Ir para o conteúdo Pular para o menú principal
ANÚNCIO
Você sabia que é possível salvar matérias para ler mais tarde? Use o botão icone ler mais tarde Ler mais tarde
icone menu

Espanhol: as coisas de que a turma gosta vão dar o que falar

Ensine como usar o verbo "gustar" para os adolescentes expressarem suas preferências

por:
Anna Rachel Ferrreira
Anna Rachel Ferreira

O livro Mi Ultimo Suspiro, do espanhol Luis Buñuel (1900-1983) (344 págs., Ed. Debolsillo, 9,95 euros), apresenta as relações entre a vida e a obra do cineasta. Em um dos trechos, Buñuel conta aos leitores do que gosta e do que não gosta. Ele trata de uma série de hábitos cotidianos e coisas simples, como comer temprano, la puntualidad e las arañas, e compara suas preferências com as de seus conterrâneos.

Com esse material, a professora Débora Silva iniciou uma sequência de atividades para ensinar o emprego e as formas do verbo gustar à turma do 6º ano da EEFM Professora Dagmar Ribas Trindade, em Barueri, região metropolitana de São Paulo. Bastante usado para expressar predileções, o verbo deve ser explorado com atenção, pois tal como apetecer, encantar e doler, não concorda com o sujeito, e sim com o que ou quem sofre a ação. As fotos desta reportagem mostram os alunos de Débora apresentando algumas frases estudadas por eles e que esclarecem a regra.

O início do estudo foi marcado pela leitura coletiva e em voz alta do fragmento escrito por Buñuel. "Recorrer a produções de um autor hispanófono é excelente não só para levar à sala de aula um pouco da literatura estrangeira como para apresentar às crianças a cultura hispânica", diz Claudio Muzzio, professor de Espanhol do Colégio Miró, em Salvador.

Em seguida, Débora questionou os alunos sobre o conteúdo do texto. Eles logo identificaram o tema central e ela passou a perguntar se gostavam ou não das mesmas coisas que Buñuel. Dessa forma, a professora encaminhou um intercâmbio entre leitores. O objetivo era que todos comentassem o que tinham lido e se posicionassem. Nessa etapa, não é necessário se preocupar com os erros. É comum, por exemplo, que os estudantes recorram à estrutura usada em português para criar frases como "Yo gusto de pintar" e "Él gusta de naranjas". Com base nas reflexões sobre as diferenças entre a estrutura do português e do espanhol, todos vão avançar. Lembre-se também de que mesmo se eles se expressarem na língua materna, é importante você sempre falar em espanhol para servir de modelo.

Até essa etapa, a turma de Débora não tinha notado que o mesmo verbo aparecia de modos diferentes, como em "me gustan los obreros" e "me gusta el Norte". A educadora questionou: "Por que o texto ora apresenta gustan, ora gusta?". A meninada notou que a forma variava de acordo com o objeto a que o autor se referia. Se era uma coisa só usava-se gusta, no singular, se eram várias, gustan, no plural. Essa é a regra geral para o emprego do verbo. "Também conversamos sobre como gustar se comporta quando aparece outro verbo depois dele. É sempre no singular, como ocorre em ‘me gusta acostarme’", diz Débora. Depois de tudo isso, a professora organizou no quadro o que tinha sido discutido a fim de sistematizar o conteúdo estudado.

 

Escrever sobre preferências

O passo seguinte foi pedir à garotada que escrevesse, individualmente, um texto sobre suas preferências. A educadora sugeriu uma série de atividades e coisas para compor as frases, como"ir al cine", "el rock" e "los tebeos". Quando as crianças terminaram, foram incentivadas acompartilhar o que tinham escrito, comentar e concordar com os gostos dos colegas ou discordar deles. Nesse momento, Débora participou da conversa para apresentar as expressões "a mi también" e "a mi tampoco". "A troca de opiniões faz com que o uso dessas estruturas seja requisitado de modo contextualizado, não como algo sem sentido", diz Vera Gherardini, professora do Colégio Oswald de Andrade, em São Paulo.

Na sequência, Débora distribuiu para a turma algumas histórias em quadrinhos da Mafalda, criadas pelo argentino Quino, e orientou a leitura. Depois de conversarem sobre a menina, a discussão se concentrou nos gostos dela. Mafalda detesta sopa, mas sua mãe sempre insiste para que ela tome um prato nas refeições. As justificativas que a personagem apresenta para escapar da obrigação são famosas por serem muito criativas. "Os alunos se divertiram com as tirinhas, comentaram o desapreço da Mafalda por sopa, falaram sobre suas comidas preferidas e adquiriram mais vocabulário", diz a professora, que havia planejado começar a trabalhar com vocabulário referente à alimentação nessa etapa.

Ao comentar sobre os gostos da personagem, a classe foi desafiada a elaborar frases se referindo a Mafalda, ou seja, teve de lançar mão de construções que utilizam a terceira pessoa do singular, como "A ella no le gusta...", "A ella le gusta...", "A ella no le gustan..." e "A ella le gustan...".

Para complementar o estudo, Vera sugere pedir que cada criança escreva um texto falando sobre seus gostos e os compare com os dos colegas, como fez Buñuel. Se necessário, retome o material lido no início do trabalho.

Vídeos são recursos que também podem ser usados para ensinar o conteúdo. No Centro de Línguas Estrangeiras Modernas da EE Maria do Rosário Castaldi, em Londrina, a 387 quilômetros de Curitiba, a professora Solange Guimarães trabalhou com dois. No primeiro, Las Cosas Que Me Gustan, uma criança espanhola, Cristina, fala de algumas de suas preferências. No segundo, Me Gusta, Le Gusta, Nos Gusta, um rapaz reclama para seu analista de que ele e sua namorada não gostam das mesmas coisas.

Na hora de pesquisar o material, Solange buscou os que exploram a diversidade de estrutura do verbo gustar para que os alunos o conhecessem nas variadas formas. Com base neles, ela organizou conversas sobre as falas dos personagens para que os alunos opinassem.

Ao investir em formas de ensinar apoiadas em textos, vídeos e diálogos contextualizados, Débora e Solange levaram os estudantes a aprender a usar o verbo de acordo com seu uso social, longe de atividades mecânicas e repetitivas. Dessa maneira, todos eles podem afirmar: "¡Nos gusta muchisimo el español!".

 1 Ler um texto sobre gostos Oriente a leitura de um texto em espanhol em que o personagem fale do que gosta e do que não gosta. Discuta o vocabulário e o tema central. Incentive as crianças a comentar, em espanhol, o que apreciam. 


2 Entender as formas verbais Questione por que o verbo gustar está escrito no texto ora gusta, ora gustan. Peça ajuda da turma para organizar a regra: o verbo varia de acordo com o que o sujeito gosta (ou não).

3 Falar sobre o que gosta Solicite que os estudantes escrevam um texto apresentando o que gostam. Dê opções para a criação de frases, como "ir al cine", "el rock" e "los tebeos". Organize a socialização das produções e incentive as crianças a discordar ou concodar com os colegas usando as expressões "a mi también" e "a mi tampoco".

4 Falar sobre os outros Apresente outros textos, como histórias em quadrinhos da Mafalda, e depois da leitura peça que a turma discorra sobre os gostos da personagem, utilizando estruturas como "A ella no le gusta...", "A ella le gusta...", "A ella no le gustan..." e "A ella le gustan...".

(Crédito das fotos: Patricia Stavis)

ANÚNCIO
LEIA MAIS