do Programa de Formação Continuada de Professores na Educação Especial, coordenado pelo Ministério da Educação (MEC). Para saber mais, acesse mec.gov.br.


Formação continuada
Qual a diferença entre mestrado e doutorado lato sensu e pós stricto sensu?
Pergunta enviada por Mireile Karine de Souza Oliveira, Assis, SP

No Brasil, há dois tipos de pós-graduação: a lato sensu, conhecida como especialização ou MBA (sigla em inglês para Master in Business Administration), e a stricto sensu. A primeira está relacionada a qualquer curso realizado após a graduação que tenha como meta o domínio científico e técnico de determinada área do saber ou da profissão. Já a segunda visa aprofundar a formação adquirida na graduação e possibilitar a obtenção de grau acadêmico. A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) é a responsável pela pós-graduação stricto sensu, e a Secretaria de Educação Superior (SESu) do MEC, pelos dados sobre a lato sensu.


Direito de lecionar 
Ter tatuagem pode ser um empecilho para dar aula?
Pergunta enviada por Aline dos Santos Peres, São Paulo, SP

Não há nada na lei que impeça qualquer servidor público de ter tatuagens, Aline. Segundo o advogado do Sindicato de Supervisores do Magistério no Estado de São Paulo (Apase), Olyntho de Lima Dantas, o que pode ocorrer é o candidato tatuado ser barrado no exame médico obrigatório para o início do trabalho. "Se isso acontecer, a pessoa deve recorrer ao Poder Judiciário com base no artigo 5º da Constituição", orienta o advogado. Esse artigo mostra que "todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza" e explica que "é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer". Outro empecilho com o qual você pode se deparar é o preconceito, que, infelizmente, ainda está presente em algumas escolas. Não deixe que isso se torne um obstáculo.


266 mil

É o número de professores da Educação Básica que têm um segundo emprego para complementar a renda.

Fonte Estudo de Thiago Alves e José Marcelino de Rezende Pinto, da Universidade de São Paulo (USP)

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias