Por que podemos falar "mais gordo", mas não podemos falar "mais pequeno"?

S.O.S. PORTUGUÊS

POR:
Rita Trevisan, NOVA ESCOLA, Bruna Nicolielo

As expressões "mais pequeno" e "mais grande", por exemplo, correspondem, respectivamente, a "maior" e "menor". Trata-se do grau comparativo desses adjetivos. "Grande" tem como comparativo "maior", "pequeno", "menor". É o mesmo caso de "melhor", em vez de "mais bom", e "pior", em vez de "mais ruim". Por isso, falamos "Marcelo é maior que Márcio" e "Roberta é menor que a irmã"."Mais gordo" e "mais magro", por sua vez, não contam com uma forma de comparativo sintético correspondente. Assim, pode-se dizer que, se existe uma forma sintética do comparativo, é ela a empregada.

Existe, contudo, uma situação em que essa regra não se aplica: embora incomuns, frases como "Maria é mais grande que alta" são aceitas. Nesse caso, o advérbio "mais" não está formando uma locução. Diferentemente do que parece, ele está se referindo ao conjunto formado por "grande" e "alta". As diferentes variedades da língua têm seu lugar de uso socialmente marcado. A frase "Marcelo é mais grande que Márcio" é inteligível, mas pertence a um registro informal. Em outro contexto, ela seria vista como uma prova de inabilidade.

 


Consultoria Denise Weiss, doutora em Letras e professora da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). 

Pergunta enviada por Deise Pereira de Souza Brunelli, Salvador, BA

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias