Museu da Língua Portuguesa

Em prosa, verso, áudio e video

POR:
NOVA ESCOLA

Como expor um acervo formado por palavras, significados e modos de dizer? A resposta está no Museu da Língua Portuguesa, inaugurado em março em São Paulo. O espaço escolhido pela Fundação Roberto Marinho e pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo foi a Estação da Luz, terminal ferroviário do início do século 20. Todo o projeto é voltado para a exploração multissensorial do nosso idioma.

No saguão principal, a escultura Árvore da Língua, de Rafic Farah, já desafia a imaginação ao usar termos provenientes do ancestral de nosso idioma, o indo-europeu, nas raízes; palavras da nossa língua no tronco; e os objetos que elas representam na copa. No elevador panorâmico, a música de Arnaldo Antunes é composta de "língua" e "palavra" pronunciadas em diversos idiomas, como se fosse um mantra. Todo esse ritual de passagem leva ao terceiro andar do prédio, onde os visitantes assistem a um filme sobre o poder da linguagem. Acabada a exibição, a tela basculante se abre para a Praça da Língua, um espaço com pé-direito de 13 metros e teto em forma de mansarda (espécie de telhado inclinado). Lá se escutam frases, trechos de romances e contos, sonetos, poesias e canções de escritores e compositores conhecidos. Os textos também são projetados no teto e aparecem iluminados no chão.

No segundo pavimento, o telão com 120 metros de comprimento faz com que o espectador se sinta viajando num trem. Pelas janelas do vagão são projetados filmes que mostram a linguagem oral do brasileiro. Nos vídeos, o povo debate alguns de seus assuntos prediletos (futebol, música, religião, Carnaval).

Ao lado desse corredor está a sala Palavras Cruzadas, com oito totens iluminados (ou lanternas, como os organizadores batizaram) e computadores que revelam o significado de termos com origem nos falares de africanos, indígenas, ingleses, franceses, espanhóis e outros que para cá vieram com os imigrantes. Nesse ambiente está ainda a Linha do Tempo, um painel com dados históricos e culturais, em textos e vídeos, sobre os três troncos que formaram o português.

O espaço mais lúdico do museu é o Beco das Palavras. Lá, crianças e adultos divertem-se movimentando com as mãos sílabas projetadas no ar e na mesa. Eles podem formar unidades que nem sempre têm significado.

O primeiro andar abriga uma exposição temporária em homenagem aos 50 anos da publicação de Grande Sertão, Veredas, de Guimarães Rosa. Trechos da obra são revelados de diversas maneiras no cenário criado pela diretora de teatro Bia Lessa. Ela propõe sete caminhos para explorar o espaço, cada um com a visão de um personagem (Riobaldo, Diadorim, Diabo...) ou de um aspecto do livro (guerra, sertão...). Bandeiras de tecido grosso penduradas no teto por roldanas podem ser baixadas para uma leitura mais atenta dos trechos. Elas trazem cópias do texto revisado pelo próprio autor e são ladeadas por sacos de terra do sertão de Minas Gerais, que servem de contrapeso. As frases são encontradas ainda em entulhos, barris de água, placas de acrílico e na parede - e só formam sentido se lidas de um determinado ponto. Para isso, o visitante precisa subir em andaimes, olhar por mirantes ou usar um espelho.

Atividades

Da origem das palavras à produção de texto

Nara Lúcia Nonato, coordenadora de projetos da Fundação Roberto Marinho, em São Paulo, sugere as seguintes atividades:

1. Descobrir as palavras e os objetos "escondidos" na Árvore da Língua é uma diversão para os pequenos da Educação Infantil, assim como clicar nos micros dos totens, onde eles exploram o significado e a origem das palavras. No Beco, a brincadeira é formar novos termos com as sílabas projetadas e usar a criatividade para inventar palavras.

2. Estimule os alunos de 1ª a 4ª série a elaborar textos e ilustrações sobre o que viram e ouviram durante a visita. Peça que eles comparem o linguajar usado nos vídeos da Grande Galeria com o da Praça da Língua, estimulando assim a formulação de hipóteses sobre a diferença entre a língua escrita e a falada.

3. Os estudantes de 5ª a 8ª podem fazer as mesmas atividades, mas com outro nível de aprofundamento. Classificar as palavras que foram conhecidas nos totens de acordo com o gênero, a família e a ordem é um exercício que vai desafiá-los, assim como produzir redações sobre os temas exibidos nos vídeos. Um exercício divertido também é observar a expressão dos personagens dos vídeos e as emoções que eles transmitem. Que palavras utilizam em caso de alegria, dúvida ou raiva? É possível relacionar os termos usados por eles, os amigos e os familiares?

Para conhecer

MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA
ENDEREÇO
Estação da Luz, Praça da Luz, no 1, São Paulo, SP, tel. (11) 3221-1820
INGRESSOS 4 e 2 reais (estudantes da rede pública), grátis para menores de 10 anos e maiores de 60 anos
VISITAS De terça a domingo, das 10 às 18 horas
INTERNET O site http://www.museudalinguaportuguesa.org.br/

traz estudos sobre o idioma e seu ensino; transcrição de diálogos e entrevistas feitas em países que falam o português; e documentos sobre a língua. É possível ainda fazer uma visita virtual por todos os ambientes.

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias