5 animais gigantes que habitaram o Brasil há milhares de anos

Use os representantes da megafauna nacional para discutir paleontologia com os alunos

POR:
Aurélio Amaral

 

Fóssil de preguiça-gigante, Museu Nacional (UFRJ)

 

A reportagem Descoberto animal marinho que viveu há 480 milhões de anos

(VEJA Edição Digital, 12 de março de 2015) relata a descoberta de um artrópode gigante que teria vivido no Marrocos. O animal de sete metros de comprimento se parecia com um crustáceo e tinha hábitos alimentares semelhantes aos das baleias. O achado é uma oportunidade para discutir paleontologia com os alunos e apresentar animais de grande porte que viveram no Brasil há milhares de anos.

As espécies que compõem a megafauna foram se extinguindo gradualmente a partir da última grande glaciação, no final do período chamado Pleistoceno - há aproximadamente 12 mil anos. Os maiores não teriam vivido além de 10 mil anos atrás e os menores teriam avançado um pouco além da "nova era", chegando a 4 mil anos atrás. No entanto, para Tulio Schargel, diretor e produtor de filmes com especialização em cinegrafia subaquática e idealizador do projeto Megafauna, a espécie humana, em busca de proteção e alimento, também teria contribuído para a extinção de alguns desses animais em determinadas regiões da América.

As evidências paleontológicas, com base na análise de fósseis, ajudaram a reconstituir esses animais - esse trabalho é feito por profissionais chamados paleoartistas -, como nas imagens das espécies apresentadas na reportagem. Com base no tamanho dos ossos, é possível estimar as dimensões. A datação do material permite prever a época em que viveram. Para recriar as características, como a cor da pele e dos pelos, toma-se como base espécies semelhantes que habitam hoje a mesma região. Às vezes, no entanto, a natureza deixa registros ainda mais confiáveis. "A aparência da preguiça-gigante, por exemplo, pôde ser estimada graças a restos de uma preguiça terrícola (que vive na terra, e não nas árvores) datada de 8,6 mil anos atrás, que foi encontrada em uma caverna no Chile com couro e pelos preservados, por conta das boas condições de temperatura do local", explica Schargel.

Conheça a seguir cinco animais extintos e convide a turma a buscar semelhanças com espécies que são conhecidas hoje.

 

Tigre-dentes-de-sabre (à esquerda) e preguiça-gigante. (Crédito: Rodolfo Nogueira/ Megafauna)

 

Tigre-dentes-de-sabre - Smilodon populator
Dimensões: até 2,5 metros de comprimento e 1,5 metros de altura.
Peso: até 350 quilos.
Espécie de parentesco próximo: tigres.
Onde habitava: todo o território brasileiro.
Em que época existiu: 4 mil anos atrás (com base nos fósseis mais recentes).

Preguiça-gigante - Eremotherium laurilardi
Dimensões: até 6 metros de comprimento e 4 metros de altura.
Peso: até 4 mil quilos.
Espécies de parentesco próximo: tatus, preguiças arborícolas (que vivem em árvores) e tamanduás.
Onde habitava: foram encontrados fósseis em praticamente todo o território brasileiro, com maior concentração na região onde hoje é o estado da Bahia.
Em que época existiu: 9,7 mil anos atrás (com base nos fósseis mais recentes).

Da esquerda para a direita: xenorinotério, gliptodonte e mastodonte | Crédito: Rodolfo Nogueira/ Megafauna

Da esquerda para a direita: xenorinotério, gliptodonte e mastodonte. (Crédito: Rodolfo Nogueira/ Megafauna)

Xenorinotério - Xenorhinotherium bahiensis
Dimensões: até 2,5 metros de comprimento e 2,5 metros de altura.
Peso: até 800 quilos.
Espécies de parentesco próximo: não há registros de parentes da mesma família deste mamífero quadrúpede antes ou depois de sua passagem pela Terra.
Onde habitava: Bahia e Minas Gerais.
Em que época existiu: 4 mil anos atrás (com base nos fósseis mais recentes).

Gliptodonte - Glyptodon clavipes
Dimensões: até 2 metros de comprimento (incluindo a cauda) e 1,2 metros de altura.
Peso: até 800 quilos.
Espécies de parentesco próximo: tatus, preguiças arborícolas (que vivem em árvores) e tamanduás.
Onde habitava: região que compreende desde o estado do Sergipe até o sul da Argentina, na Patagônia.
Em que época existiu: 5 mil anos atrás (com base nos fósseis mais recentes).

Mastodonte - Stegomastodon waringi
Dimensões: até 5 metros de comprimento e 2,5 metros de altura.
Peso: até 3,5 mil quilos.
Espécies de parentesco próximo: mamutes (também extintos) e elefantes asiáticos.
Onde habitava: região central do Brasil, entre os estados da Bahia e do Paraná.
Em que época existiu: 10 mil anos atrás (com base nos fósseis mais recentes).

 

Quer saber mais?

Vídeo sobre o projeto Megafauna nas Escolas de São Paulo. Assista aqui.

 

Fontes: Tulio Schargel, diretor e produtor de filmes com especialização em cinegrafia subaquática e idealizador do projeto Megafauna. Artigo acadêmico As Principais Causas da Grande Extinção da Megafauna Pleistocênica das Américas, do professor Juvandi de Souza, da UFPB.

Tags

Guias

Tags

Guias