Lei traz vagas para especialistas em Música

POR:
Rodrigo Ratier, Bianca Bibiano, NOVA ESCOLA

A partir do início deste ano letivo, as escolas públicas precisam cumprir a Lei 11.769, que estabelece a obrigatoriedade do ensino de Música. Ainda que o conteúdo seja parte integrante do currículo de Arte (não uma disciplina específica), há oportunidades para quem quer ingressar na área, em que apenas um em cada quatro docentes tem formação específica (veja o gráfico abaixo). "Muitas redes estão contratando especialistas em Música e buscando acordos com universidades para dar formação aos que já estão atuando", diz Maria Correia da Silva, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). Além das parcerias estabelecidas pela redes e das licenciaturas convencionais, com duração de quatro anos, começam a surgir cursos a distância para quem já é professor. Confira: 

Onde estudar música a distância

Graduação (quatro anos)
Instituições Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Universidade de Brasília (UnB), via Universidade Aberta do Brasil (UAB).
Mais informações, clique aqui e digite "música" no campo "curso"
 
Especialização (um ano e meio)
Instituição Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), via UAB, no curso História, Arte e Cultura, que inclui História da Música
Mais informações, clique aqui e digite "história arte" no campo "curso"

Formação dos professores de Artes*

Gráfico: Alice Vasconcellos

* Entre os docentes de 5ª a 8ª série. Fonte Censo Escolar/INEP 2007


Pergunta e resposta
Com quantos anos se aposenta o professor?
Pergunta enviada por Josiane Aparecida Silveira, Santa Maria, RS

De acordo com as regras da Previdência Social, professores são beneficiados pela aposentadoria especial, que permite que homens deixem de trabalhar aos 55 anos, e mulheres, aos 50. Também é possível requisitar a aposentadoria por tempo de contribuição: 30 anos para os homens e 25 para as mulheres. "Mas o que prevalece é a idade. Mesmo que uma professora de 47 anos tenha contribuído durante 25, por exemplo, é necessário lecionar por mais três anos para receber a aposentadoria integral", explica Madalena Alcântara, da área de assuntos previdenciários da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Eu fiz assim

Foto: Arquivo pessoal

Mariana da Silva Albuquerque, 28, professora do 1º ao 4º ano na EM Ema Negrão de Lima e na EM Pedro Lessa, no Rio de Janeiro.

"Em pouco tempo de carreira, percebi o quanto é importante ter um diálogo produtivo com os gestores. Tive conflitos com diretores que não me orientavam a respeito de alunos indisciplinados ou que não fazem lição de casa. Cheguei a escutar: 'Isso é problema da professora' e pensei em desistir. Quando mudei de escola, em 2006, senti logo a diferença. Além do planejamento das atividades, que é feito em grupo juntamente com a coordenadora, percebo o ambiente de colaboração em relação às dúvidas de comportamento ou dificuldades de aprendizagem. Os gestores estimulam a troca de experiências entre os docentes e, nas reuniões pedagógicas, trazem novas ideias, que acabam sendo incorporadas à rotina."
 
Quer compartilhar sua trajetória de evolução profissional nesta seção, envie seu relato.

Cursos e concursos

Professor
Chalé, MG
A prefeitura abre 22 vagas para professores polivalentes com curso Normal ou formação em Pedagogia, Letras ou Matemática (552,71 reais por 25 horas semanais). Inscrições até 20 de fevereiro. Informações.

Especialização em idiomas
Rio de Janeiro, RJ
O Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) Celso Suckow da Fonseca oferece 25 vagas para especialização em Ensino de Línguas Estrangeiras e 35 para Letramento. Inscrições até 17 de fevereiro. Informações

Pedagogo e professor
Betim, MG
A prefeitura oferece 247 vagas para trabalhar com turmas de Educação Infantil para profissionais formados em Pedagogia ou Magistério (913,52 reais por 40 horas semanais). Informações.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias