Quando a Wikipédia é bem-vinda em sala

Editar verbetes da internet ajuda o grupo a desenvolver o olhar crítico e escrever melhor

POR:
Anna Rachel Ferreira
Os alunos identificaram problemas gramaticais e de conteúdo no verbete analisado. Reprodução Wikimedia Foundation Inc. Ilustração Alice Vasconcellos
Os alunos identificaram problemas gramaticais e de conteúdo no verbete analisado

Você pede que os alunos pesquisem sobre um tema e eles levam material retirado da Wikipédia. Já aconteceu na sua sala? A enciclopédia digital tornou-se uma das principais fontes de informação da garotada. Porém, muitos professores desconfiam, com razão, da veracidade dos conteúdos publicados. Por serem escritos por internautas, não há garantia de que sejam confiáveis. O que fazer, então? Não só é possível como recomendado usar essa ferramenta como aliada no aprendizado escolar, desde que da forma adequada. "A Wikipédia é uma expressão da realidade 2.0, interativa e participativa, e deve ser utilizada de maneira crítica e com domínio do formato", diz Roxane Rojo, docente do curso de pós- graduação em Linguística Aplicada da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Depois de se deparar continuamente com essa situação, Jorge Makssoudian, professor de Língua Portuguesa do 9º ano do Colégio I.L. Peretz, na capital paulista, elaborou um plano para resolver o problema, usando a ferramenta a favor do desenvolvimento da leitura e da produção textual dos estudantes. Eles tinham de analisar os verbetes do portal sobre obras literárias já lidas e usar seus saberes para aperfeiçoá-los. A proposta faz com que os alunos voltem a algo conhecido por eles com outro olhar. "Com tantas coisas circulando pela internet, é importante que os alunos adquiram critérios de avaliação para distinguir as fontes fidedignas das que não são. É isso que se espera da formação de leitores", diz Márcia Fortunato, coordenadora da pós-graduação em Formação de Escritores do Instituto Superior de Educação Vera Cruz (Isevec).

O primeiro passo do trabalho foi refletir sobre o gênero verbete de enciclopédia e identificar as características dele. O professor pediu que os jovens analisassem esse tipo de texto tanto na versão impressa quanto na digital. Para isso, levou à sala de informática um livro da Barsa (18 volumes, Ed. Grupo Barsa Planeta, tel. 11/2171-7101, 2.695 reais) e abriu um artigo da Wikipédia. Após a leitura, eles concluíram que os textos eram informativos e continham termos técnicos, explicações e procedimentos de síntese.

Em seguida, todos observaram as diferenças entre as duas plataformas (livro e site). Discutiram, por exemplo, o fato de que hoje o conhecimento muda constantemente e as informações circulam com rapidez, sendo geradas por todos. "A enciclopédia impressa é mais difícil de ser alterada do que a Wikipédia, mas é mais confiável. Já a internet torna a pesquisa mais fácil. O conteúdo é atualizado com mais frequência, porém não dá para ter certeza se está correto", diz Lucas Liberman Fernandes, 14 anos. "Essa avaliação desenvolve o comportamento leitor do aluno e o atualiza, pois o faz revisitar a obra e ter contato com sua versão recontextualizada, em forma digital. Isso pode ser feito com os textos jornalísticos, ao se comparar uma notícia impressa com outra da internet", fala Roxane.

De leitores a produtores de conteúdo

Uma versão melhorada do texto foi elaborada em conjunto pela turma e publicada no site. Reprodução Wikimedia Foundation Inc. Ilustração Alice Vasconcellos
Uma versão melhorada do texto foi elaborada em conjunto pela turma e publicada no site

Na aula seguinte, Makssoudian aproveitou que a turma já tinha lido A Volta ao Mundo em 80 Dias (Júlio Verne, 128 págs., Ed. Melhoramentos, tel. 11/3874-0880, 32 reais) e elegeu o título para ser a primeira obra a ter a descrição editada na Wikipédia. Ele retomou a história com os jovens, discutiu a importância do autor como precursor do gênero ficção científica e a influência da Revolução Industrial em seus escritos.

Com as informações frescas na cabeça, foi iniciado o trabalho de análise do texto da Wikipédia referente ao livro (leia algumas das atividades acima e na página anterior). Em trios, os adolescentes leram o trecho inicial, chamado de introdução, e identificaram equívocos ortográficos, gramaticais e de conteúdo, sugerindo mudanças. Uma delas foi uma correção de concordância verbal: no trecho "...um estranho ritual nativo que lhes dão calafrios", alteraram o verbo para "dá".

Os conteúdos gramaticais foram retomados à medida que os estudantes se deparavam com problemas no texto. Questões de credibilidade da informação também não passaram despercebidas. "Os alunos questionaram a informação de que o livro tinha impulsionado os ingleses a viajarem pelo mundo. Como não conseguiram confirmar isso com dados precisos, retiraram da versão final", conta Makssoudian.

Nos computadores, os grupos digitaram suas propostas melhoradas da introdução do verbete e enviaram por e-mail ao professor. Ele leu para a turma as contribuições recebidas e, juntos, todos construíram uma versão final de maneira colaborativa - como são os textos da Wikipédia, já que uma pessoa pode escrever um verbete e outras atualizarem ou alterarem. O conteúdo foi publicado pelo docente na ferramenta.

Para ampliar a autonomia dos alunos no uso da plataforma, dois fiscais de conteúdo voluntários da Wikimedia, fundação que opera a Wikipédia, foram à escola dar uma palestra sobre o que é ela e como funciona. Também falaram sobre o próprio trabalho, que consiste em fiscalizar o que é postado e corrigir dados incorretos. A visita engajou ainda mais a turma no projeto. "Se as pessoas ajudarem, todos terão acesso ao conhecimento", diz Roberta Bisker Liberman, 14 anos. A garotada foi treinada para mexer no sistema. Vale ressaltar que essa etapa não é vital para a realização do trabalho e que a Wikipédia não é a única opção de ferramenta. "O Google Docs e o Prezi são outras possibilidades", sugere Roxane.

O mesmo processo de análise e reescrita foi feito com outras partes do verbete sobre o livro de Júlio Verne (personagens principais e enredo) e está ocorrendo com Germinal, de Émile Zola (256 págs., Ed. Companhia das Letras, 11/3707-3500, 27 reais). Os alunos listaram 24 obras lidas durante a vida escolar para também editarem os textos correspondentes a elas na internet ou criá-los, caso não existam. Entre eles estão A Droga da Obediência, de Pedro Bandeira (192 págs., Ed. Moderna, tel. 11/2790-1300, 39 reais). A proposta é que cada trio produza verbetes sobre três livros, fazendo as mudanças diretamente na plataforma. "Como consigo visualizar o histórico das alterações na Wikipédia e terei acesso aos nomes de usuário dos grupos, farei comentários no próprio sistema para que eles corrijam os problemas. Os mais comuns serão retomados em aula, uma vez por mês", diz o professor.

"Ao produzir informação, os alunos ganham autonomia para atuar como sujeitos ativos, capazes de gerar ideias e solucionar problemas que enfrentam no cotidiano", diz Márcia. "Ainda bem que estamos fazendo tudo em conjunto. Assim, ajudamos uns aos outros para ter o melhor resultado", afirma o aluno Lucas. Esse é o espírito 2.0 tomando conta da sala de aula.

1 Reflexão sobre o gênero Peça que os alunos façam uma pesquisa comparando a enciclopédia impressa e a Wikipédia. Leve exemplos para que eles analisem. Promova uma discussão sobre as características do gênero verbete de enciclopédia e as diferenças entre as duas plataformas.

2 Análise crítica do conteúdo Escolha uma obra literária trabalhada em sala e retome o assunto. Proponha uma análise crítica do texto correspondente a ele na Wikipédia, pedindo que os estudantes observem questões gramaticais, ortográficas e de conteúdo.

3 Reescrita colaborativa Discuta sobre os apontamentos feitos pelos alunos e peça que escrevam, em trios, uma proposta melhorada do verbete. Leia todas as contribuições para a turma e elabore em conjunto com os jovens uma nova versão. Peça que atualizem na ferramenta do site.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias

Tags

Guias