Como analisar fenômenos naturais como os terremotos

Para ensinar os fenômenos da natureza e garantir que ela não seja encarada como vítima ou vilã, a saída é discutir a dinâmica da Terra

POR:
Beatriz Vichessi
Foto: Marcelo Favalli
A VIDA SEGUE NO HAITI Apesar de trágicos, sismos ocorrem de tempos em tempos devido à localização do país. Foto: Marcelo Favalli

Nos últimos meses, grandes terremotos, ocorridos no Haiti e no Chile, tomaram conta da imprensa, que mostrou imagens de pessoas mortas e desabrigadas enfrentando a escassez de alimentos e a falta de água potável.

Como não poderia deixar de ser, o assunto chegou às escolas e abriu espaço para afirmações curiosas. "Os terremotos são a resposta do meio ambiente às ações desordenadas do homem." "Todo início de ano tem desgraças. Neste ano, deslizamento de terra em Angra dos Reis, os desabamentos de casas construídas em áreas de encostas, os tremores de terra e o tsunami no Chile... Lembra-se do naufrágio do Bateau Mouche, no Rio de Janeiro, em 1988?" Como se tudo estivesse relacionado a reações da natureza.

Para que os alunos encontrem respostas para fatos como esses, sem deixar brechas para teorias fantasiosas ou desconexas, o caminho é instruí-los a buscar informações em textos científicos e outras fontes confiáveis que expliquem o caráter natural de fenômenos como ciclones e erupções vulcânicas. "É assim que eles vão distinguir as causas, que são manifestações naturais, das consequências, que envolvem a sociedade", diz Ana Clara Fernandes, professora do Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Ou seja, não existem catástrofes naturais. Depois de um evento como um terremoto, tudo se reorganiza. Catástrofe é social. Quando não há humanos no local, fala-se em tragédia? Se o sismo no Haiti tivesse ocorrido em um deserto, os problemas seriam os mesmos? Questões como essas ajudam a observar como o homem ocupa o espaço - ignorando que algumas regiões são propensas à ocorrência de fenômenos naturais - e o que tem de ser feito para minimizar os danos. Em locais em que são comuns os terremotos, por exemplo, prédios devem ter uma estrutura adequada e a população precisa ser instruída a se abrigar em áreas seguras nos momentos de abalos.

Conhecer a natureza ajuda a entender os fenômenos

Abordar os eventos naturais também permite que o professor coloque em cena a história do planeta (leia a sequência didática). Essa é mais uma maneira de naturalizar os fatos e fazer a moçada pensar sobre o tempo geológico. A Terra tem 4,56 bilhões de anos e o Homo sapiens existe somente há 100 mil. A flutuação das placas tectônicas no magma e os choques entre elas ocorrem muito antes de o homem aparecer. "O Globo é um organismo vivo e tem dinâmicas próprias, que ocorrem independentemente da intervenção humana", diz Christine Bourotte, docente do curso de Licenciatura em Ciências da Natureza para o Ensino Fundamental da Universidade de São Paulo (USP).

"Aprendizagens como essas encaminham o aluno a compreender o funcionamento da natureza e a influência do homem no ambiente", diz Marcos de Carvalho, também da USP. Em outras palavras, proporciona a apropriação de alguns dos objetos de estudo da Geografia, permitindo que se descubra como atuar de maneira consciente no espaço em que vivemos.

Reportagem sugerida por 7 leitores: Aline Neves, Cidreira, RS, Aniellis Azevedo, Graça, CE, Cristiane de Oliveira, Fortaleza, CE, Elenice dos Passos, Ribeirão Pires, SP, José Edmilson da Silva, Itapipoca, CE, Maria do Carmo de Jesus, Euclides da Cunha, BA, e Rosilene Nascimento, Oliveira, MG

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias