Site sobre o bairro une Geografia e informática

Lauriana estimulou adolescentes de um bairro da periferia a conhecer melhor o lugar onde vivem. O resultado da pesquisa feita na comunidade foi parar na internet

POR:
Gionava Girardi, Meire Cavalcante, NOVA ESCOLA, Roberta Bencini
A professora orienta a turma na pesquisa: mapa do bairro Santa Cândida está no site. Foto: Gustavo Lourenção
A professora orienta a turma na pesquisa: mapa do bairro Santa Cândida está no site. Foto: Gustavo Lourenção

A jovem Lauriana Gonçalves de Paiva, de Juiz de Fora (MG), escolheu uma escola conhecida pela indisciplina dos alunos para iniciar a carreira. A Escola Municipal Santa Cândida fica em um morro da periferia, onde não há opções de lazer para os estudantes ou acesso a atividades culturais. Por problemas administrativos, o laboratório de informática da escola estava fechado havia dois anos. Descrentes, os jovens apresentavam uma visão negativa sobre si mesmos e sobre o bairro e não tinham perspectivas de um futuro melhor. Lauriana viu nesse cenário o que chamou de esperança desafiadora. Ela reabriu o laboratório e desenvolveu o programa municipal de implantação de monitoria para informática. Depois, incentivou os dez alunos-monitores a montar um site sobre o bairro Santa Cândida. Ela queria que a garotada conhecesse a região, refletisse sobre os problemas e, no site, propusesse soluções. O projeto contemplou as necessidades reais da comunidade, explica.

PASSO-A-PASSO E METODOLOGIA

1 Redação e informática são prioridades

Na primeira conversa com a turma, Lauriana descobriu alunos sem grandes perspectivas para o futuro. Sugeriu, então, a leitura de um texto que defendia a idéia de que todo mundo é especial a seu modo. Para conhecer melhor o pensamento da turma, ela pediu uma redação sobre o bairro, que seria o tema do site a ser construído. Pelos textos, percebeu que a escrita precisaria ser trabalhada. Todos escreviam de modo telegráfico, com uma linguagem que lembrava a utilizada em salas de bate-papo e e-mails. Lauriana explicou que existem diferentes tipos de texto para cada situação. Enquanto isso, ela e a turma começaram a explorar o computador. Para os alunos e os demais professores, o laboratório parecia inacessível. Devagar, ela mostrou que era possível utilizá-lo sem medo.

2 Pesquisa com moradores traz informação

Os jovens pesquisaram a história do bairro conversando com os moradores mais velhos e procuraram imagens antigas. Também fizeram fotos da região para depois ilustrar o site. A etapa seguinte foi de levantamento dos problemas, com base nas redações que haviam feito no início do trabalho. Lauriana e os alunos listaram os principais: saúde, saneamento básico, transporte, lazer e segurança.

A professora sugeriu que a turma checasse se a população compartilhava da mesma opinião. Os estudantes conversaram com os moradores também sobre a creche, a escola, a rádio comunitária e as instituições religiosas para montar um panorama geral sobre o Santa Cândida. O objetivo dela era mexer com o espírito crítico da garotada, já que havia notado um conformismo com relação aos problemas locais.

As entrevistas mostraram que muita gente já tinha se acostumado a viver sem um posto de saúde na região, por exemplo. A professora queria que os alunos se indignassem e aproveitassem que se tratava de um ano eleitoral para colocar todos esses assuntos em discussão. Deu certo. Eles notaram que um candidato a vereador estava prometendo a construção de mais uma escola. Escola nós já temos. Precisamos mesmo de saúde e segurança, afirmavam intrigados.

3 A turma descobre como é um site

Dados tabulados e escritos os primeiros textos, os alunos foram, enfim, conhecer a internet. Como o laboratório da escola não estava conectado à rede, Lauriana conseguiu autorização da prefeitura para os alunos usarem os computadores do Centro de Formação de Professores. Após algumas explicações básicas sobre a web, ela mostrou que na rede não existe um selo de qualidade. Os alunos aprenderam que é funda mental checar a origem da informação e verificar se quem faz o site é uma fonte confiável, como um órgão governamental.

A primeira pesquisa que a turma fez foi mesmo sobre o bairro. Em sites de busca, todos foram orientados a usar aspas no nome, assim: Santa Cândida. A empolgação inicial com o aparecimento de muitos sites no resultado da pesquisa foi logo substituída por uma pontinha de frustração. Eles encontraram a história da santa que batizou o local e informações de outras cidades. Sobre o bairro específico de Juiz de Fora, quase nada. Em vez de desanimar os estudantes, a falta de informação serviu como incentivo para montarem um site ainda mais bacana.

4 Ajuda externa para construir as páginas

Somente depois que a turma estava familiarizada com a internet, a professora deu início à construção do site do Santa Cândida. Como não tinha conhecimentos técnicos, solicitou ajuda externa para aprender a linguagem HTML (a escrita da web). Alunos e professora definiram o conteúdo do site: a pesquisa realizada com os moradores, o histórico do bairro e da escola, autobiografias, fotos e um blog (espécie de diário) em que eles comentavam as atividades realizadas. Para completar a ilustração da região, a turma capturou, em um site de localização de ruas, um mapa do Santa Cândida, onde demarcaram os principais pontos do bairro. Aos poucos, todo o material reunido ao longo de dois meses foi adaptado e o site da turma colocado no ar.

GEOGRAFIA

TEMA DO TRABALHO
Um estudo sobre o bairro

De 6ª a 8ª Série

OBJETIVOS E CONTEÚDOS
Com o projeto, Lauriana pretendia que alunos em situação de risco social se familiarizassem com os recursos da informática; conhecessem melhor o lugar onde vivem; levassem os moradores da comunidade a discutir sobre o bairro que têm e o que querem. A turma aprendeu a utilizar programas como o Open Office; construir sites; fazer pesquisas na internet; e escrever textos de autoria com as informações coletadas.

AVALIAÇÃO
Lauriana avaliou a turma de modo contínuo e permanente de diversas formas: debates durante os quais os alunos informavam o que tinham descoberto nas suas pesquisas e defendiam suas posições sobre o bairro; relatórios individuais sobre as atividades e pesquisas; textos do blog, nos quais os estudantes contavam de forma coloquial e livre suas impressões sobre o andamento do projeto.

PARA AMPLIAR ESTE PROJETO
A professora Sueli Furlan, selecionadora do Prêmio Victor Civita, sugere explorar a linguagem utilizada na internet para que a turma se familiarize com o estilo de texto da mídia eletrônica. Ela recomenda ainda a navegação em sites de fontes oficiais e confiáveis, como o do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, e um aprofundamento dos conteúdos de Geografia por meio de uma aproximação maior com professores da disciplina.

Quer saber mais?

Contatos
Escola Municipal Santa Cândida
, R. Jorge Raimundo, s/n, 36061-420, Juiz de Fora, MG, tel. (32) 3690-7664

Lauriana Gonçalves de Paiva, e-mail: laurianapaiva@yahoo.com.br

Internet
Conheça o site do projeto em www.santacandida.cjb.net

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias