Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Em que contexto o infinitivo pessoal flexiona?

S.O.S Português

POR:
Rodrigo Ratier, Pablo Assolini, Elisa Meirelles, NOVA ESCOLA, Luana Villac

Pergunta enviada por Vitor Antônio de Lima, São José dos Campos, SP

Assim como o particípio e o gerúndio, o infinitivo é uma forma nominal de um verbo. Em sua vertente pessoal, (com sujeito, como em "Ela disse para [nós] sairmos"), ele deve ser flexionado sempre que houver necessidade de esclarecer ambiguidades na frase.

Quando temos sujeitos diferentes - caso de "Vamos trazer algo para comerem" -, a flexão é obrigatória. Se o sujeito é indeterminado também, pois há diferença entre os sujeitos dos verbos, como em "Disseram para acabarmos o trabalho". Outra situação é quando se deseja realçar um pronome presente ("Eu disse para eles não aceitarem o convite") ou esclarecer um ausente ("O professor indicou um livro para [nós] lermos").

A flexão é optativa se o sujeito é o mesmo ("Nós compramos roupas para vestirmos [ou vestir]") e quando o infinitivo é o próprio sujeito ("Falarmos [ou falar] a verdade é dever de todos") ou forma locução com o verbo parecer - nessa situação, ou o verbo auxiliar flexiona ("As crianças parecem querer algo") ou o principal, ficando o auxiliar na terceira pessoa do singular ("As crianças parece quererem algo"). O lembrete é que nunca se flexiona o infinitivo nas demais locuções verbais, como em "As crianças não quiseram fazer a lição".

Faça um teste para avaliar se você sabe empregar o infinitivo pessoal flexionado corretamente.

Consultoria Mauricio Silva, pós-doutor em Letras Clássicas e Vernáculas pela Universidade de São Paulo (USP). 

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias